17

"A gente" é uma locução pronominal, que apesar de se usar no lugar do pronome pessoal "nós", corresponde gramaticalmente à terceira pessoa do singular, e portanto faz com que o verbo seja conjugado de acordo: Nós vamos / A gente [ela] vai Nós não queremos só comida / A gente [ela] não quer só comida O uso dessa forma tem origem ...


15

Além do cacófato (que também aconteceria em outros casos como: "eu vi ela" [viéla] em vez de "eu a vi"), o pronome está sendo mal empregado: ele(s) e ela(s) são pronomes pessoais do caso reto e só podem ser usados na função de sujeito. Para complementos verbais, devemos usar os pronomes oblíquos (o, a, os, as, lhe, lhes). Para mais referências dê uma olhada ...


15

Não há nada de errado em usar vocês (ou os senhores, Vossas Excelências, etc.) para referir os interlocutores, desde que se usem também as formas verbais e pronomes da 3ª pessoa. O que é estruturalmente discutível é usar vocês com os pronomes e determinantes vos, vosso e convosco, como se faz em Portugal (mas não no Brasil). No entanto, trata-se de um desvio ...


12

I respectfully dissent from Armfoot's answer as to usage and I'd like to also address the "why?", which is after all the title of the question. On Usage First we need to distinguish two usages: (1) "vós" referring to a single person and (2) to a multiple persons. In the first case, "vós" used to be used as a deferential or formal treatment (more on that ...


10

Celso Cunha e Lindley Cintra na sua Nova Gramática do Português Contemporâneo (Lisboa, 1984, p. 365-6) dão-te alguma razão: Quando no sujeito composto há um da 1.ª pessoa do singular (eu), é boa norma de civilidade colocá-lo em último lugar: Carlos, Augusto e eu fomos promovidos. Se, porém, o que se declara contém algo de desagradável ou importa ...


9

Em ptBR "a gente" significando "nós" tem uso consagrado e é correto. No entanto a concordância se faz com a terceira pessoa do singular. "Ei, moço, a gente está procurando a Praça D. Pedro IV. Pode nos informar onde fica? (sei que não se chama um homem de moço em ptPT mas é muito comum em ptBR) "A gente tentou te encontrar mas foi inútil" (nós tentamos) ...


9

First, note that the possessive pronouns don't necessarily mean "possession of property", but I'll use terms such as "posessor" henceforth. If you're referring to an interlocutor that you're addressing in the third person, then there's no choice: you have to use seu, not dele. You could also use do senhor, da professora, etc. (but not de você!, at least in ...


8

Yes, "lhe" in the sentence you quote refers to "carta", and we easily understand that by context (stamps will be attached to letters). In the second sentence, "constar [a]" (meaning "to be known [to]", "to be understood [by]") is in this case indirect transitive, meaning that is object has to be preceded by a preposition, and that is why "lhe" is used. ...


8

There is no difference in informality. In Portugal, it is rather frequent to omit the pronoun. The pronoun is not omitted if we wish to stress who we are talking about. In the example: Onde vocês vão? - Eu vou comprar pão. Here, I used ‘eu’ as a way of saying that I am speaking about myself. I don't know about what he/she/they are going to do. If I had ...


8

EDITADO de acordo com comentários abaixo acerca das diferenças entre o português brasileiro e de Portugal (ou europeu). Português brasileiro Próclise primeiro Via de regra, dê prioridade à próclise: Eu te avisei. Eu não te falei. Te avisei. (informal) Depois a ênclise Use a ênclise quando o pronome for a primeira palavra da oração1: Avisei-te, mas ...


8

A conjugação verbal do modo imperativo no português moderno, às vezes, incomoda quem conhece a gramática tradicional, principalmente quanto se trata do uso de tu e você. Por exemplo: lê ou leia? Você quer saber bem o assunto, então leia este livro. Usou o tratamento você (3.ª pessoa) e o verbo ler ficou leia (3.ª pessoa do modo imperativo). Houve ...


7

Primeiro, vamos ver as conjugações do verbo "dar". Damos A forma "damos" corresponde a forma plural da primeira pessoa do modo presente do indicativo do verbo "dar", que se conjuga "nós damos". Exemplo: Nós damos ao aniversariante um belo bolo de chocolate. Darmos A forma "darmos" corresponde a forma plural da primeira pessoa do infinitivo impessoal ...


7

From that wiktionary link there are a few current situations where "vós" is still used: in certain areas of Portugal (inland areas particularly: these may refer to non-coastal areas or rural areas where older generations have a traditional way of speaking); if you want to mimic the style of old Portuguese proses and poems; in extremely formal ...


7

Aqui na zona do Minho, tanto usamos vós como vocês. O exemplo que deste é um caso especial, visto que, se usa quase sempre com pessoas desconhecidas e raramente se usa o vós podeis, em vez disso usa-se o vocês podem se for gente mais nova. Se nos estamos a dirigir a um(s) "desconhecido(s) já com cabelos brancos" usamos sempre "O(s) Senhor(es)". Claro ...


7

As situações em que o uso é consensual são as do significado 1. do Priberam, como em ele não é mais o mesmo: Indica igualdade, semelhança ou identidade (ex.: ele vestiu estas mesmas calças ontem; ela continua a mesma apesar de tudo o que lhe aconteceu). O uso anafórico (o significado 2. do Priberam) é de facto criticado por várias autoridades. Esta ...


