17

Ter a ver com significa como sabemos estar relacionado com:

As marés têm a ver com a gravidade do sol e da lua.

A origem do agradecimento japonês arigato não tem nada a ver com o equivalente português obrigado.

Contudo não é nada óbvio como é que o significado de tem a ver resulta do significado das palavras individuais tem, a e ver. Alguém sabe como é que a expressão se formou?

Esta demanda é agora uma empresa internacional. Questões relacionadas: avoir à voir em francês e tener que ver em espanhol.

ENGLISH

What is the origin of the phrase ter a ver?

Ter a ver com (literally to have to see with, meaning to have to do with) mean, as everybody knows, to have some relation with:

The tides have to do (têm a ver) with the gravity of the sun and the moon.

The origin of the Japanese word arigato (thank you) has nothing to do (não tem nada a ver) with the Portuguese equivalent obrigado

It is however not obvious at all how the meaning of ter a ver emerges from the meaning of the individual words ter, a and ver. Does anyone know how the phrase came to be?

This quest is now an international enterprise. Related questions: avoir à voir in French e tener que ver in Spanish.

  • Quer dizer que isto é mito? "O português deu várias palavras ao idioma japonês: obrigado (arigato), botão (botan), vaca (waca), cadeira (kantera), vidro (bidro)." - fonte – brasofilo Sep 10 '15 at 5:53
  • 1
    @brasofilo Há muitas palavras japonesas de origem portuguesa, mas parece que arigato não é uma delas. – Jacinto Sep 10 '15 at 7:52
  • Até hoje acreditava fielmente nessas origem... o número de silabas confere e a fonética parece similar... mesmo que não seja assim, imagino em 1500, num porto japonês, visitantes e nativos se divertindo: arigato! obrigado! arigatooo! obrigadooo! – brasofilo Sep 10 '15 at 8:54
  • @brasofilo Pois, também eu acreditei. Até que uma japonesa me disse o contrário. As palavras japonesas de origem portuguesa parecem ser sobretudo nomes de coisas que os portugueses lá introduziram. Por isso, a "vaca" também me parece suspeita. Os japoneses já deveriam ter um nome para as vacas deles. – Jacinto Sep 10 '15 at 9:30
  • 1
    @brasofilo Pois, sabes, o pessoal entusiasma-se. Sabe que há palavras japonesas de origem portuguesa, e depois leva tudo à frente: qualquer palavra japonesa parecida com o equivalente português tem de ser de origem portuguesa! – Jacinto Sep 10 '15 at 22:18
11

Ter a ver é um galicismo, vide avoir à voir.

A expressão portuguesa correspondente é ter que ver:

As marés têm que ver com a gravidade do Sol e da Lua.

A expressão torna-se assim um pouco mais transparente: ter (alguma coisa) que (=para) ver. É uma construção análoga a "temos muito que fazer", "há muito que fazer".

Ainda assim, é difícil perceber o que ver significa neste contexto, já que a expressão está tão cristalizada. Mas o verbo correspondente é também usado em espanhol (tener que ver) e italiano (avere a che vedere). A expressão italiana põe-na um e outro dicionário sob o significado de "encontrar":

  1. incontrare: vedere un amico a teatro |lieto di vederla!, si dice per complimento incontrando qualcuno |guarda chi si vede!, (fig., fam.) salutando qualcuno che non ci si aspettava di incontrare |avere a che vedere, avere rapporto o relazione: con loro non ho niente a che vedere; il suo comportamento ha a che vedere con quanto è successo

E o outro:

5 estens. Incontrare: è molto tempo che non vediamo i nostri amici; oggi pomeriggio vedrò tuo fratello; che piacere vederti!

