2

Sou brasileiro e já fui muito criticado por familiares por usar preposição a + infinitivo como substituto do gerúndio, me dizendo que a + infinitivo tem sentido de futuro; ex.: “a mulher a falar foi roubada” seria equivalente a “a mulher que estava para falar foi roubada” ou “a mulher que ia falar foi roubada”.

Dou outros quatro exemplos para esclarecer (ou “[…] quatro exemplos a esclarecer”):

  1. “Pessoas a falar sempre há, mas nunca falando” = “pessoas para falar sempre há, mas nunca falando”;
  2. “O copo a cair no chão foi resgatado pelo garçom” = “o copo que estava para cair no chão foi resgatado pelo garçom” ou “o copo que ia cair no chão foi resgatado pelo garçom”;
  3. “Ele está a fazer há três anos” = “ele está para fazer há três anos” ou “ele 'fará' há três anos”;
  4. “Senhor, eu estou a fazer pra você. Entrego amanhã” =, ambos no sentido de obrigação, “senhor, eu farei pra você. Entrego amanhã”, ou melhor “eu hei de fazer pra você. Entrego amanhã”.

Então pergunto: eu já vi muitíssimo este uso, mas ele é comum? Em Portugal teria a mesma interpretação, já que lá é comuníssimo usar a + infinitivo substituindo o gerúndio?

5
  • Em Portugal, "está/estou a fazer" é decididamente = ’está/estou fazendo’, nunca futuro; não se percebe nos teus exemplos é a fazer o quê. Sem verbo auxiliar fica mais ambíguo, mas em princípio o contexto linguístico e extralinguístico esclarece. Por exemplo, "a mulher a falar a seguir" é futuro; "se eu vir uma mulher a falar com o João" é = 'mulher que está a falar com o João', e estando nós lá, e tu apontas para eles e me perguntas "quem é a mulher a falar com o João", eu entendo "mulher que está a falar com o João", presente. A despropósito, a zanga foi de pouca dura? – Jacinto Nov 29 '20 at 18:21
  • Schilive, é uma pergunta, então? – Jacinto Dec 1 '20 at 21:23
  • Schilive, que é que não compreendeste? Eliminaste tua conta anterior aqui no site e voltaste ao fim de pouco tempo. Isto foi uma zanga que durou pouco? Ou outra coisa qualquer? – Jacinto Dec 2 '20 at 9:12
  • Pois, sabes que perdeste a autoria de todos os teus posts anteriores? E que não serás notificado de comentários a esses posts ou novas respostas, nem poderás aceitar respostas às perguntas anteriores? Imagino que não conheças a expressão sol de pouca dura, que eu adaptei no meu primeiro comentário. – Jacinto Dec 2 '20 at 18:51
  • Schilive, há uma solução com menos efeitos secundários indesejáveis. Fazes log off, mas primeiro mudas a passaword para uma difícil de memorizar, tipo um longa cadeia aleatória de pês e bês maiúsculos e minúsculos, por exemplo, que terás de escrever num papel para não te esqueceres. depois guardas o papel numa gaveta fechada à chave numa ponta da casa, e guardas a chave numa caixa em cima de um armário alto noutra ponta. Creio que poderá resultar. – Jacinto Dec 4 '20 at 8:06

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Browse other questions tagged or ask your own question.