4

A palavra "atraência" (= atratividade):

  • não consta em nenhum dos oito dicionários que consultei,
  • não é aceita pelos corretores ortográficos que testei,
  • não consta no Corpus e
  • retorna poucos hits relevantes nos buscadores online.

Ou seja, parece ser um erro, e nem sequer um muito comum.

Contudo, por alguma razão sempre a tive como uma palavra cotidiana, correta; os tradutores da Google e da DeepL traduzem corretamente seu significado, e os exemplos de uso na rede podem ser poucos, mas existem (e.g., 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, PDFs: 8, 9, 10).

Qual seria o dialeto ou comunidade em que ela é corrente? Ou seu uso seria tão raro, que só se pode classificá-la como erro?

3
  • Para além da resposta que escrevi ainda há outra perspectiva, e.g. os corpos FOLHA/PÚBLICO quando foram compilados tinham o defeito de terem poucos termos técnicos da física e outras áreas porque as fontes eram publicações periódicas generalistas. Se estás à procura de "atraência" no campo científico deves procurar em indices científicos e teses para saber se o termo é usado em universidades...
    – bad_coder
    Jun 19, 2023 at 1:44
  • À falta de um "dicionário especializado de física, quimica, etc..." a terminologia em português é frequentemente um tradição mantida pelas instituições e sendo que a maioria das publicações são em inglês até nos campos científicos se vê divergência de termos. Por exemplo, a propósito dos morfemas alguns escrevem "morfêmico" enquanto outros "morfemático" o que coloca o problema de haver 2 palavras, ambas pouco usadas, para a mesma coisa... Colocar os autores de um campo de acordo sobre terminologia para uniformizar as coisas também não é fácil portanto pode haver ambiguidade nos termos.
    – bad_coder
    Jun 19, 2023 at 1:48
  • 1
    @bad_coder-onstrike Bom ponto, mas, não, nunca vi "atraência" ser usada no sentido técnico. Interessante o exemplo de morfêmico/morfemático.
    – stafusa
    Jun 19, 2023 at 8:10

1 Answer 1

3

Esta análise deve começar pela morfologia, o primeiro passo é tentar reduzir a palavra ao radical mais simples.

Vamos fazer a análise morfológica de ambas as palavras começando pela palavra atratividade antes de tentar analisar atraência.

A. Análise morfológica de atratividade.

  1. atra-tividade (nome feminino) > atra-ir (verbo da 3ª conjugação).

  2. Vamos ver no dicionário o sentido do radical:

    atrair

    verbo transitivo

    Origem etimológica: latim attraho, -ere.

    Uma das coisas que aqui devemos reparar é o radical ser, pela sua natureza, um radical verbal porque para uma coisa ser atraente (adjectivo) tem de atrair em primeiro lugar.

  3. O radical verbal atra- é indivisivel na morfologia portuguesa. (Reparar que tiramos a vogal temática da 3ª conjugação -i- e a desinência do infinitivo -r que juntos são -ir.)

  4. (Aqui vale a pena um parêntesis, podemos espreitar a morfologia do latim e ver que attraho é ad- + trahō transliterado "a si"- + "puxar" com o radical simples. Fazemos assim mais uma divisão que não está disponível na morfologia do português e chegamos a um radical indicado como tendo origem no proto-indo-europeu. Ver traho.)

  5. atra-(ir) > atra-tiv-o/a (adjectivo ou nome).

    Aqui evidenciamos o primeiro passo da derivação. Devemos concentrar-nos nas propriedades do sufixo -tiv-o/a), que é um sufixo deverbal (não pode ser denominal nem deadjectival) e portanto é coerente com a base verbal radical simples. O sufixo forma nomes e adjectivos.

  6. atra-tiv- o/a > atra-tiv-idade (nome feminino).

    Por fim acrescentamos o segundo sufixo e formamos a palavra - é uma dupla derivação.

O mais importante para completar a nossa análise é o sufixo -idade, este é elencado na literatura linguística como sufixo inteiro (o -i inicial é considerado parte integrante do sufixo e não uma "vogal de ligação"). É um sufixo que forma nomes deadjectivais - vemos que a classe lexical do produto é de facto um nome e não um adjectivo.

