3

Estou corrigindo um trabalho de um aluno (numa matéria que não é Português) e fiquei com dúvida com relação à concordância de número com a palavra "como".

Essencialmente, o aluno escreveu algo equivalente a

  • Trataremos João e Pedro como adulto.

sob a premissa de que, como cada um de João e Pedro é um único adulto, a palavra adulto deve ser escrita no singular.

Do meu modo de entender, há discordância de número desse modo, pois "adulto" deveria concordar com "João e Pedro". Parece que, essencialmente, estamos omitindo alguns termos no meio da frase, que completa seria

  • Trataremos João e Pedro como [se eles fossem] adultos.

em cujo caso ficaria mais claro que o objeto "adulto" deveria concordar com o sujeito "eles". Por outro lado, também haveria a possibilidade

  • Trataremos João e Pedro como [se cada um deles fosse um] adulto.

Então ficam algumas dúvidas:

Na frase "Trataremos João e Pedro como adultos", qual a função das seguintes partes?

  • "João e Pedro como adultos"
  • "como"
  • "adultos"

e qual a concordância correta de "adulto[s]"?

Mais especificamente, a frase é parte de um exercício de Matemática; "Vamos escrever v e w como soma[s] de elementos de X e de Y", mas acredito que o exemplo que dei acima seja equivalente para os fins de concordância.

1
  • @Schilive Seria no primeiro sentido, tratando Pedro e João como adultos separadamente (mas ao mesmo tempo). Um exemplo mais específico do caso em questão (utilizando números naturais para simplificar, como você bem fez): "Vamos escrever 4 e 6 como somas de números naturais: 4=2+2 e 6=1+5".A minha dúvida é qual é o papel de "como soma de elementos de X e Y" especificamente; complemento nominal? adjunto adverbial? Qual regra se aplica para determinar o plural ou singular? – Questioner Oct 4 '20 at 4:08
2

É como adultos, no plural:

Trataremos João e Pedro como adultos

A meu ver, este tratar é um verbo transitivo predicativo, que seleciona um complemento direto (João e Pedro) e um predicativo desse complemento direto (como adultos). O teu exemplo é equivalente a:

Trataremos João e Pedro como sendo adultos

Esta análise segue a Gramática do Português da Gulbenkian (Lisboa, 2013, tomo II, p. 1351), que apresenta, entre outros, estes exemplos:

O Rui descreveu a chefe como uma pessoa instável

Identificaram o problema como muito sério

e explica em nota de rodapé:

Esta estruturas têm uma variante na qual o predicativo do complemento direto é introduzido pela forma gerundiva do verbo ser: cf., por exemplo, o Rui descreveu a chefe como sendo uma pessoa instável.

A Infopédia (dicionário da Porto Editora), indica tratar como um verbo transitivo predicativo, e encontramos um exemplo neste blog da Escola Secundária José Gomes Ferreira (Lisboa):

O professor tratou como sacaninhas os seus alunos

Aqui o predicativo (como sacaninhas) vem antes do complemento direto (os seus alunos), como acontece frequentemente nestas construções.

A Infopédia diz explicitamente que o predicativo do complemento direto “concorda em género e número com” o complemento direto (eles chamam-lhe objeto direto, que é uma terminologia alternativa). Isto torna-se evidente na variante com o sendo explícito:

Trataremos João e Pedro como sendo adultos

O sujeito implícito de sendo é recuperado da oração principal — João e Pedro — tornando claro que tem de ser adultos, pois o predicativo concorda em número com o seu sujeito. Para o sujeito implícito de sendo poder ser cada um de João e Pedro, para justificar o singular adulto, já teria de ser assim na oração principal, trataremos cada um de João e Pedro. Isto não mais que confirma a tua e minha intuição, que, vinda de de falantes nativos, nunca é de descurar.


Discordâncias

Na verdade, a Infopédia mais abaixo no mesmo artigo, citando a Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário, diz apenas que é “regra geral” que “o predicativo do complemento direto concorda, em género e número, com o complemento direto”. Não dão exemplos de “discordâncias”, mas não são difíceis de imaginar. O verbo ser permite discordâncias de género e número: Joana e Maria são um casal. Logo também diremos, trataremos Joana e Maria como um casal.

4
  • Agradeço pela resposta completa, e em especial pelas referências. Então, se entendi corretamente, em "Vamos escrever/descrever 4 e 6 como somas de números naturais" o "como somas de números naturais" também serve como predicativo do objeto "4 e 6", e o 'núcleo' (não sei se é a palavra correta) "somas" (usado como substantivo que requer complemento preposicionado) deve ser pluralizado? – Questioner Oct 4 '20 at 18:24
  • @Questioner, sim. Esqueci-me de mencionar isso. "4 e 6" é complemento direto de "escrever", e "como somas de números naturais" (e não "soma") é o predicativo do complemento direto. Sim, "somas" é o núcleo do sintagma nominal "somas de números naturais". – Jacinto Oct 4 '20 at 18:51
  • @Questioner, curiosamente, soa-me bem "trataremos João e Pedro como o Bruno" (="como tratamos o Bruno"), que tem um sintaxe diferente; também "trataremos João e Pedro como os adultos", ... em "como adultos", sem "os", eu assumo um "sendo", não um "tratamos". mas não me entra "trataremos João e Pedro como (tratamos) um adulto". De qualquer modo isto resultaria disparatado no teu exemplo dos números: "trataremos 4 e 6 como tratamos a soma de dois números naturais"? Todos com muito amor e carinho? – Jacinto Oct 4 '20 at 21:41
  • Realmente, "como [tratamos] o Bruno"/"como [tratamos] os adultos" me soa mais como oração adverbial de modo, dando qualidade ao modo de tratamento (o mesmo que é aplicado ao Bruno/aos adultos) e não a João e a Pedro. Mesmo no singular, "trataremos Pedro como os adultos" me soa aceitável (embora não muito natural), e dá a entender de que Pedro será tratado do mesmo modo que adultos são tratados. A palavra "tratar" não soa bem com os números no exemplo dado, pois parece ter sentido de analogia e não de utilizar uma propriedade factual deles. – Questioner Oct 4 '20 at 22:48
2

Deve concordar e estar no plural: adultos.

Sua segunda opção exige um "[se cada um deles fosse um]" implícito que não se assumiria naturalmente num contexto geral. A ausência do plural é uma característica bem comum da linguagem coloquial e é ela deve estar se manifestando no texto do teu aluno, como mencionado aqui para o caso do "tal qual".

Vale observar que se pode tratar "e Pedro" como um adendo, indicando com vírgulas (similarmente ao que se descreve aqui para "assim/bem como"). Assim, as duas frases seguintes são válidas:

  • Trataremos João, e Pedro, como adultos.
  • Trataremos João, e Pedro, como adulto.

Exemplos similares, para concordância verbal, podem ser encontrados aqui.

No caso da frase no teste de matemática, acho ainda mais importante usar o plural, para indicar que se tratam de somas em geral distintas.

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.