4

Olá,

Tenho uma dúvida sobre pretérito imperfeito e futuro do pretérito.

A dúvida é se posso usar os dois nos seguintes exemplos:

Gostaria de ir com vocês, mas não posso.

Gostava de ir com vocês, mas não posso.

Minha filha queria ser médica.

Minha filha quereria ser médica.

Sem a sua ajuda, eu não podia acabar o trabalho.

Sem a sua ajuda, eu não poderia acabar o trabalho.

Geralmente esses exemplos têm significados diferentes?

1

Sim, em geral, em pt-br, esses dois tempos verbais carregam significados distintos.

  1. Gostaria de ir com vocês, mas não posso.
  2. Gostava de ir com vocês, mas não posso.

(1) expressa uma possibilidade não realizada ou um desejo (aqui não realizado) - I'd like to go with you, but I can't.
(2) não se costuma usar em pt-br (*I used to like going with you, but I can't).

  1. Minha filha queria ser médica.
  2. Minha filha quereria ser médica.

(1) expressa desejo, realizado ou não, presente ou não:

  • "queria ser médica. E lutou muito para chega lá.";
  • "queria ser médica. Mas ele nunca conseguiu passar no vestibular."
  • "queria ser médica, depois se decidiu por psicologia."
  • "queria ser médica, tomara que consiga." (aqui seria melhor "quer")

(2) eu diria que é um bocado incomum. Por vezes se poderia usar o composto:

  • "Ela iria querer ser médica, se imaginasse ser possível."
  1. Sem a sua ajuda, eu não podia acabar o trabalho.
  2. Sem a sua ajuda, eu não poderia acabar o trabalho.

Ambos são similares, mas (2) indica provavelmente uma situação ainda mais distante de se realizar:

  • "eu não poderia acabar o trabalho, por isso não aceitei o projeto."

Enquanto contextos para (1) poderiam incluir:

  • "eu não podia acabar o trabalho, por isso tive que esperar por você."
  • "eu não podia acabar o trabalho, por isso chamei a Maria."
| improve this answer | |

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.