B. Análise morfológica de atraência.

Começamos no ponto 3. da análise anterior sendo que os pontos 1. e 2. seriam iguais para ambos os casos.

  1. atra-ência > ????

    Aqui começam os problemas:

    1. Por razão ortográfica e fonética vemos que não existem nem ditongos nem encontros vocálicos -aê- em portugês.

    2. Não existe um sufixo -ência em português!

    3. Existem 2 sufixos próximos do hipotético -ência que seriam:

      • ncia- um sufixo que forma nomes deadjectivais e escolhe radicais como base.

        Este não está disponivel porque a base não é verbal!

      • ncia- um sufixo que forma nomes deverbais e escolhe temas como base.

  2. atra-(ir) > atra -ê- ncia

Vamos então começar por verificar a escolha de Tema Verbal pela sufixo. O sufixo -nica está indicado na literatura como escolhendo Temas do Presente, vejamos o quadro:

1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação
TV infinitivo dormin -a -r respond -e -r transfer -i -r
TV passado dormin -a -do respond -i -do transfer -i -do
TV presente dormin -a - respond -e transfer -e

Portanto, vendo as seleção do sufixo, de facto, o Tema Verbal do Presente para verbos da 3ª conjugação é -e e temos mais uma razão a reforçar a possiblidade de atra -ê- ncia.

Vamos consultar a literatura:

2.4.1.5 Nomes sufixados em -nci(a)

A forma da base verbal a que -nci(a) se anexa é a do tema do presente, como o revelam os deverbais formados a partir de verbos da 2ª conjugação (proceder/procedência) e de 1ª conjugação (culminar/culminância).

Nos nomes derivados de verbos de tema em -i- ocorre uma divergência fonológica relativamente ao expectável, pois verifica-se discrepância entre a VT do verbo base (fluir, gerir, aderir, anuir) e a que ocorre no nome em -nci(a): -e (fluênica, gerência, aderência, e anuência). Não é esta razão suficiente para se considerar que o sufixo tem o formato -enci(a) . Na realidade estes nomes em correlação paradigmática com os verbos da 3ª conjugação são herdados do latim. Nesta lingua, os verbos que estão na origem dos verbos portugueses tinham tema em -E- 'breve'.

in Gramática Derivacional do Português, Alexandra Soares Rodrigues, Isabel Pereira, Graça Rio-Torto. Imprensa da Universidade de Coimbra, 2016.

(Negritos meus.)

Vale a pena ler o capitulo acima citado na integra. Tentei numa site de transcrição fonética converter o attráhere da 3ª conjugação latina -ere (no latim é -are, -ēre, -ere, -ire) e parece que de facto o verbo tem o "tema em -E- 'breve'" portanto a única razão que encontro é ortográfica... É possivel que em algum momento da história tenham decidido evitar a escrita do -aê- em português o que invalidaria a escrita de "atraência"...


Por fim, os recursos que citas:

  • O Corpus do Português é datado entre 2012-2019. Portanto, fosse qual fosse a regra que tivesse retirado atraência do vocabulário deve ser muito anterior a isso.
  • O DeepL propriamente dito usa técnicas NLP para fazer correspondência entre produtos de derivação provavelmente saltando regras lexicológicas que sejam muito refinadas, sobregeração de resultados.
  • O resultado no jusbrasil... Recentemente tive a experiência enriquecedora de conviver com um grupo de advogados brasileiros. Acho que em qualquer sítio onde se fale português a subtileza do que acabamos de descrever é uma quantidade de trabalho pouco razoável para investir numa única palavra, para além disso até a literatura de referência que citei não menciona a problemática particular do -aê-.

Considero que a pergunta fica por responder, deixo esta postagem como um subsídio.

2
  • 2
    Brilhante subsídio! Sobre o Corpus, também consultei a base histórica, e achei por bem adicionar à pergunta um número maior de exemplos.
    – stafusa
    Jun 19, 2023 at 8:39
  • Comments have been moved to chat; please do not continue the discussion here. Before posting a comment below this one, please review the purposes of comments. Comments that do not request clarification or suggest improvements usually belong as an answer, on Portuguese Language Meta, or in Portuguese Language Chat. Comments continuing discussion may be removed.
    – stafusa
    Jun 19, 2023 at 11:30

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service and acknowledge you have read our privacy policy.

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.