Hot answers tagged

6

Há correspondente: verbos estativos ou de estado e verbos eventivos. Para definições concisas vê Afrânio da Silva Garcia, Verbos Incompatíveis com o Progressivo — Estudo Comparativo do Inglês e do Português, UERJ, 2010 (p. 157): Assim sendo, os verbos podem ser divididos em dois tipos em relação ao caráter: eventivos e estativos. Eventivos, do sentido mais ...


5

Como o Centauros comenta, você já (quase) respondeu sua própria pergunta ao consultar os dicionários — consultei outros seis com o mesmo resultado nulo. Isso não constitui prova absoluta que "endereçar" não pode ser utilizado com esse sentido ("lidar com"), mas é uma evidência forte e mostra que certamente não é usual: portanto você não ...


5

Fulano foi convencido = ’foi provado que fulano é culpado’ Convencido de ignorante é no mínimo muito incomum e um arcaísmo. Poderá ter sido influência desta tradução espanhola de 1930, que usa precisamente essas palavras; este tipo de construção parece ser comum no espanhol. Mas em português, do que vi nos dicionários e literatura, o normal seria convencido ...


3

"Vão lá, curtem, compartilham!" não está incorreto, embora não me pareça ser a melhor escolha. Se trata, provavelmente, do imperativo polido ou cortês, em que o significado é imperativo, mas a conjugação é feita no presente do indicativo. Bastante frequente em pt-BR, esta forma é correta em pt-PT também, como colocado no Ciberdúvidas aqui e também ...


3

Gerunds in English can be used as nouns or adjectives. That painting is good. [substantivo] Esse quadro é bom. [no sentido de pintura; se traduz por um substantivo normal] Hunting is really a passé thing. Caçar já é coisa do passado. [isso se chama "derivação impropria" em português e se trata de usar um verbo com substantivo] Playing tennis ...


2

A Moderna Gramática Portuguesa, de Evanildo Bechara, diz que podemos ver dever se fazer X/dever ser feito X de dois modos. Se interpretarmos dever fazer-se X/deve ser feito X como locução verbal, ela deve concordar com o sujeito, X; se interpretarmos fazer X como objeto de dever-se, o verbo dever estará na voz passiva, e, como fazer X é uma oração, o verbo ...


2

Não, não há erro. Como Schilive comentou, o infinitivo pode ser usado com sentido imperativo. A preferência pelo imperativo ou pelo infinitivo é questão de estilo, com o infinitivo me parecendo ter um caráter mais pragmático, lacônico — sendo frequentemente usado em instruções escritas, como manuais e receitas.


2

Olá, Sou nativo brasileiro e espero poder te ajudar com minha resposta. Resumidamente, as duas formas estão corretas, porém a mais utilizada no Brasil é "irei te ver". No Brasil, palavras com hífen são raramente usadas na pronúncia, como por exemplo "beijar-te", "cala-te", "abraçar-te". Ao invés disso, normalmente ...


2

De acordo com o Aulete, a interjeição arreda, com o significado de sair, como em «Arreda daí!», vem do imperativo do verbo arredar, com mais significados. Já o verbo arredar vem do castelhano arredrar, que provavelmente vem do latim ad retro (para trás).


2

De uma forma simples e objetiva. Na língua inglesa, o gerúndio pode ser sujeito de um verbo, objeto de um verbo ou preposição, complemento, ou parte de uma palavra composta. O importante é que, quase sempre, ele é traduzido para o português como um verbo no infinitivo. Exemplos: Travelling during the colder months is not advisable. (Viajar durante os meses ...


2

Em Portugal, a estrutura: estar + gerundio é geralmente exprimida por: estar a verbo no infinitivo. Um passaro está voando [etc.] = Brazil Um passaro está a voar [etc.]. = Portugal. Esse uso é a maior diferença que se ouve no dia a dia entre as duas variedades de português. Além disso, em títulos, se faz abstração do verbo estar.


1

Neste link discute-se um pouco os valores modais do verbo haver, mas, para todos os efeitos, deixo mais alguns exemplos para discussão: Hei de fazer um bolo seguindo a receita deste livro. / Devo fazer um bolo seguindo a receita deste livro. Em ambos os casos, estou a falar de um plano para o futuro, mas existem ligeiras diferenças. Quando digo que "...


1

Minha resposta não pode ser autoritativa de jeito nenhum, mas eu me preguntei essas coisas como autodidato de português vivendo bastante no brasil. Eu observo que formas com haver são muito mais raros (hoje em dia) que o povo popular não usa muito de forma ativa. A primeira construcção que eu aprendi com haver é "já há tanto tempo que eu não ouvi nada ...


1

'A principal diferença no comportamento sintáctico destes dois verbos é a seguinte: O verbo começar é usado como auxiliar aspectual, regendo as preposições a ou por: (1) «O menino começou a gritar.» (2) «A cozinheira começou por fazer a sobremesa.» Ou, no português Brasil, usando o gerúndio: (3) «O menino começou gritando.» (4) «A cozinheira começou fazendo ...


1

Não, no Brasil, essas 3 palavras - iniciar, começar e principiar - são sinônimas (mesmo significado). Porém, dependendo da frase, há melhores opções: Vamos INICIAR a prova. Agora está na hora de "COMEÇAR" a receita (comida) Já PRINCIPIAR não é muito utilizado como verbo. Usa-se mais "PRINCÍPIO" e se refere-se a algo mais antigo ou ...


Only top voted, non community-wiki answers of a minimum length are eligible