3

Me deparei com as seguintes frases:

  1. O cinema é distante.
  2. A ponte está muito próxima.
  3. O hotel é por ali.
  4. A biblioteca está perto do bar.

Entendo que usar ser ou estar em qualquer dessas frases não alteraria o sentido, mas fui procurar algo que explique isso e vi que para localização devemos usar o verbo ser.

Existe alguma outra regra que explique o motivo de serem usados os dois verbos de modo intercambiável ou o uso do verbo estar seria informal nesse caso?

2
  • A localização é um assunto complicado mas não existe nenhuma regra. Além disso, eu não usaria nem ser ou estar. Usaria: ficar em português. Quem diz que os dois verbos se usam de modo intercambiável?? Algun desses gurus nadando nesses mares? Credo. :)
    – Lambie
    Sep 15, 2022 at 16:09
  • Em português (é não tradução literal a partir do inglês), se fala O cinema fica longe daqui.
    – Lambie
    Oct 3, 2022 at 15:48

2 Answers 2

3

Eu usaria "2. A ponte está muito próxima" se estivesse caminhando em direção a ela, portanto qualquer informação de localização seria transitória (por isso "está").

O "4. A biblioteca está perto do bar" eu não usaria, preferindo "é" ou "fica". Este uso de "está" para localização me soa mais como espanhol, mas pode haver regiões de fala portuguesa que também utilizem esta construção.

Já as frases 1 e 3 me parecem boas. Na frase 1, informalmente, eu diria "longe" em vez de "distante", mas o uso de "é" me soa bem. "O cinema fica longe" seria também uma alternativa.

3

Resumo:
Para distâncias tendemos a usar ser, mas em alguns casos estar se a distância é referente a algo transitório - por exemplo talvez durante uma viagem de carro.

Regra base

A regra base é que:

  • Ser é para estados permanentes, "sou peludo" - de maneira permanente.
  • Estar é para estados transitórios, "estou sujo" - só agora, neste momento, ou no presente próximo.

Quando apanho uma gripe estou doente.
Quando tenho uma doença crónica, sou doente.

Quando bebo uma garrafa de vinho, estou (fico) bêbado - só agora, hoje.
Quando bebo uma garrafa de vinho todos os dias, sou bêbado - sempre.

Uso

Uso geral

Geralmente um tipo de coisa é permanente ou transitória, e por isso é usada com um verbo ou outro:

  • O cinema é distante, é longe daqui.
  • A ponte é muito próxima (daqui).
  • O hotel é por ali.
  • A biblioteca é perto do bar.

E:

  • Sou peludo.
  • Estou sujo, quero tomar banho.
  • Sou inteligente.
  • O restaurante é caro.
  • A biblioteca é longe de minha casa.

Subtilezas

Mas a língua permite nuances detalhadas.

Usando os verbos ser e estar, parecidos mas diferentes, imprimimos subtilezas e pormenores precisos à nossa linguagem: às vezes ligeiros, às vezes imensos.

Não digamos ao chefe, na festa da empresa, que é bêbado! Bebeu talvez um pouco, estará ligeiramente tocado...

Peludo?

Digamos que o camarada Carlos Marques usa barba farta, mas eu rapo a barba. Então:

O Carlos Marques é barbudo. É peludo.
Eu não... normalmente. Mas tenho-me desleixado estes dias, e estou com a precisar de rapar a cara, que estou peludo e não me agrada.

Usamos "ser peludo" para falar de algo permanente (uma característica, um estado).
E usamos "estar peludo" para falar de algo transitório (uma característica, um estado) - o verbo estar transmite a informação que o estado atual "peludo" é algo transitório, e indica que o estado normal é não-peludo.

Sujo?

Por se enlamearem, achamos (injustamente!) que os porcos são sujos.

Por se limparem constantemente, achamos que os gatos são asseados; então se vemos um gato enlameado, dizemos que está sujo.

Exemplos da pergunta

A pergunta foca em casos de distâncias, posições de coisas imóveis:

  • O cinema é distante.
  • A ponte está* muito próxima.
  • O hotel é por ali.
  • A biblioteca está* perto do bar.

Geralmente, estas posições e distâncias são absolutas e por isso pedem o verbo "ser":

  • O cinema é/fica longe.
  • A ponte é/fica muito perto.
  • O hotel é por ali.
  • A biblioteca é perto do bar.

Mas quando estamos num contexto de movimento, a característica referente às distâncias torna-se transitória.
Usamos então o verbo estar:

  • O cinema ainda está longe, ainda demoramos meia hora a chegar.
  • A ponte está perto, abranda que é estreita.
  • (No caso do hotel, "[o caminho para] o hotel é por ali", não vejo como construir isso num formato transitório/de movimento.)
  • A biblioteca móvel costuma parar junto à Câmara Municipal, mas hoje está perto do Bar do Óscar.
4
  • 1
    Como sempre, agradeço sugestões comentários e críticas construtivas! :) Força, equipa de peer-review, escrutinai-me que estou a contar convosco! ❤
    – ANeves
    Sep 28, 2022 at 16:42
  • Talvez seja uma situação rebuscada, mas um exemplo em que vejo "está" funcionando no exemplo do hotel é o seguinte. --- Pessoa A: Essa região da cidade não é importante para nós. Pessoa B: Como não? O [nosso] hotel está ali. Pessoa A: Claro, mas falo importante de visitar.
    – stafusa
    Sep 28, 2022 at 18:12
  • Interessante, @stafusa , eu acho que usaria "Como não? O [nosso] hotel é lá." Suponho que são diferenças regionais.
    – ANeves
    Sep 30, 2022 at 16:05
  • Sim pode ser. Outra possibilidade é, apesar do hotel estar permanentemente no local, ele é "seu" hotel temporariamente apenas...
    – stafusa
    Sep 30, 2022 at 16:07

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service and acknowledge you have read our privacy policy.

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.