3

Em frases interrogativas às vezes me confundo ao definir o tipo de sujeito da oração. Por exemplo na frase:

"É para eu comer, professora?"

Quais seriam os sujeitos da oração fazendo uma análise morfossintática completa?

A análise do seguinte período composto é interessante, porém, não é uma interrogação e me causou menos confusão.

"É preciso amar as pessoas."

Analisando o primeiro verbo e seu complemento, "é" seria verbo de ligação e "preciso" seria predicativo do sujeito.

O que é preciso? "Amar as pessoas". Logo, Oração Subordinada Substantiva Subjetiva contendo o verbo amar.

Amar está no infinitivo com um sentido genérico, então, nessa oração, o sujeito é indeterminado.

Mas na frase que apresentei inicialmente, não consegui identificar as estruturas sintáticas.

1
  • 2
    O verbo ser nesse caso é impessoal.
    – Lambie
    Nov 11, 2021 at 14:52

2 Answers 2

1

Sujeito é sempre aquele que realiza a ação. Nessa frase, quem irá realizar a ação de "comer" é "Eu", logo "Eu" é o sujeito.

8
  • 2
    para eu, não pode ser sujeito.
    – Lambie
    Nov 11, 2021 at 14:37
  • Podemos converter a frase e facilitar o entendimento. Digamos que, ao invés de "É para eu comer, professora?", eu dissesse "Professora, eu devo comer?", ou até mesmo "Professora, eu posso comer?". "para", "devo" ou "posso" acompanham o verbo, não o sujeito. O sujeito da ação de "dever comer" ou de "poder comer" continua sendo "Eu". Nov 11, 2021 at 14:43
  • Bem confuso, certo? Sujeito preposicionado? Talvez... se na verdade a preposição "para" introduzir uma oração reduzida de infinitivo. Se "eu" não é sujeito, tem função sintática de complemento e deveria ser oblíquo. E aí, @Lambie, o que você acha?
    – zewill
    Nov 11, 2021 at 14:47
  • @EvandroTeixeira, para ficar mais visível a conversão da frase poderia ser "Professora, é para eu comer?". Vou editar a questão apenas para sugerir uma análise morfossintática completa. Assim o caso fica melhor explicado.
    – zewill
    Nov 11, 2021 at 14:52
  • A frase dada é português "popular". E, o verbo ser aqui está sendo usado como infinito não flexionado e impessoal, do tipo: É proibido conversar durante a aula.
    – Lambie
    Nov 11, 2021 at 14:57
1

Frases como "é preciso [verbo] são impessoais. Ou seja, não tem sujeito. É preciso terminar o trabalho agora.

Que nem a canção e poesia de Fernando Pessoa (o melhor poeta da língua portuguesa!!)

Navegar é preciso, Viver não é preciso. Sem inversão, dá: é preciso navegar.

Só português

O infinitivo impessoal é usado quando apresenta uma ideia vaga, genérica, sem se referir a um sujeito determinado;

Exemplos:
Querer é poder.
Fumar prejudica a saúde.
É proibido colar cartazes neste muro.

Outro elemento importante na frase ou outra maneira de ver o assunto:

"É para eu comer, professora?" que seria uma fala popular (não é normal culta), não segue a regra do impessoal exatamente. Então, deixa aberta a possibilidade de ser analisada como uma elipse:

elipse

A elipse é uma figura de linguagem que está na categoria de figuras de sintaxe (ou de construção). Isso porque ela está relacionada com a construção sintática dos enunciados.

Ela é utilizada para omitir termos numa sentença que não forem mencionados anteriormente. No entanto, esses termos são facilmente identificáveis pelo interlocutor.

É para eu comer, professora?
Possibilidades:
Esse biscoito é para eu comer, professora?
Esse prato de feijão e arroz é para eu comer, professora?

Nestes casos, o sujeito seria: esse biscoito ou esse prato. Isso se chama um sujeito elíptico:

Sujeito determinado elíptico (oculto ou desinencial):

O sujeito será classificado como determinado elíptico (existem outras nomenclaturas, sujeito oculto ou sujeito desinencial) quando ele não for apresentando de maneira explícita na oração. Ele poderá ser reconhecido por meio da desinência verbal ou do contexto em que a oração é empregada.

sujeito elíptico

3
  • Ainda não entendi porque a frase não pode ser considerada norma culta, já que me parece estar correta e completa gramaticalmente. Ou toda frase com sujeito elíptico é considerada fala popular?
    – zewill
    Nov 12, 2021 at 0:05
  • Outra coisa, o período em questão seria composto? São dois sujeitos a se analisar?
    – zewill
    Nov 12, 2021 at 0:07
  • Já disse o que penso. Culto e não culto não depende da gramaticalidade. ead.unisc.br/blog/linguagem-coloquial
    – Lambie
    Nov 12, 2021 at 14:29

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service and acknowledge you have read our privacy policy.

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.