25

O "x" de fixe pronuncia-se como o ch de *ficha. Significado: ser fixe significa ’ser porreiro’ (como "cool" em "to be a cool guy") ou ’ser legal’ no Brasil. Observação: mas a forma verbal fixe do verbo fixar, por exemplo em "talvez fixe bem, se ler o texto várias vezes" lê-se /fiks/.


17

Malta é um grupo de pessoas. Pode querer dizer "nós", "a gente", "eles", "a turma", "a galera", etc. Também tem um sentido pejorativo, como "a ralé", a "escória".


16

Isso acontece porque no Brasil é costume transliterar algumas palavras do inglês para o português. Exemplos: esporte (sport), deletar (delete), leiaute (layout), salvar (save), usuário (user), etc. Não são propriamente palavras estrangeiras. Arquivo também se usa em Portugal, só que no sentido de "arquiva esse processo que já está encerrado". O ...


16

Não há nada de errado em usar vocês (ou os senhores, Vossas Excelências, etc.) para referir os interlocutores, desde que se usem também as formas verbais e pronomes da 3ª pessoa. O que é estruturalmente discutível é usar vocês com os pronomes e determinantes vos, vosso e convosco, como se faz em Portugal (mas não no Brasil). No entanto, trata-se de um desvio ...


16

Portugal Por ter trabalhado no atendimento ao público numa área que exigia muito formalismo, e sendo eu falante da variante europeia da língua, devo referir-lhe, parece-me, que no trato social em Portugal, há essencialmente três opções, aqui ordenadas do mais informal para o mais formal: tu você o senhor/a senhora Estávamos liminarmente proibidos de ...


13

Atualmente malta é usado praticamente só para designar um grupo de amigos, colegas de trabalho, pessoas que andam frequentemente juntos. Eu tinha apenas uma vaga noção dum outro sentido, trabalhadores agrícolas que se deslocam em grupo longe de casa em busca de trabalho sazonal. Claro que se perguntarem a um português com mais de trinta anos qual é a ...


13

Em português, mesmo na variante europeia, é completamente errado escrever a contração "à" em vez da forma verbal "há", em situações que se refiram a tempo passado: deve ser, por exemplo, "há duas semanas" e não "à duas semanas". A contração do artigo definido feminino com a proposição "a" utiliza-se em frases como "fui à feira".


12

Tem o mesmo significado e até onde sei é um termo muito usado por lá. Também é usado o termo bicha que tem uma outra conotação também. É um termo considerado pejorativo para se referir a homossexuais masculinos. Muito usado1 neste contexto no Brasil mas também usado em menor escala em Portugal. Ao contrário da crença popular entre os brasileiros (...


12

Os nomes próprios dos monarcas, faraós e czares estrangeiros são praticamente todos traduzidos, pelo menos aqueles que já entraram, há muito tempo, na variante europeia da Língua Portuguesa. É o caso de Eduardo, Isabel, Luís, Catarina, Carlos Magno, Napoleão, Balduíno, Gustavo, Jorge, Maximiliano e Ulrica Leonor, Faiçal (ou Faisal). Dos não traduzidos, ...


12

Eu já tinha visto cabides em forma de cruz, não sabia era que se podiam chamar cruzetas. Segundo o Aulete digital, este nome é usado em Portugal e no Norte e Nordeste brasileiro. Eu sou da zona de Lisboa, e não conhecia a palavra. Este artigo do Ciberdúvidas diz que parece ser mais usado no norte. Em coerência com o Aulete, a ocorrência mais recente de ...


11

Nota: Eu falo pt-PT: Português (Portugal) Eu uso ambos, mas em situações diferentes: O google – o motor de busca. A Google – a empresa. EDIT: A resposta de Otavio Macedo fez me pensar que talvez no Brasil essa distinção não seja feita (ou tão utilizada) como em Portugal. Por exemplo, na página de apresentação da própria empresa Google, o ...


11

A grafia facto passou oficialmente a fato no Brasil com o Formulário Ortográfico de 1943, que veio alterar a grafia de centenas (talvez milhares) de palavras, tal como já tinha acontecido em Portugal com a Reforma Ortográfica de 1911. O c foi eliminado da palavra facto no Brasil porque já não era pronunciado. Portugal e nos PALOPs é pronunciado e por isso ...


11

Normalíssimo da Silva em Portugal e pelos vistos não completamente desconhecido no Brasil. Encontrei o verbo em autores brasileiros recentes. O Aulete digital tem também a definição relevante, e não a restringe a Portugal: Saber 9 Ter sabor; ter sabor de ou parecido com o sabor de [int. : Experimente este vinho, veja como ele sabe!] [tr. + a : Seus beijos ...


11

The Dicionário da Academia das Ciências de Lisboa (DACL) has two entries for fixe (/ˈfiʃ(ə)/; hear it in Forvo), giving the French fixe (/fiks/) as its origin. Houaiss dictionary (Lisboa, 2003) however just says it is a popular modification of fixo, probably under French influence. I quote DACL, as it has more examples: Fixe (1) Feminine and masculine ...


10

Uma regra clara para isso é o caso do "um" e do "uma". Quando são empregados como artigos, devem ser escritos por extenso. Quando expressão numerais, podem ou não ser escritos por extenso. Por exemplo: Um menino bateu à porta. 1 menino bateu à porta. Neste caso, a primeira forma sempre está correta (a palavra "um" está empregada como um artigo ...


