1

Estava comparando a edição que tenho de A Cidade e as Serras com o original disponível no Wikisource e encontrei divergências em relação ao uso do ponto e vírgula e dos dois-pontos. No seguinte trecho, os dois-pontos é usado na versão original, mas na minha edição usa-se ponto e vírgula em vez de dois-pontos:

N’essa sua mudez e indecisão de sombra surdira, ao fim do luto do papá, o gosto muito vivo de tornear madeiras ao torno: depois, mais tarde, com a melada flôr dos seus vinte annos, brotou n’elle outro sentimento, de desejo e de pasmo, pela filha do desembargador Velho, uma menina redondinha como uma rôla, educada n’um convento de Paris, e tão habilidosa que esmaltava, dourava, concertava relogios e fabricava chapéos de feltro.

A troca acontece ainda em outros trechos.

Ainda mais, em alguns trechos onde a versão original usa ponto e vírgula, a minha edição usa dois pontos. Como no seguinte trecho:

Obtive uma noção; tenho sobre ti, que com os olhos desarmados vês só o luzir da vidraça, uma vantagem positiva.

Importante notar que encontrei a mesma situação com outro livro de outra editora, desta vez, A Relíquia, da editora Book Cover do Porto, Portugal - o outro livro, A Cidade e as Serras, é da editora Ediouro do Rio de Janeiro, Brasil.

Alguém saberia justificar essa troca dos dois-pontos pelo ponto e vírgula e vice-versa?

1
  • Acho melhor perguntar a casa editora.
    – Lambie
    Commented Jan 20, 2023 at 17:29

1 Answer 1

1

Vejo duas possibilidades para essas trocas: acidental (erro) ou proposital (correção/adaptação) e creio que aqui se trata desta última.

Erro

Em se tratando de livros antigos, digitalizados por software ou digitados à mão, a explicação mais simples para esse tipo de diferença é erro — no software de OCR ou na digitação. Contudo, "A Cidade e as Serras" não é tão antigo assim, e versões escaneadas que encontrei (e.g., aqui e aqui) têm claramente dois-pontos (no seu primeiro exemplo), tornando erros menos prováveis, especialmente de OCR.

Adaptação

Embora haja valor, especialmente histórico, em se preservar a forma original de uma obra, também é importante preservar, dentro do possível, a intenção original do autor, assim como a legibilidade para leitores modernos. Nos dois exemplos dados, eu diria que o texto de Eça diverge do uso atual (i.e., depois de "torno" usaríamos ponto e vírgula, e, depois de "noção", dois-pontos), como também observa Tereza Moura Guedes, em Falar Melhor, Escrever Melhor (via Ciberdúvidas):

O emprego deste sinal [dois pontos] é dos que mais têm variado com os tempos e as modas. Camilo Castelo Branco e Eça de Queirós, por exemplo, empregavam-no em vez do ponto e vírgula.

Nota-se também que, por exemplo, essa digitalização (PDF) feita pela Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro da USP, não apenas contém as trocas mencionadas na pergunta, como também troca "indifferente" por "indiferente" e também atualiza "commando", "janella", "grillo", "intelligente", "philosophia", etc., demonstrando o esforço de modernização da linguagem.

Esse tipo de atualização é comum, mas talvez seja mais notável em Eça de Queirós dado seu prolífico uso de sinais de pontuação.

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service and acknowledge you have read our privacy policy.

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.