  • || Avere un rapporto, un contatto personale; far visita a qualcuno
  • || Andare a vedere qualcuno, fargli una visita: sono andato a vederlo all'ospedale; devo andare a v. il mio avvocato
  • || Avere a che vedere con qualcuno, con qualcosa, averci un rapporto, una relazione, averci qualcosa in comune: con quella gente non ho niente a che v.; anche lui ha a che v. con quella storia
  • ... (continua)
  • Até à preposição a eu consegui chegar: tenho dois filmes a ver . Esbarrei foi precisamente no ver: o que é que as marés veem? – Jacinto Aug 14 '15 at 16:45
  • @Jacinto Editei o post com mais alguma informação. – Artefacto Aug 14 '15 at 19:18
  • A tradução do italiano ajudaria muito a entender!! – falsarella Aug 17 '15 at 0:21
  • @falsarella Eu entendo o italiano muito imperfeitamente. Eles usam vedere alguém com o significado de econtrar alguém. Mas não vejo como é que isso ajuda. Já um exemplo no link avoir à voir me dá uma pista que vou incluir no corpo da pergunta. – Jacinto Aug 17 '15 at 21:46
  • @Jacinto encontrei qualquer coisa no ciberduvidas: ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/… e a sequela ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/… . Depois incorporo isto na reposta. – Artefacto Aug 18 '15 at 1:47
3

PORTUGUESE (in English below)

Apesar do esforço do Artefacto, esta questão vai ter que ficar em aberto, pois continuamos sem saber como ter a ver com apareceu. Mas entretanto eu pensei em duas hipóteses especulativas para a origem da expressão, as quais exponho abaixo. A premissa na base de ambas é que ter a ver com evoluiu de uma expressão cujo significado resultasse da combinação dos significados literais de ter, a e ver. Creio que ter a não oferece problemas: como explicado na resposta do Artefacto, pode significar ter que, ter de, ou ter para; por exemplo, ter que engomar uma camisa ou ter uma camisa para engomar é mais ou menos o mesmo que ter uma camisa a engomar. O problema está no ver.

Primeira especulação: ter a ver com evoluiu de ter a ver em. O equivalente em francês, avoir à voir dans, é usado. No Wiktionnaire o primeiro exemplo na explicação de avoir à voir, est-ce que j’ai quelque chose à voir là-dedans? pode traduzir-se por eu tenho alguma coisa a ver nisso? Nalguns contextos, alguém que nunca tivesse ouvido a expressão ter a ver em compreendê-la-ia perfeitamente a partir do significado das palavras individuais. Por exemplo se a Marta não tem nada a ver na casa da Vera, não há nada na casa da Vera que diga respeito à Marta, logo, não há relação alguma entre a Marta e casa da Vera. Com o passar do tempo esta expressão poderia passar a ser usada em contextos em que ver fosse usado mais metaforicamente. Por exemplo, não tenho nada a ver nesse assunto ou não tenho nada a ver na vida dela. Nestes exemplos ver ainda pode reter algo do seu significado literal, mas fica então aberto o caminho a usos onde ver nada tem de literal. Por exemplo, o Carlos diz que as melancias dele não cresceram por causa do calor excessivo, mas o calor não tem nada a ver nisso, ele é que não as regou, ou o fraco crescimento das melancias não tem nada a ver no calor. Agora só falta substituir em por com. Isso poderia acontecer por analogia entre ter a ver em e ter relação com.

Segunda especulação: a expressão foi sempre ter a ver com, mas inicialmente era usada apenas entre duas pessoas e quando havia alguma coisa para os dois realmente verem. Por exemplo, o João tem uma casa a ver com a Sara, mesmo para alguém que nunca tivesse ouvido a expressão ter a ver com, significaria que o João e a Sara querem (ou têm que) ver juntos uma casa por exemplo por terem decidido viver juntos. Isto significa que existe alguma relação entre eles. Com o tempo ter a ver com poderia ser usado para situações onde não houvesse necessariamente algo de concreto a ver com os olhos, simplesmente para indicar uma relação qualquer. Por exemplo, ó mãe, o Sr. Manel tem alguma coisa a ver com a D. Lena? Sempre que passa à porta dela, bate e fala com ela. Aqui poderia ou não haver qualquer coisa a ver literalmente. Mas fica aberto o caminho para usos onde ver é impossível, e ter a ver com mantém apenas o significado de ter relação com, como os céticos dizem que o aquecimento global não tem nada a ver com a acumulação de dióxido de carbono na atmosfera.

