7

Sou brasileiro. No Brasil uma forma comum de se referir a outra pessoa com quem se está conversando é pela palavra "você".

  • você vai na praia hoje?
  • você está linda.
  • o que você prefere comer?

Você é bem aceito e não é recebido de forma negativa. É respeitoso, no Brasil.

E no Brasil quando se está falando com alguém de maior autoridade, ou alguém idoso, se diz "o senhor" ou "a senhora", pois denota mais respeito.

Mudei há pouco tempo para Portugal e noto que aqui não se fala "você".

O que usar então, em Portugal?

O "tu" até onde entendo é para quando se tem proximidade ou mais intimidade com o interlocutor.

Mas se eu falo com um jovem ou uma jovem que acabei de conhecer (onde talvez, "o senhor" não caberia) e eu não sei o seu nome, o que uso?

Obrigado.

  • 1
    Resumindo, o tu é o você do Brasil ;) – Jorge B. Mar 11 at 9:37
  • "Você vai na praia" ou "você vai no cinema" é considerado linguajar de quem tem pouca instrução. – Centaurus Mar 14 at 2:02
5

A forma de tratamento depende de muitos factores, como a situação social e a classe social, o dialeto e a idade dos falantes.

Do menos para o mais formal, temos tu, você, e finalmente o João, o pai, o senhor, a menina, o professor, etc.

Em Lisboa, tu usa-se:

  • Entre amigos, excepto amigos pouco próximos mais velhos,
  • entre familiares com uma relação de sangue próxima e geralmente também de sogros para genros. Os filhos tratarem os pais por o pai, os netos por o avô, etc., não é comum hoje em dia.
  • Ao falar com qualquer criança ou adolescente jovem,
  • entre colegas em qualquer escola ou faculdade,
  • de professores para alunos, em geral também na faculdade;
  • entre colegas de trabalho na maioria das empresas, mesmo de subordinados para superiores (exceto a falar com quadros de topo numa empresa grande),
  • para insultar alguém (por exemplo no trânsito),
  • em pessoas abaixo de cerca dos 40 que se conheceram em qualquer situação informal (numa festa, num ginásio, no café, etc.); em geral as mais novas (menos de 30) usarão entre si sempre tu a não ser em interações muito formalizadas (atendimento a clientes, por exemplo, e mesmo assim, em certos bares e outros estabelecimentos com um ambiente mais informal, os empregados tratam-te por tu e esperam que reciproques).

Em situações de fronteira, tu ocorre mais frequentemente se as duas pessoas forem do mesmo sexo ou se forem de uma classe social mais baixa. Por exemplo, um homem a pedir-me um isqueiro na rua (eu sou um homem de 32 anos) trata-me mais frequentemente por tu, mas as mulheres tendem a deixar mais distância, a não ser que sejam muito novas.

Você usa-se pouco em Lisboa, eu em particular nunca uso essa forma de tratamento. Mas vê-se:

  • de superiores para inferiores hierárquicos, ou entre iguais, em certas empresas,
  • entre amigos pouco íntimos/conhecidos mais velhos (> 50 anos),
  • de alguns professores universitários para os alunos,
  • em geral, entre pessoas com quem se tem alguma familiaridade mas uma relação afastada: por exemplo, entre vizinhos,
  • em publicidade.

Usar você com pessoas que não se conhece é pouco recomendado. O normal, se não encaixar na lista de casos para tu, é omitir qualquer forma de tratamento explícita. Em Portugal pode usar-se si / consigo em situações não reflexas, para além de lhe / o e sujeito omisso, que também são possíveis no Brasil, mas pouco usados.

Para o resto dos casos, para além da forma de tratamento poder ser ambígua, usa-se o nome da pessoa (e.g. A Maria pode chegar aqui?), o jovem, se for uma pessoa mais velha a tratar uma mais nova, ou, um pouco mais formal, o senhor/a senhora/a menina.

  • Parece contraditório: "Usar você com pessoas que não se conhece é pouco recomendado" e a sua lista. – Lambie Mar 12 at 16:41
  • @Lambie contraditório com que parte da lista para você? – Artefacto Mar 12 at 16:49
  • Um português da região do Minho disse-me, certa vez, que "você" é uma palavra desconhecida em Portugal. Talvez ele nunca tivesse ouvido, e generalizou. Mas, realmente, nas minhas idas relativamente frequentes, nunca alguém se dirigiu a mim dessa forma. E eu, limito-me a usar tu, o senhor, a senhora, ou o nome da pessoa com quem falo. – Centaurus Mar 14 at 1:58
  • Meus parentes do norte frequentemente dirigem-se a mim pelo meu nome: "o Luís gostaria de ir até tal lugar?" No princípio achava estranho mas atualmente eu até uso essa forma de dirigir-me a eles algumas vezes. – Centaurus Mar 14 at 2:07

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.