16

Não consigo decidir se mais grande é errado ou se é simplesmente mau estilo. Afinal, não é o mesmo que dizer nós estou, amanhã estive, ou preciso urgente de ajuda, onde existem claramente erros. Mais grande até faz sentido, mas os falantes do português ao longo dos séculos optaram pela forma sintética maior. Esta é a única razão apresentada para maior em vez ...


11

Aonde = para onde. No exemplo que você deu, Aonde você vai? Onde = em qual lugar. No exemplo que você deu, Onde fica o Cristo Redentor? (Fonte)


11

Segundo este site em Portugal usa-se em baixo e no Brasil embaixo, o meu corretor ortográfico também diz o mesmo (dá erro em embaixo). Depois de uma prolongada pesquisa descobri que isso acontece por uma questão de fonética e também de ortografia. Os fonemas bilabiais “m” e “b” se adaptam facilmente na língua portuguesa, além de ser admitida a união ...


10

Fácil já vem reconhecido, e sem qualquer advertência, como advérbio no Aulete, no Michaelis e no Houaiss (Lisboa, 2003), que trancrevo (desabreviando as abreviaturas): fácil [...] advérbio 7 naturalmente <discursa fácil e empolga os eleitores> 8 facilmente, à toa <esta louça quebra fácil> Já na Infopédia e no dicionário da Academia das Ciências ...


10

Observe que ambos os termos são advérbios de lugar, expressam a ideia de um local ou posicionamento. Onde traz o significado de "em qual lugar", podendo ser utilizado também para se referir a um termo anterior na frase funcionando de modo similar a "que" com função de pronome relativo. Onde estou? Onde você vai morar? "O meu lugar é ...


8

demais é uma palavra utilizada principalmente como um advérbio, corretamente empregue quando nos referimos a excessos ou exageros: Ele está a comer demais. de mais é uma locução adverbial que nos dá a noção de maior quantidade, como que o oposto a de menos. Tem um significado parecido com a locução a mais: Cor perfeita, nem vermelho de mais, nem ...


8

Acho que estás a confundir usos diferentes de já. A posição de já é importante: (1) Já faço/vou fazer isso. (2) Vou fazer isso já. As frases (1) não significam que vais executar a ação imediatamente. Significa que neste momento estás ocupado, mas que «em breve» atendarás a essa tarefa. Na frase (2), já está numa posição mais saliente. Indica que ...


8

Explica o dicionário Houaiss (Lisboa, 2003) que mas vem (desabreviando as abreviaturas) do português arcaico mais e, este, do latim magis; o valor adversativo originou-se do facto de, em muitos contextos em que se usava esta partícula, a ideia de adversativa estar implícita, do que resultou a fixação desse sentido na partícula A palavra francesa mais (mas ...


7

O significado de "já", "já-já", "agora", "agora mesmo" e "logo" pode ser um tanto subjetivo. Mesmo porque o interlocutor pode não ter a intenção de realizar a ação com a mesma brevidade que promete. Mas vejamos a forma como eu entendo o uso desses advérbios: "Já vou atendê-lo", para mim significa ...


6

Embaixo: É um advérbio de lugar que transmite uma ideia de algo que está em lugar inferior a outro: abaixo, debaixo, inferiormente, ou seja, numa posição de inferioridade. Ex.: Ele está embaixo da cama. Em baixo: A expressão em baixo, escrita de forma separada, existe. É usada apenas quando a palavra baixo assume a função de um adjetivo (contrário de ...


6

As outras respostas refletem bem as abordagens prescritivas para este assunto. Mas a prática raramente as segue. Aliás, no meio onde vivi (entre pessoas com alguma educação em Lisboa), onde é usado na maioria das situações em que se poderia (porventura deveria...) usar aonde. Uma frase como Onde é que vais? é muito mais comum do que Aonde é que vais? Já ...


6

Demais usamos o vocábulo demais em duas situações básicas. 1ª - Como advérbio de intensidade (equivalente a muito), com sentido de "excessivamente, além da conta" ou "muitíssimo". Esses advérbios podem modificar um verbo, um adjetivo, ou mesmo outro advérbio(os demais só modificam verbos): Exs: Eu comi demais. Vocês comem demais. O Automóvel é caro ...


6

Como um falante nativo da língua portuguesa, nunca ouvi "segundamente", "terceiramente" ou "quartamente", a não ser em comédias. É verdade que essas formas, em contexto, seriam compreendidas. No entanto não são idiomáticas e soariam um tanto ridículas. Eu geralmente uso "em primeiro lugar". "Primeiramente", por ser menos usada, deixo para situações mais ...


4

Eu pontuaria assim: Eu viajo, em média, uma vez por semana quando estou trabalhando, e até duas vezes por semana quando estou de férias. Lembre-se, no entanto, de que esta não é a única possibilidade. Tudo depende do estilo. No caso, estou usando a expressão "em média" entre vírgulas para destacá-la, para dar uma certa entonação à frase pelo uso das ...


