20

Português (English below) Tráfego and tráfico têm a sua origem na palavra italiana traffico, a qual originalmente, no século XIV, significava comércio. A palavra entrou rapidamente na língua portuguesa como trafego, e uns séculos mais tarde novamente como trafico (os acentos foram acrescentados no século XX). A tabela abaixo mostra a frequência das duas ...


16

O teu erro é pensares que a expressão "a exceção confirma a regra" é alguma regra de lógica proposicional. O que a expressão realmente significa é que a presença de uma exceção sugere a existência de uma regra. Traduzindo da Wikipedia inglesa para a expressão corresponde: A frase provém de um princípio legal da República Romana: exceptio probat regulam ...


12

Ter a ver é um galicismo, vide avoir à voir. A expressão portuguesa correspondente é ter que ver: As marés têm que ver com a gravidade do Sol e da Lua. A expressão torna-se assim um pouco mais transparente: ter (alguma coisa) que (=para) ver. É uma construção análoga a "temos muito que fazer", "há muito que fazer". Ainda assim, é difícil perceber o que ...


12

PORTUGUESE (in English below) Cínico e os seus cognatos ingleses cynic (substantivo) e cynical (adjetivo) vão buscar os seus significados diferentes a diversos aspetos da doutrina e prática dos Antigos Cínicos, os adeptos do Antigo Cinismo, uma corrente filosófica iniciada na Grécia Antiga com Antístenes (446-366 AC), discípulo de Sócrates, e Diógenes de ...


12

Custa-me a acreditar que alguém escreveu uma tese sobre a palavra uai, mas ela existe Dentre as hipóteses discutidas, descartamos algumas e outras ficam em aberto. Dentre estas últimas, a hipótese do empréstimo britânico parece plausível. Entretanto, quando comparadas à de Amaral, discutida no capítulo III, aquela parece ter consequências ...


11

Encontrei o artigo, “Lacrou”: qual é a origem desse termo? de Pedro Katchborian (UOL, 15-4-2014), que ao que consegui apurar dá a resposta correta. Lacrar, neste sentido, parece ter tido a sua apresentação pública a 27 de Novembro de 2013, neste vídeo cómico de Romagaga Guidini no YouTube. Transcrevo um bocadinho (ênfase minha): Olha meu amor, a Britney, ...


10

Bué, no sentido de muito é de origem santomense ou, mais provavelmente, angolana. A partir daqui cada dicionário diz a sua coisa. O Dicionário da Academia das Ciências de Lisboa diz que o termo é santomense e angolano e de origem obscura. O Priberam diz que vem provavelmente do quimbundo, uma língua angolana. A Infopédia diz que vem mesmo do quimbundo mbewe, ...


10

Papai Noel, como o tdmsoaes já averiguou (ver outra resposta), é uma adaptação do francês. Segundo a Wikipédia, o Père Noël (literalmente, Pai Natal) aparece na literatura francesa em meados do século XIX, correspondendo ao Father Chirstmas britânico e ao Santa Claus dos Estados Unidos, sendo este nome uma adaptação do Sinterklaas (São Nicolau) holandês. ...


10

Fulano, de acordo com o dicionário Houaiss (Lisboa, 2003), vem do árabe fulān, que significa ‘alguém, um certo, determinado (indivíduo)’; também se encontra no português antigo fuão e fulan. A origem das outras duas palavras é mais incerta, mas uma opinião comum entre os filólogos citados no Houaiss é que ambas foram adotadas ou alteradas para rimarem com ...


10

Certamente que não teve sua origem no Brasil. A palavra tem sua origem no Latim "omnibus", tanto que em Inglês existe a palavra "omnibus" (fora de uso há tempos) e que foi abreviada para "bus". E, nos diversos países de língua portuguesa, o ônibus tem suas denominações locais. ônibus (português brasileiro) autocarro (português ...


10

Provavelmente uma do Brasil. Nenhum lugar manteve a pronúncia (ou gramática, ou vocabulário) exatamente como era há séculos; e não é trivial julgar quais diferenças seriam mais ou menos significativas, para que se possa declarar que esse ou aquele dialeto é o que teria sofrido menor alteração. Mas, baseado no que encontrei, eu diria que algum dos dialetos ...


9

As duas provêm de palavras latinas muito similares: filius no caso de filho, e filum no caso de fio. Note porém que estas não parecem ter relação entre si, etimologicamente falando, levando a crer que a semelhança não passa de mera coincidência.


9

Houaiss dictionary (Lisbon, 2002) in entries bras-, brasil and especially brasil- has detailed information on this issue, which is broadly consistent with the other answers, but adds more information, crucially, on first known uses. So, complementing with other sources here it is. The common name brasil Before the Portuguese first arrived to Brazil the ...


8

Não sei quando nem como a expressão surgiu, mas nunca a considerei estranha. Você chegou bem perto do meu entendimento na segunda parte da pergunta, com aquele exemplo do Pedro atrasado. O que confirma a regra é o fato de a exceção ser uma exceção. Se não fosse, a regra não seria regra (ou seria outra). O atraso de Pedro só é uma exceção porque ele é ...


8

Explica o dicionário Houaiss (Lisboa, 2003) que mas vem (desabreviando as abreviaturas) do português arcaico mais e, este, do latim magis; o valor adversativo originou-se do facto de, em muitos contextos em que se usava esta partícula, a ideia de adversativa estar implícita, do que resultou a fixação desse sentido na partícula A palavra francesa mais (mas ...