7

The table and first example in section 11 are misleading, but the remarks in section 9 are correct and address your question: roughly speaking, deste means of this, not just this; and desse and daquele mean of that. The first thing to know is these words are contractions of the preposition de with a pronoun: deste = de + este [of this (near the speaker)] ...


7

Essa é uma regra, talvez não de gramática, mas de etiqueta, em inglês. Primeiro você, depois eu. Em português não me parece que seja dada importância à posição relativa dos pronomes.


7

Os pronomes mim e ti não são pronomes oblíquos indiretos porque não são pronomes clíticos. São pronomes tónicos e, portanto, são usados somente após uma preposição. Os pronomes oblíquos subdividem-se em dois tipos distintos: Os pronomes oblíquos átonos (ou seja clíticos), tanto diretos como indiretos, nunca precedidos de preposição: me, te, se, o, a, lhe, ...


6

Vamos ver o primeiro resultado do Google ao buscar-se por "quêm" (com as aspas), que trata-se de um site de dicionário: No momento não dispomos do significado de quêm. Ou a grafia da palavra quêm está incorreta ou essa palavra ainda não foi adicionada ao nosso banco de dados. Você pode utilizar o nosso corretor ortográfico gratuito para ...


6

Para acentuar verbos com pronomes enclíticos, usa-se a mesma regra geral de acentuação que se aplica a todas as palavras em português. Mas, dado que todos os verbos no infinitivo em português terminam em "r" e, ao adicionar o pronome, esse "r" é removido, restam apenas oxítonas terminadas em "a", "e", "i" ou "o". De acordo com a regra geral, oxítonas ...


6

Is the version without pronoun considered informal? Does formal Portuguese always include the pronoun? No, and sometimes omitting the pronoun can sound more formal than using it. It depends on the context, and the informal use varies from region to region. But I'd say that using the pronoun is so common in spoken language in every part of Brazil, that part ...


6

Seu, sua, seus, suas, agree in gender and number with the thing possessed, but the possessor could be ele, ela, eles, elas, or the person you talking to if you’re addressing them by você, o senhor, or other pronome de tratamento. Dele, dela, deles, delas, agree only with the possessor (ele, etc., but not você, etc.), so it is often unambiguous where seu, etc....


6

A expressão é bastante encontrada em letras de Funk e RAP brasileiros. Qual que é? Qual a tua? Você se foi e a vida continua Luz do sol me faz lembrar Mas, meu amor, eu quero um tempo p'ra sonhar.                          &...


5

Descobri, ao fim de dois meses, esta discussão extraordinária, e fiquei banzado! É claro a gente vai, a gente faz, etc. no sentido de nós vamos, nós fazemos é correto, pertencendo simplesmente a um registo informal. E é claro que a gente aqui em Portugal também fala assim. Creio que menos que no passado, mas ainda se ouve muito. O objetivo desta resposta é ...


5

There is a difference (perverse) between ptPT and ptBR concerning the use of "seu/sua" and "dele/dela". In Brazil we hardly ever use "seu/sua" for the third person singular. Instead, we use "dele/dela". We use "seu/sua" for the Brazilian second person singular "você", which requires verbal agreement in the third person singular. This can create confusion ...


5

Em diferentes situações, o pronome (neste caso "me") pode ter de vir antes do verbo (senão usa-se "tornou-me"). Ver exemplos ajuda: Frase "normal": O vestido tornou-me feliz. O rapaz tornou-se um bom atleta. O Natal torna-nos melhores pessoas. O "me" vem antes do verbo "tornou" apenas se a frase tiver: uma ...


5

Como no exemplo que deste, "Vossa excelência" é como se deve dirigir à pessoa em questão, já "Sua excelência" é como se deve dirigir falando da pessoa, esta sendo uma terceira pessoa. No exmplo "Vossa excelência está bem?", pergunta-se, imaginemos, ao presidente. No segundo exemplo "Sua excelência está bem?", presume-se que duas pessoas falam a repeito do ...


5

Sim, está correto, porque "alguém" não é apenas um pronome, mas também um substantivo masculino, com o significado de "pessoa": sm. 3. Ser humano, pessoa (considerada como indivíduo qualquer, que não se distingue, ou como ente singular): Procura um alguém para amar: Sentia-se como apenas um alguém entre tantos outros anônimos. ou também ...


4

Em Portugal nós fazemo-lo: Quando me devolves o livro? — Devolvo-to amanhã. Já alguém lhe contou o que se passou? — Contei-lho eu hoje. Fazes-me um favor? — Far-to-ei com prazer. Com o nos ou vos + artigo é diferente: Sei uma história interessantíssima! — Conta-no-la, vá lá! — Contar-vo-la-ei, tenham calma. Para confirmar, escrevi isto no Word, e nem um ...


4

Acredito que em português não haja distinção entre o "nós" inclusivo e o "nós" exclusivo. Aonde (nós) vamos hoje à noite? Vocês eu não sei, mas nós vamos a um bar. O diálogo acima pode ocorrer entre um grupo de amigos. O primeiro "nós" inclui o(s) interlocutor(es), enquanto o segundo não. Entretanto é possível em português marcar a ...


Only top voted, non community-wiki answers of a minimum length are eligible