37 votes
Accepted

Porque é que temos o "c com cedilha"? (Why do we have "c with cedilla"?)

Português Existem duas formas distintas de escrever o fonema /s/ hoje porque a nossa ortografia moderna não reflete a pronúncia atual, mas sim a pronúncia do português arcaico. A letra ç tem origem no ...
  • 3,059
26 votes
Accepted

Afinal K, W e Y fazem ou não parte do alfabeto usado na língua portuguesa?

De acordo com o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990, sim, fazem parte do alfabeto. BASE I: DO ALFABETO E DOS NOMES PRÓPRIOS ESTRANGEIROS E SEUS DERIVADOS O alfabeto da língua portuguesa ...
14 votes

Afinal K, W e Y fazem ou não parte do alfabeto usado na língua portuguesa?

Confusão comum. O alfabeto oficial brasileiro original tinha 23 letras. Isso se deve ao fato de que não existe qualquer palavra de língua portuguesa que utilize W, K ou Y Porém no acordo ortográfico ...
  • 406
12 votes

Afinal K, W e Y fazem ou não parte do alfabeto usado na língua portuguesa?

Fazem parte apenas teoricamente, porque na prática são apenas para dar "suporte" a termos em línguas estrangeiras (como o inglês, por exemplo), nomes que usam essas letras (seja de pessoas ou lugares) ...
  • 5,111
8 votes

Porque é que temos o "c com cedilha"? (Why do we have "c with cedilla"?)

Para corrigir a grafia de várias palavras em que o "c" não se justifica. Era o "c" em latim sempre pronunciado como "k": Cícero, Kíkero; Díscere, dískere. Na decadência do latim, e, ...
  • 2,092
8 votes
Accepted

Did Portuguese gain or lose fricative allophones of /b, d, g/?

I believe the short answer is: we don't know. Pre-tonic syllables Scholars seem to agree that the Brazilian and European variants of Portuguese began diverging around the XVII and XVIII centuries: PT:...
8 votes
Accepted

"Ainda o não merecemos"―pronome átono antes da negação?

Sim, esse padrão foi comum no português, europeu e brasileiro, até ao século XIX. Chama-se a isso apossínclise, que é, citando este artigo do Ciberdúvidas: intercalação de uma ou mais palavras ...
  • 44.2k
7 votes
Accepted

A palavra “judiar” é ofensiva?

A própria pergunta já indica a resposta: a palavra judiar “vem da ‘antiga tradição antissemita de origem europeia’”. Etimologicamente, judiar vem de judeu ou judio. As aceções ofensivas são as 2 e 3 ...
  • 44.2k
7 votes
Accepted

Where are the patronymic surnames of Hebraic origin?

It says here that before their forced conversions Portuguese Jews had "easily recognizable" names (I don't know if that's true) and it gives a long list. It also says: Como característica geral, os ...
  • 723
4 votes
Accepted

Quando e como começou o Pretérito Perfeito Composto do Indicativo a implicar repetição?

Quando se deu a transformação? Procurando superficialmente uma publicação achei: Mendes, Ronald Beline. "A evolução do passado composto em português."Todas as Letras-Revista de Língua e Literatura 7....
  • 286
4 votes

Quando surgiu o «o» que sói acompanhar a interrogativa «que»?

O filólogo brasileiro Manuel Said Ali explora precisamente essa questão na Gramática Histórica da Língua Portuguesa (1931, p. 116-9). Diz ele (grafia original): Os pronomes interrogativos da lingua ...
  • 44.2k
3 votes

A palavra “judiar” é ofensiva?

Decidi consultar os potenciais atingidos. Contactei algumas instituições lusófonas ligadas ao judaísmo e repassei nossa pergunta: A palavra “judiar” é ofensiva? As instituições foram: Confederação ...
  • 10.5k
3 votes

Por que algumas palavras terminam em "n" e não "m"?

Em português europeu a situação é diferente. Neste, essas palavras não têm terminação anasalada. Não poderiam ser escritas com -m em vez de -n porque isso mudaria a sua pronúncia. Talvez a razão para ...
  • 6,678
3 votes
Accepted

Quando é que «hipótese» adquiriu o significado de «possibilidade, chance»?