8

Andei pesquisando gramáticas dos séculos 16 ao 19 em busca de comentários sobre a grafia do artigo "hũa/huma" e sobre sua realização vocálica /ũ(w̃).a/ e consonantal /ũ.ma/. A partir daqui usarei os termos "pronúncia vocálica" e "pronúncia consonantal" para referir às respectivas pronúncias possíveis dessa palavra. Eis abaixo as citações relevantes que ...


8

Are you talking about the mythical island of Hy-Brasil? The Mythological Celtic Island It was first identified by Irish myths as a phantom island (in the same way "Atlantis" is a phantom island in greek mythology). The name of the island comes from the name of the Celtic tribe Bresail (as described by the book A Dictionary of Celtic Mythology), or ...


8

Desconheço a origem, mas desde os anos 1980-90 sempre vi entendido como sinônimo de "dia de trabalhar", com "branco" em oposição ao "negro", tido como preguiçoso. Ou seja, de fato racista, juntamente com "serviço de preto", usado como sinônimo de "serviço mal feito", entre outros. É importante lembrar que, ainda que a expressão tenha uma origem diferente, ...


7

I went through my Dicionário da Academia das Ciências de Lisboa and counted about 270 words beginning with al of Arabic origin and about 435 of non-Arabic origin. These do not include names of places, but include about ten demonyms. Wikipédia lists 197 Portuguese words of Arabic origin, of which 96 begin with al. So al-prefixed words make up about half of ...


7

Mané na aceção de ’indivíduo inepto, bobo’, não é exclusivo do Rio de Janeiro. Segundo o dicionário Houaiss é comum a todo o Brasil e a regiões de Portugal. E é muito antigo, já vem atestado em 1889 no Dicionário de Vocabulos Brazileiros de Henrique Beaurepaire-Rohan (grafia original em todas as citações): Mané, s. m. individuo inepto, indolente, desleixado,...


7

Refiro-me ao uso de "mané" na cidade do Rio de Janeiro. Para afirmar qualquer coisa a respeito de seu uso em todo o Brasil, seria necessário ter percorrido os vinte e sete estados fazendo pesquisa, com um protocolo abalizado por estatístico, ou então citar a(s) referência(s) bibliográfica(s) fidedignas. Não posso afirmar a origem, mas recordo bem que a ...


7

There are several theories on the etymology of "brasileiro". Most linguists believe the demonym was first used to refer to those merchants who carried "pau-brazil" from Brazil to Europe. About two centuries later it came to be used to refer to anyone born in Brazil. Muitas são as versões a cerca da origem do gentílico "brasileiro". A mais aceita diz que ...


7

O Aulete também diz que a interjeição caraca tem origem em caraco, que é um termo mineiro pejorativo para pessoas de língua espanhola, e que, por sua vez, ainda segundo o Aulete, vem do próprio espanhol carago, ou seja, caralho. Isto é que me surpreendeu. Carago é um termo do norte de Portugal; no dicionário da Real Academia Española aparece, mas com um ...


7

O que dificulta uma resposta à tua pergunta é que, linguisticamente, nunca foi classificado como tal, e hoje não é considerado dialeto nem do português nem do castelhano. É certo que muitos españolistas queriam (e ainda, na verdade, querem) designar o castelhano como espanhol e as outras línguas no país dialetos dele, um exemplo pode ser encontrado nesta ...


7

Esse significado de lata é muito comum em Portugal e vem em qualquer dicionário. Na minha experiência e sensibilidade, confirmada pelos dicionários, não significa tanto falta de escrúpulos ou coragem, mas mais atrevimento. Vejamos por exemplo o Aulete: 8. Lus. Descaramento, desfaçatez O Houaiss (Lisboa, 2003) apresenta mais nuances: 14 P infrm. pej. ...


7

A história conta que os romanos, bem influenciados por seus deuses, foram os responsáveis para a criação dos nomes dos meses no nosso calendário. Janeiro: ou Ianuarius, foi uma homenagem ao deus Jano Fevereiro: ou Februarius, foi uma homenagem ao deus Fébruo, o senhor da morte e da purificação. Março: ou Martius, foi uma homenagem ao deus da guerra, Marte. ...


7

A principal diferença é o facto de o acento agudo (e, hoje, o circunflexo) marcar a vogal tónica, contrariamente ao acento grave. As palavras àquilo e àqueloutro, por exemplo, são paroxítonas. Da mesma forma, na grafia portuguesa anterior à reforma ortográfica de 1973, escrevia-se rápido (proparoxítona), mas ràpidamente (paroxítona).


7

O dicionário Houaiss, o único em que encontrei a expressão, diz que entre a cruz e a espada é o mesmo que entre a cruz e a água benta, entre a cruz e a caldeirinha ou entre a espada e a parede. Nos três primeiros, o Houaiss (verbete cruz) simplesmente remete para entre a espada e a parede, e no verbete espada vem (desenvolvendo abreviações): entre a ...


7

It says here that before their forced conversions Portuguese Jews had "easily recognizable" names (I don't know if that's true) and it gives a long list. It also says: Como característica geral, os nomes judeus nunca têm patronímicos à portuguesa, se bem que pelo menos os nomes antecedidos por ben o pareçam ser. Como é o caso, por exemplo, de ...


7

Ao que parece, lambuja veio, via lambugem, de lamber. Quem havia de dizer?! Lambugem começou por significar ‘guloseima’, ganhando depois o sentido figurado de ‘ganho ou vantagem que se dá a alguém, especialmente para o aliciar’, que é o sentido com que lambuja é usado nos exemplos da pergunta. Lamber (Aulete) vem já do latim lambere. Lambugem aparece em ...


Only top voted, non community-wiki answers of a minimum length are eligible