6

Vais de (algum lugar) até é possível, mas não na situação descrita. Creio que neste aspeto nem haverá diferença entre Portugal e Brasil. Imagina que a Ana sabe que o Beto viaja frequentemente entre Lisboa e Porto: Beto: Vou a Londres no mês que vem. Ana: Ah, vais de Lisboa ou do Porto? Outra possibilidade: Vais de Lisboa ao Porto em duas horas, na ...


6

http://www.migalhas.com.br/Gramatigalhas/10,MI80436,91041-Voz+passiva+quando+e+possivel 13) Quanto a esses verbos que mudam de transitividade conforme o sentido, fixa-se-lhes a regra de que apenas admitem transposição para a voz passiva quando são transitivos diretos: I) "O cliente foi assistido pelo advogado" (admite emprego na voz passiva, porque, no ...


2

As recomendações que encontrei online divergem. A InfoEscola e a Educação uol não admitem a regência direta ou voz passiva de assistir no sentido de ver, que é o relevante aqui (admitem-no apenas no sentido de ajudar). Já o manual de redação da Pontífica Universidade Católica da Rio Grande do Sul, baseando-se em nomes grandes como Celso Luft tolera a ...


2

Não, com esse significado o verbo abrir é sempre transitivo [1]. A forma que ele assume no exemplo "a porta se abriu" é, por conta do pronome oblíquo se, pronominal - e o objeto é a própria porta. [1] Cf. esta resposta, que afirma que o verbo nesse caso não é nem transitivo, nem intransitivo puro, mas inacusativo e, mais que objeto do verbo, a porta seria o ...


2

Os dicionários fornecem apenas informação sobre a estrutura argumental do predicado, i.e., constituintes do predicado que sejam obrigatórios para completar o significado do mesmo. Para clarear, temos predicados com as duas estruturas que encontraste no dicionário: O azul da noite é clareado por focos de neve que caem devagarinho. (transitivo direto) O ...


2

Na aceção relevante, o verbo chamar admite uma carrada de regências: chama-a jeitosa, chama-a de jeitosa, chama-lhe jeitosa, chama-lhe de jeitosa. Cito a Nova Gramática do Português Contemporâneo de Celso Cunha e Lindley Cintra (Lisboa, 2014, p. 647-9; nas fontes dos exemplos omito a obra e página): 3º [Chamar, n]o sentido de «qualificar», «apelidar», «...


1

A regência do verbo chamar é mais complexa do que se pensa, não havendo também unanimidade entre todos os gramáticos. O verbo chamar apresenta uma pluralidade de significados, podendo atuar como verbo transitivo direto, transitivo indireto, transitivo direto e indireto, intransitivo e pronominal. Este vídeo explica os dois casos https://www.youtube.com/...


1

Nessa frase, o verbo afirmar é transitivo direto: o réu afirmou algo. Só que esse “algo” está expresso não por um substantivo, mas sim por uma oração subordinada: “algo” = “não confiar no seu advogado”. Repara como o seguinte diálogo soa tão natural, e na segunda frase já é óbvio que afirmar é transitivo direto: Ana: Durante a audiência, o réu afirmou não ...


1

Para descobrir a transitividade de um verbo é necessário fazer algumas perguntas a ele: Quem exporta, exporta algo. Quem gosta, gosta de algo/alguém. Quem pergunta, pergunta algo a alguém. No primeiro caso, podemos verificar que o verbo exportar é transitivo direto, isso porque ele pede um complemento, mas não pede uma preposição na pergunta. Podemos ...


1

O termo transitivo pode ser usado com vários significados, mas de facto o Priberam não parece usar o termo consistentemente. Veja-se esta pergunta de 2003: Apesar de, actualmente, o verbo prescindir dever ser considerado um verbo transitivo indirecto, como faz o Aurélio, a classificação mais tradicional em dicionários portugueses (diferentemente de ...


1

No Brasil, precisamos de alguma coisa e precisamos fazer alguma coisa. Portanto, nós precisamos de "um substantivo" e precisamos "um verbo" e.g. Preciso de ajuda, de dinheiro, de alguém que me ame. Preciso ir agora, falar com você, encontrar meu passaporte. @ANeves Referia-me eu ao uso da preposição "de" quando o verbo precisar é usado em frases como "...


Only top voted, non community-wiki answers of a minimum length are eligible