10

The good thing about the simple pluperfet, pretérito mais-que-perfeito, and the normal pluperfect, mais-que-perfeito composto from the learner's point of view is that they mean the same. The simple pluperfect is hardly ever used in informal speech. Some people may even not feel confident in using it. And the normal pluperfect can be used even in formal ...


10

O uso de "você" não é adequado na maior parte dos casos em Portugal. Deve ter-se muito cuidado com o uso de "você". Sou Português e em Portugal é preciso sensibilidade para usar a palavra você. Em situações normais normalmente é usado com quem não se tem muita intimidade, mas com quem também não se faz muita cerimónia. Usa-se no tratamento formal, de igual ...


10

As expressões quinto dos infernos, quintos dos infernos ou, a que parece ser a original, quintos infernos, foram em Portugal comuns no passado, mas são hoje relativamente raras. Eu não as conhecia, e não vêm no Dicionário da Academia de Ciências de Lisboa (2001). Mas procurando na net encontram-se em Portugal, exemplos recentes de uso. Parece que a expressão ...


9

A pergunta assenta numa premissa falsa. A verdade é que os portugueses usam palavras estrangeiras ao pontapé. As palavras do domínio da computação ficheiro, guardar, apagar, e rato não mostram nenhuma aversão a palavras estrangeiras; mostram meramente que, tal como arquivo e salvar no Brasil, mesmo em domínios novos se usam palavras portuguesas. Nem outra ...


9

[.mais opinião que fato.] - sabe o quê? Se o Vinicius de Moraes disse, pra mim é fato. Bloody master of this language he is. Porque no Brasil é um oba-oba tremendo 1, o respeito à tradição não é exatamente assunto do dia e a criatividade rola 2 solta em verso e música. A seguinte declaração de amor de Vinicius de Moraes 3 a Portugal contém esta passagem-...


9

O termo fixe se pronuncia exatamente igual a fish ( em inlgês ) e significa ’legal’. Algumas utilizações: Tás fixe? - Estás bem? Bué'da fixe isto. - Muito legal isto Nossa que fixe - nossa que legal.


9

Vi esse fenômeno ocorrer muitas vezes no Stack Overflow em Português, e de fato parece ser comum os portugueses utilizarem "à" incorretamente no lugar de "há". Eu tenho uma hipótese, mas como sou brasileiro gostaria de ouvir uma confirmação dos portugueses. É sabido que em Portugal há uma distinção clara de pronúncia entre "a aberto" e "a fechado". O "a" ...


9

O v 'é trocado' pelo b, ou rigorosamente falando, o b e o v são ambos pronunciados b, numa região que inclui todo o norte de Portugal e se estende para sul pelos distritos de Viseu, Aveiro e Coimbra. Ou pelo menos era assim. Creio que a pronúncia de v como b vai sendo cada vez mais rara. No resto do país o b sempre foi pronunciado b, e o v, v. Agora se isto ...


9

In fact, both in Portugal and Brazil the pronunciation of s at the end of a syllable depends, even if you don’t realise it, on what comes after it: it is commonly pronounced /ʃ/ (as shape or ch in the Portuguese word chato) in Portugal and Rio and /s/ (as in samba) elsewhere in Brazil if followed by an unvoiced consonant such as c, f, p, t or by a long pause;...


9

O mais-que-perfeito simples é usado quase exclusivamente na escrita. Quando é usado na oralidade, é-o geralmente como parte de certas expressões idiomáticas exclamativas com os verbos "dar", "poder", "tomar" ou (menos comum) "prazer". Nelas, o valor desta forma verbal é equivalente não ao pretérito mais-que-perfeito composto, mas sim ao pretérito imperfeito ...


9

First, note that the possessive pronouns don't necessarily mean "possession of property", but I'll use terms such as "posessor" henceforth. If you're referring to an interlocutor that you're addressing in the third person, then there's no choice: you have to use seu, not dele. You could also use do senhor, da professora, etc. (but not de você!, at least in ...


9

Dedetizar tem origem em DDT, que é a sigla pela qual é internacionalmente conhecido o diclorodifeniltricloroetano (Wikipédia), um pesticida muito usado no século passado. Inicialmente dedetizar significava, como o nome indica, aplicar DDT, mas atualmente vale também para outros insecticidas (Aulete digital). Até porque desde 2009 que o DDT está banido no ...


9

Your're quite right. The sentence reads: Por favor não deitem beatas para o meu terraço. The word you missed is beatas (plural), or singular, beata, which in Portugal, and in this case, means ‘cigarrete butt’, so: Please don't drop cigarrete butts on my terrace. Beata has other meanings―‘beatified woman’ (poorly known, in Portugal at least), or (very ...


9

Eu diria que ofensivo nunca é. Eu trato o meu patrão por você, a minha tia também trato por você. Mas claro que depende do contexto. Nós usamos o você quando queremos falar com uma pessoa com quem não tenhamos muita confiança (um desconhecido) e/ou que seja mais velho. Na "alta sociedade" portuguesa as pessoas em vez de se tratarem por tu tratam-se por você ...


9

Graficamente a divisão silábica em Portugal é a mesma que no Brasil; mas isto só é relevante para a translineação. Foneticamente, que é o que nos interessa aqui, o número de sílabas de muitas palavras depende no português europeu do cuidado e velocidade com que falas. Menino (e analogamente na outra palavras que indicaste) reduz-se realmente a duas sílabas, [...


Only top voted, non community-wiki answers of a minimum length are eligible