4

Morfologicamente falando (em PT-pt): demais: pronome ou determinante demonstrativo (equivalente a "outros", "restantes", etc.); advérbio de modo (o mesmo que "demasiadamente)"; advérbio conectivo (equivalente a "para além disso"). de mais: locução adverbial com o valor de quantidade (substituível por um qualquer quantificador a meu ver como "bastantes" por ...


4

Por que estes adjetivos são irregulares, em termos de intensidade, e têm uma forma própria - "maior" e "menor".


4

"embaixo é um advérbio e "em baixo" é uma preposição + adjetivo. No Brasil não usamos a locução adverbial "em baixo". "Ele se escondeu embaixo da cama." "O açúcar está no armário embaixo da pia." "Tu poderias ouvir essa música em baixo som?" "Ele falava em baixo calão".


4

O Dicionário da Academia das Ciências de Lisboa (DACL) concorda com o Aulete, e eu concordo com o Artefacto. Nomeadamente este exemplo do DACL tal como o do Aulete não me entram na cabeça: (a) Nasceu em Angola mas nunca mais ali voltou. (DACL) (b) Foi para a Europa, e vai ficar ali até ao verão. (Aulete) Eu diria (a1) Nasceu em Angola mas nunca mais ...


4

Talvez surpreendentemente, a primeira opção, sem vírgula, também está correta. Se se tratasse de repetição, como em "Não, não vou.", em que o primeiro "não" responde a uma pergunta, e o restante da frase detalha a resposta, haveria vírgula, como colocado na resposta de Rye. Mas aqui o segundo "não" tem função intensivadora, de ...


3

Creio que existe uma sensação de maior proximidade ao usar a palavra ali , especialmente para localizações ou lugares, não só devido à semelhança com aqui: Neste lugar. ... (Opõe-se a ali, para designar um lugar ou um facto, determinados ou não.) Como também ao lhe perguntarem: Onde está o(a) objecto(pessoa) X? Caso esteja ao ...


3

Ambas estão corretas, embora a primeira forma seja mais informalmente comum. E sim, "hoje, faço 1 ano" pode ou não ter a vírgula, de acordo com a ênfase na palavra hoje, ou nas palavras 1 ano


2

Segundo a minha experiência em Portugal: Aqui, aí e ali referem-se à posição explícita de algo em relação ao ambiente próximo de quem comunica. Implicando proximidade, especificam se é respectivamente ao comunicador, ao ouvinte, ou a nenhum deles. Enquanto que cá e lá exprimem a proximidade de algo com quem comunica, num âmbito de distância. Se é "aqui ...


2

Sou brasileiro. Esta forma está correta, pelo menos eu havia aprendido na escola assim. Que eu saiba, usamos a forma analítica de superioridade quando há composição de 2 adjetivos: Ela é mais grande que bonita (exemplo bobo) Adjetivos: grande e bonita A forma sintética (maior, menor, pior), é usada na composição de 2 substantivos: Este quarto é maior que a ...


2

Na aula de jornalismo, uma vez um colega fez essa mesma pergunta ao professor. Ele explicou que é melhor evitar a construção Primeiramente, pois seu uso implica que haveria um Segundamente, Terceiramente etc., gerando uma sequência esquisita e pouco usual ao leitor/interlocutor. Além disso, a partir de Quartamente, o vocábulo sequer consta no dicionário. Ao ...


2

O comentário do Dan Getz explica bem o fenômeno. Veja também que não faz sentido modificar um adjetivo com todo. Imagine tentar descrever o grau de desconfiança: Um pouco desconfiado Meio desconfiado Muito desconfiado Totalmente desconfiado mas... todo desconfiado? Nesse caso, o modificador não se refere ao adjetivo em si, mas é um pronome que se refere a ...


2

Isto ocorre pois o sufixo "-mente" vem literalmente de "mente", portanto, "com mente corajosa" = "corajosamente". Resposta bem curtinha, mas creio que o suficiente. :)


1

É claro que "primeiramente" está correto. E também não há problema algum com "segundamente". https://sualingua.com.br/primeiramente/


1

Não é incomum que, na língua portuguesa, um termo tenha mais de uma classificação. A palavra após é um termo que essencialmente é classificada como uma preposição. Apesar disso, podemos utilizá-la como um advérbio temporal a depender do contexto. Podemos classificar o termo após como uma preposição quando ele estabelece determinadas relações de sentido ou ...


1

Não vejo como "de mais" possa ser usado após o adjetivo "bom". Estaria alguém querendo dizer "bom em excesso" ao invés de "muito bom"? O contrário de "de mais" é "de menos" "O churrasco tinha sal de mais" x "O churrasco tinha sal de menos" "Temos voluntários de mais" x "Temos voluntários de menos" Já o contrário de "bom de mais" seria "bom de menos" e ...


Only top voted, non community-wiki answers of a minimum length are eligible