5

O gênero da palavra informal corona é fácil, já que ela vem de coronavírus, que é masculino por vírus ser masculino; então, corona é masculino. Mas o gênero de COVID-19 não é óbvio, nem do nome oficial do vírus SARS-CoV-2.

Então pergunto: qual o gênero de COVID(-19) e de SARS-CoV-2?

10

Do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa consta que SARS-CoV-2 é masculino e COVID-19 é feminino.


Quando a palavra é totalmente estranha à evolução natural da língua — e.g. siglas e nomes científicos —, a regra geral é que o gênero é aquele do especificador subentendido (o que determino por inspeção, por ora):

No caso que você traz, tende-se a tratar COVID-19 como a doença, pois vem de Coronavirus Disease 2019, e SARS-CoV-2 como o vírus, pois vem de Severe acute respiratory syndrome coronavirus 2. Logo,

  • O [vírus] SARS-CoV-2 tem ARN como material genético.
  • A [doença] COVID-19 causa mais problemas que a gripe.

Porém, como em alguns casos pode haver múltiplos especificadores comuns, o gênero pode mudar dependendo do contexto ou do especificador que o autor da frase prefere. Por exemplo,

  • Ele estacionou seu [carro] Chevrolet ao lado do hidrante!
  • Em geral, a [marca] Toyota se saiu melhor que a [marca] Chevrolet no quesito eficiência energética.
10
  • 2
    É exatamente isso, embora as pessoas confundam um pouco o gênero na hora de falar. Vale a pena citar que por vezes, o uso popular errôneo se difunde tanto, que consagra uma determinada forma. Foi o caso do dengue, uma doença que aprendi na faculdade como sendo do gênero masculino ("o dengue") e que, após as epidemias da última década do século passado, sofreu mudança de gênero ("a dengue") devido ao uso popular. Com 99% da população dizendo "a dengue", os dicionários passaram a classificá-la como substantivo feminino, e alguns poucos dicionários aceitam-na substantivo de dois gêneros.
    – Centaurus
    Sep 27 at 0:42
  • @Centaurus, exatamente. Não sei se não estará a acontecer isso mesmo no caso do covid aqui em Portugal. Não sei se neste caso é confusão. Eu sei que oficialmente é a covid, o pessoal da Direção Geral de Saúde na televisão diz sempre a covid, mas acho que eu e pessoas com quem falo tendemos a dizer o covid; sei lá, soa melhor...
    – Jacinto
    Sep 27 at 8:05
  • @Jacinto O "certo" seria "a" COVID porque o D é "disease". Mas ouço muitas vezes "o COVID" porque o interlocutor pensa em vírus, que é masculino. Já em inglês, não há esse problema, é tudo gênero neutro.
    – Centaurus
    Sep 27 at 13:48
  • 1
    @Centaurus, eu sei dessa justificação, simplesmente não acho a lógica suficientemente forte para me obrigar a a aceitar. Covid não é abreviação de doença do...; isso seria docov ou coisa assim. Portanto passa a ser mais uma palavra com outra qualquer, e não vejo que o seu género seja logicamente determinado por qualquer tradução que façamos do original (até porque eu posso traduzir the disease por o mal). E já há precedentes. Light amplification by stimulated emission of radiation deu-nos o laser, e radio detection and ranging deu-nos o radar.
    – Jacinto
    Sep 27 at 18:21
  • 1
    @Jacinto, a palavra COVID-19 vem de coronavirus disease + (20)19. O Houaiss interpretou como mal do coronavírus, enquanto o Priberam como doença. Então realmente tens um bom ponto. Acho que por ora vai conforme a opinião do falante, mas depois provavelmente será feminino, porquanto é a mais usada.
    – Schilive
    Sep 27 at 19:46

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.