7

Há uma certa tendência para palavras paroxítonas com o tónico fechado (ô) no singular o terem aberto (ó) no plural. Exemplos com um acento gráfico inexistente na nossa ortografia só para indicar o timbre:

ôlho, ólhos
miôlo, miólos
ôvo, óvos
ôsso, óssos
pôço, póços
trôco, trócos
pôrco, pórcos
nôvo, nóvos
jôgo, jógos

E podia continuar aqui a acrescentar exemplos pela noite fora. Isto não é regra universal. Há muitos casos em que o o é fechado no singular e no plural: lôbos, bôlos, môços, etc. Mas a alternância entre ô e ó é bastante frequente. Onde há um padrão eu espero uma explicação. Mas qual será?

Há uma alternância parecida entre masculino e feminino: ôvo, óva; pôço, póça; pôrto, pórta; nôvo, nóva, etc. Aqui, li algures que é influência da vogal final: dá mais jeito à boca pronunciar ó se a seguir tiver de pronunciar um a; e mais jeito um ô se a seguir vem o som [u] (que é como pronunciamos aqueles oo finais).

Mas esta explicação não serve no caso da alternância entre o singular e plural, porque a vogal final é [u] em ambos os casos. Então, qual é a explicação para a esta alternância?

8
  • 2
    Acho a questão interessante, mas seria importante esclarecer por que os resultados de uma busca por metafonia plural são insatisfatórios. Por exemplo, esta e também esta outra pergunta do Ciberdúvidas, ou esta dissertação.
    – stafusa
    Jan 23 '19 at 0:13
  • 1
    Há também as fontes mencionadas neste artigo e também neste.
    – stafusa
    Jan 23 '19 at 0:14
  • @stafusa, eu nem sei se essa busca é insatisfatória, quanto mais... Eu faço essas buscas e leio essas coisas todas mas é para preparar respostas.
    – Jacinto
    Jan 23 '19 at 8:59
  • 1
    @ANeves, creio, tal como disse lá, que essa tendência do "ô" do singular passar a "ó" no plural contribuiu para o plural de avô ser avós (antigamente teria sido avôlo, avólos). Aqui a minha pergunta é porque é que há essa tendência. Vi alguns dos links do stafusa, e vêm lá ideias interessantes.
    – Jacinto
    Jan 23 '19 at 18:09
  • 1
    Muitas das palavras que indicas com alternância ô/ó têm ditongos nas línguas irmãs (ue em asturiano/castelhano/aragonês, uo em mirandês), cousa que indica haverem tido em latim um O curto. Seria esta evolução desde o latim o que favorecesse a alternância frente a outros O doutra origem que mantêm a qualidade? Jan 25 '19 at 6:13
1

O fenômeno se chama "Plural metafônico". Ocorre com várias palavras que mudam a pronúncia devido à mudança na fala. "Ovos", por exemplo, é estendido o primeiro 'o', o que o torna tônico.

1
  • 2
    Wellington Siqueira, bem-vindo ao Portuguese StackExchange! O Jacinto pergunta do motivo desse fenômeno, o que eu, na minha interpretação, não vi. Mas obrigado ainda assim.
    – Schilive
    Aug 23 at 23:21

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.