Em vária outras línguas existem expressões com o mesmo significado que são traduções literais umas das outras. Em inglês existe to have something to do with com o mesmo significado. A expressão poderia evoluir numa língua e o produto acabado, aplicado mesmo em contextos onde ver perdeu por completo o significado literal, ser importado pelas outras línguas. Isto parece-me pouco provável. Não estou a ver nós, por exemplo, passarmos a dizer coisas como as marés têm a ver com a gravidade do sol e da lua só porque noutra língua se usar a expressão equivalente com o significado de estar relacionado com. As expressões nas várias línguas poderiam ter evoluído independentemente (parece-me pouco provável); poderiam ter evoluído paralelamente influenciando-se umas às outras. Ou será que já existia no latim? Mas a questão de como ver perdeu o significado literal coloca-se onde quer que a expressão tenha evoluído.

ENGLISH

Despite Artefacto’s best efforts, this question remains open, for will still don’t know how ter a ver com arose. But in the meantime I’ve thought of two speculative hypotheses, which I explain below. The premise underlying both of them is that ter a ver com evolved from a phrase the meaning of which emerges from the combination of the literal meanings of the individual words. I believe ter a poses no problems: as Artefacto explains, it mean to have to (ter que, ter de or ter para); for instance, ter que engomar uma camisa (to have to iron a shirt) or ter uma camisa para engomar means the same as ter uma camisa a engomar (to have a shirt to iron). The problem lies in ver (see).

First speculation: ter a ver com (to have to see with) evolved from ter a ver em (to have to see in). The French equivalent, avoir à voir dans, is in current use. In Wiktionnaire, the first example of avoir à voir, est-ce que j’ai quelque chose à voir là-dedans? may be translated as eu tenho alguma coisa a ver nisso? (do I have anything to see in that?). In some contexts, someone who had never heard the phrase ter a ver em would understand it perfectly from the meaning of the individual words. For instance, if Marta não tem nada a ver na casa da Vera (Marta has nothing to see in Vera’s home), there is nothing at Vera’s that concerns Marta, so there’s no relationship between Marta and Vera’s home. With the passing of time, people might start using the phrase in contexts where ver (see) is used metaphorically. For instance, não tenho nada a ver nesse assunto (I have nothing to see in that matter) or não tenho nada a ver na vida dela (I have nothing to see in her life). In these examples ver may retain something of its literal meaning, but it opens the way for purely metaphorical uses of ver. For instance, Carlos diz que as melancias dele não cresceram por causa do calor excessivo, mas o calor não tem nada a ver nisso, ele é que não as regou (Carlos says his watermelons failed to grow because of the excessive heat, but the heat has nothing to see in that, the problem is that he didn’t water them) or o fraco crescimento das melancias não tem nada a ver no calor (the poor growth of the watermelons has nothing to see in the heat). Now we only have to substitute com (with) for em (in). This might happen by analogy between ter a ver em (to have to see in) and ter relação com (to have a relation with).

Second speculation: the phrase has always been ter a ver com (to have to see with), but was originally use only between two people when there was something to be seen by them. For instance, o João tem uma casa a ver com a Sara, (João has a house to see with Sara) would mean, even for someone who had never heard ter a ver com (have to see with), that João and Sara want (or have) to see a house together, for instance because they decided to live together. If two people have to see something together, there must be some relationship between them. Later people could start using the phrase in situations where there might not be anything to see with the eyes, simply to imply that there is some relationship. For instance, ó mãe, o Sr. Manel tem alguma coisa a ver com a D. Lena? Sempre que passa à porta dela, bate e fala com ela (mum, Mr. Manel has anything to see with Mrs. Lena? He always knocks at her door and talks to her). Here there might or might not be something to see literally. But the way would be open for other uses where seeing is impossible, and ter a ver com means ter relação com (to have a relation with), as in os céticos dizem que o aquecimento global não tem nada a ver com a acumulação de dióxido de carbono na atmosfera (sceptics say global warming has nothing to see with the accumulation of carbon dioxide in the athmosphere).

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.