"Hipótese" tem esse uso já há bastante tempo. O problema é que "hipótese" foi adotada para uso quotidiano sem a definição formal cientifica, dada na pergunta do Jacinto. Data pelo menos de 1821, no ...
  • 1,098
3 votes
Accepted

Infinitivos terminados em -ri

Palavras terminadas em "ri" são normalmente reconhecidas em tempos modernos como parte do sotaque Alentejano (mais acentuado nas zonas entre Beja e Évora). Este não foi sempre o caso, em tempos mais ...
  • 191
2 votes

Colocação dos adjetivos possessivos

Vejamos o que diz Celso Cunha na Nova Gramática do Português Contemporâneo (1984): O pronome adjectivo possessivo precede normalmente o substantivo que determina [...]. Pode, no entanto, vir ...
  • 16k
2 votes

Alguma vez se disse “ua” ou “u’a” em vez de “uma” no Rio Grande do Sul?

Não se trata de algum tipo de regionalismo, mas de um artifício para evitar cacofonia. Note que, nos exemplos dados, a palavra seguinte ao "u'a" sempre se inicia com a letra "m": escrever/ler "uma" ...
  • 21
2 votes

Por que algumas palavras terminam em "n" e não "m"?

Pois são palavras que surgiram no português mais recentemente, provavelmente após o século 16, quando a grafia, antes baseada majoritariamente na fonética, passou a dar mais peso à etimologia das ...
  • 10.5k
1 vote

A língua Portuguesa já teve vogais longas no passado?

Não, o que se representa no galego-português com duas vogais, como em "paaço", é um hiato deixado pela síncope de uma consoante, assim esta dita palavra tem três sílabas: pa-a-ço, sendo o ...
1 vote

A palavra “judiar” é ofensiva?

Concordo como o @Jacinto mas parece-me que há ainda algumas trivialidades a considerar: Contexto (1) Uma palavra em si não é ofensiva. Só passa a ser mediante o uso que lhe é dado. (2) Convém ver quem ...
  • 166
1 vote

Que heranças do gênero neutro tem o português?

Todo substantivo da língua portuguesa é acompanhado de gênero. Alguns substantivos, porém, possuem seu gênero inferido através do artigo. Por exemplo, os substantivos relacionados à cargos, terminados ...
1 vote

Alguma vez se disse “ua” ou “u’a” em vez de “uma” no Rio Grande do Sul?

Numa aula de Direito Constitucional I recente, um professor fez referência a essa grafia e fiquei instigado procurando por algum esclarecimento. A forma que ele falou denotou que havia certa diferença ...
1 vote

O nome do membro viril em bom vernáculo (sim, esse mesmo) já foi aceitável? Quando passou a ser tabu?

Caro Jacinto, não respondendo diretamente à sua questão, mas não tendo espaço nos comentários para alongar, devo referir que a utilização de impropérios nas cantigas de escárnio e mal-dizer sempre foi ...
1 vote

Colocação dos adjetivos possessivos

Um meu amigo é aceite mas muito menos usado que um amigo meu: Um meu amigo chinês, quando passeávamos ambos pelas ruas de Pequim, exclamou de repente com entusiasmada veemência: "Olhe um asno!&...
  • 44.2k
1 vote

Colocação dos adjetivos possessivos

Nada impede que tu fales "o amigo meu" ou "um meu amigo". No Brasil ninguém diria que é errado, mas não é o modo como nos expressamos. Da mesma forma, não dizemos "as filhas minhas" ou "uma minha ...
  • 23.6k
1 vote

Porque é que temos o "c com cedilha"? (Why do we have "c with cedilla"?)

Por motivos etimologicos. Por exemplo a palavra espaço, poderia grafar-se espasso, mas isso afastá-la-ia de outras linguas, como o espanhol espacio, o inglês space, etc. Se fossemos por essas ...

Only top scored, non community-wiki answers of a minimum length are eligible