2

No Português, certas palavras nativas oxítonas terminadas em i foram nasalizadas: si → sim, mi → mim, assi → assim, mai → mãe. Porém, outras não foram: ti → ti, aqui → aqui, ali → ali.
Qual é, se é que há, o padrão fonético por trás dessas transformações?

Além disso, por quanto tempo durou essa transformação?
Pois há palavras mais recentes ao vocabulário, de origem tupi, que a sofreram: tupiniki → tupiniquim (tribo nativa do Brasil, atualmente é sinônimo para “Brasileiro”), capi → capim (grama), mandubi → amendoim (por influência de amêndoa), waxini → guaxinim (mamífero americano).

3
  • 1
    Muita informação se encontra aqui: repositorio.uac.pt/bitstream/10400.3/1098/1/…
    – Lambie
    Commented May 2, 2022 at 20:11
  • Segundo o "Dicionário de tupi antigo" (Eduardo A. Navarro), são "tupinikĩ", "kapi’i", "mandubi" e "gûasunĩ" (onde apóstrofo significa /ʔ/ e circunflexo semivogal); comparar "aîpĩ/aîpi’ĩ", "kupi’ĩ", "mirĩ". Logo só "amendoim" e "capim" (cf "capivara") são exemplos mesmo, e talvez variantes incomuns como "jabutim". Mas não acho que tenham relação com a nasalização das palavras mais velhas "sim" (La. sīc), "alecrim" e "marfim" (Ár. al-ʔiklīl, ʕaẓm al-fīl, segundo o Wikcionário). E estas por sua vez parecem não ter relação com "mim, mãe, muito", que já iniciavam com nasal.
    – user13298
    Commented Aug 15, 2023 at 13:19
  • E compare com o espanhol "marfil", que deveria ser "(al)malfil". Seguindo a forma da palavra árabe, talvez houvesse "aleclil", com três "l". Dissimilações ou corruptelas? Vendo as etimologias árabes, há vários outros exemplos em que uma letra é trocada, perdida ou adicionada; não vejo uma regra.
    – user13298
    Commented Aug 15, 2023 at 13:33

0

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service and acknowledge you have read our privacy policy.

Browse other questions tagged or ask your own question.