3

No seguinte exemplo da derivação deadjectival de um nome surge a vogal -u-:

Ceg-o > Ceg-u-eir-a

Reparem que o segmento -eir- é o sufixo derivacional. O segmente -u surge não por derivação mas por razões fonéticas para impedir que a base e o sufixo ao juntarem-se fiquem Ceg-eir em que o encontro -ge- se leria je pelas regras fonéticas habituais. A pergunta é pois como chamamos à vogal -u- neste caso e ao processo que a introduz?

Vou mencionar (embora não interfira com a pergnta e por isso podemos ignorar) que o -o com que termina a base derivante é o índice temático (pode ter variação de género sendo -o ou -a) que no produto derivacional fica -a.

4
  • Eu sei que a pergunta deve ser fácil e talvez até um duplicado, mas já procurei na gramática várias vezes e não encontro a explicação formal para isto.
    – bad_coder
    Aug 9 at 1:52
  • Uma pista: nos verbos estas mudanças chama-se "discordância gráfica" mas não sei como chamar a isto numa derivação.
    – bad_coder
    Aug 9 at 2:17
  • 2
    bad_coder, acho que estender o uso de discordância gráfica para substantivo é como estender o sentido de função para conjuntos que não sejam de apenas números,: o nome função por si nunca foi exclusivo de números, mesmo que tenha se usado mais assim. Ainda mais visto que «gu» pode ser visto como um único grafema.
    – Schilive
    Aug 9 at 3:55
  • @Schilive depois de me ter lembrado da termo "discordância gráfica" acho que também se deve aplicar na derivção e não só nos verbos, mas eu só me recordava de ter visto isto ser usado na flexão verbal. Tenho de confirmar na gramática. Também acho como dizes que "gu" conta como um único grafema.
    – bad_coder
    Aug 9 at 3:59

0

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy