15

Mesmo após o acordo ortográfico ainda estão mantidas diversas diferenças entre o português europeu e o brasileiro. Porém no Brasil foi feita uma grande propaganda em cima desse acordo e por diversas vezes falava-se que ele serviria para unificar os dois dialetos o que não aconteceu de fato. Então se não era esse objetivo, por que o acordo ortográfico foi feito?

  • 1
    A ideia era tentar unificar ao máximo os dois dialetos, mas há coisas que não se podem passar por cima, como por exemplo fato que em Portugal é um terno. Então haveria confusão com fato (terno) e fato (de facto). – Jorge B. Jul 21 '15 at 13:41
  • @JorgeB. Acho realmente complicado por esse ponto, outro exemplo é com "Bichas" que em portugal é o mesmo que "Filas" para nós, mas se falar essa palavra aqui é um chingamento. O que não entendo é por que tentar unificar os dialetos, não seria mais interessante manter eles separados para evitar esse tipo de confusão? – RodrigoBorth Jul 21 '15 at 13:47
  • 2
    @JorgeB. sim, hoje quase não temos diferença, mesmo sendo possivel perceber pela forma como o europeu e o brasileiro escrevem. Uma coisa que tenho percebido é que por vezes tenho passado a escrever mais como o europeu. Talvez por sempre ter achado o dialeto europeu mais bonito de pronunciar, mas tenho adquirido esse costume inconsientemente desde a SO-pt e agora nessa nova exchange. – RodrigoBorth Jul 21 '15 at 14:04
  • 1
    @RodrigoBorth eu sou suspeito para falar mas concordo inteiramente contigo :) – Jorge B. Jul 21 '15 at 14:07
  • 1
    Grande pergunta e mais que nada eu acho interessante descobrir os acordos políticos que motivaram a decisão. Não o press-release oficial onde tudo são flores e luzes. – brasofilo Jul 21 '15 at 14:15
6

O texto integral do acordo ortográfico de 1990, ao qual estamos nos referindo aqui, está disponível na Internet. O anexo II desse documento explica que a razão para introduzi-lo foi justamente reduzir as diferenças ortográficas entre as variantes brasileira e europeia da língua, e explica individualmente os motivos por trás de cada uma das mudanças introduzidas.

Eu pessoalmente não consigo entender os motivos dados para a maior parte das mudanças propostas, visto que as maiores diferenças entre os dialetos, mesmo aquelas que transparecem na escrita, advêm de escolhas de vocabulário e gramaticais, e não de escolhas ortográficas. As reformas de acentuação são particularmente estranhas; não vejo qual o problema em se escrever "gôsto" (substantivo) para diferenciá-lo de "gosto" (verbo).

| improve this answer | |
  • Atenha-se aos fatos. Opiniões pessoais devem estar nos comentários, e não no corpo da pergunta / resposta. – Mindwin Nov 3 '15 at 12:50
4

Na verdade, a intenção do acordo ortográfico não foi unir os dois dialetos, até porque isso seria (é) impossível.
A real intenção do acordo ortográfico foi fazer com os dois dialetos ficassem mais parecidos e sem tanta inconsistência (na ortografia) e, também, aumentar o prestígio social da língua no cenário internacional.

Se pararmos pra analisar, quem escreve ou lê inglês britânico consegue entender muito bem o inglês americano, já que são pouquíssimas as diferenças na ortografia. O nosso português (brasileiro) era tão diferente do europeu que era muito difícil conseguirmos ler algo que fosse escrito por um português e vice-versa.
Não tenho plena certeza de que agora está mais fácil já que eu só comecei a interagir com pessoas de Portugal depois do acordo, mas nós podemos ver no SOpt (como disse o Jorge B. nos comentários) que é bem tranquilo nós entendermos os portugueses e vice-versa.

| improve this answer | |
  • 2
    Tem certeza que as ortografias eram tão diferentes assim? Elas me parecem estar no mesmo patamar das diferenças do inglês britânico e americano (ou seja, uma palavra diferente aqui e outra acolá). Alguns acentos em éi, éu, ôo, êe não me parecem ser de tão grande importância para reimprimir livros e dificultar a vida dos estudantes. Poderiam pelo menos ter consertado a berin[jg]ela: portuguese.stackexchange.com/questions/675/… – marcus Jan 28 '16 at 19:59
  • 1
    Também não concordo de jeito nenhum que acentos em duplas de letras de palavras que contenham: -éi; -ói; -ôo e -êe causem tanto alvoroço na reimpressão de livros, jornais ou revistas, quer sejam as pessoas estudantes ou não. A prova disso é que minha prima emprestou-me um livro de versão escolar e eu parei no meio do caminho pois além de ter falta de concentração, encontrei a palavra "paranóia" ou "paranóico" —não me lembro—(mas escrita segundo este Acordo) e nem terminei de lê-lo, de tanta raiva. Quanto à berinjela, não sei o que dizer. – tucasilvapontes11584 Nov 9 '16 at 15:02

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.