O Priberam diz que gibeira é o mesmo que que ‘algibeira’ ou ‘bolso’ e o jiló é uma planta ou o seu fruto. Mas a canção dá a entender que a tal “gibeira” é algo distintivo de um certo modo de vida do caipira, não uma vulgar algibeira qualquer; e jiló parece ser figurado. Falo claro da canção “Romaria” de Renato Teixeira, com letra aqui no letras (vou confessar que foi a primeira vez que ouvi com atenção esta letra absolutamente fabulosa):

É de sonho e de pó
O destino de um só.
Feito eu perdido em meus pensamentos sobre o meu cavalo.
É de laço e de nó, de gibeira, o jiló
Desta vida, cumprida a sol. [Ou “a só”?]

Sou caipira, Pirapora, Nossa Senhora de Aparecida...

O letras diz que é “a sol”, que é o que eu ouço também nesta interpretação da Elis Regina, mas ouço “a só” nesta do Almir Sater, o que confere com a letra no Letras Sertanejas, que por outro lado diz que é “gibeira ou jiló”, que para mim não faz sentido; Na interpretação do Renato Teixeira não tenho a certeza se é “a só” ou “a sol”. Mas “a só” eu compreendo; se for mesmo “a sol”, vou ter que fazer mais outra pergunta: significaria ‘ao sol’ ou ‘de sol a sol’ ou o quê?

Voltando à gibeira (só encontrei no Priberam), é claro que não é um bolso qualquer; deve ser algo que distingue o homem na história, tal como o laço e o nó. Mas o que é? E já agora, o que é o jiló naquele contexto? Jiló é uma planta e também o seu fruto (Priberam). Mas ali parece ter um sentido figurado. Dá a ideia que é metáfora para algo normalmente bom (mas o Priberam diz que é amargo), mas que no caso do nosso homem é simplesmente constituído de laço, nó e gibeira.

  • Quando comparo a letra de músicas em sites diferentes, por vezes me deparo com diferenças grosseiras e certamente uma das duas está errada. Ouvi as gravações e me parece que a vida é "cumprida a só" em ambas as gravações. Quanto ao "jiló", ele é um fruto muito amargo e "o jiló dessa vida" pode estar sendo usado como uma metáfora para "o amargor dessa vida". São as minhas impressões. – Centaurus Oct 8 at 14:32
  • Poderia ser "a só" (sozinho) mas como existem regiões do Brasil onde o sol é escaldante, poderia "a sol" significando "sob o sol". – Centaurus Oct 8 at 14:35
  • @Centaurus, "jiló" ser metáfora para 'amargor' faz todo o sentido. Eu tinha pensado algo do tipo "a enxada e a foice foram os brinquedos da minha infância", em que "brinquedos" é usado ironicamente; portanto com "jiló" sendo também irónico; mas "jiló da vida" = "amargor da vida" é muito mais direto e faz sentido. Eu pensei na possibilidade de "a sol" ser "sob o sol"; mas creio que mesmo no Brasil o corrente é "ao sol"? Mas tu ouves a Elis Regina cantar "a só", e eu tenho mais confiança nos teus ouvidos que nos meus nestes casos. Embora outros, presumivelmente brasileiros, ouvissem "a sol". – Jacinto Oct 8 at 19:49
  • @Centaurus, onde creio que não há dúvida é que é "E de [...] gibeira o jiló", e não do "É de [...] gibeira ou jiló"? Falta-no então o raio da "gibeira". Voltando ao jiló, cheguei a pensar que as pessoas se pudessem enfeitar com a flor do jiló; então o laço, nó, e gibeira, presumivelmente todos instrumentos de trabalho, seriam o enfeite dele. – Jacinto Oct 8 at 19:54
  • Quando falamos em jiló, a maioria das pessoas torce o nariz. Não sei se é um fruto conhecido em Portugal mas, pelas bandas de cá, o jiló tem poucos admiradores. E é amargo. – Centaurus Oct 8 at 22:33

É de sonho e de pó,
o destino de um só.
Feito eu perdido em pensamentos
Sobre o meu cavalo.
É de laço e de nó, de gibeira, o jiló
dessa vida cumprida a sól. -------------------Renato Teixeira.

Sendo o jiló um fruto amargo e que não agrada à maioria das pessoas, "o jiló dessa vida" é a metáfora para "o sofrimento, o amargor". E, trabalhando no campo, de sol a sol, a vida desse camponês a isso se resume: laços, nós, gibeira/bolso (onde possivelmente se estabeleceu o jiló) O que encontrei na literatura a respeito foi o seguinte:

  • o sujeito está perdido, sem rumo, e, embora consiga fazer algumas ações, elas não o conduzem a nada proveitoso e se encontram como que automatizadas: embora cavalgue, dê laços e nós, guarde algo na gibeira, o "eu?' permanece "perdido em pensamentos", tendo como destino apenas o sofrimento (o "jiló dessa vida") e o nada ("é de pó").1

  • "Às vezes somos laçados pelo destino a viver toda uma vida num só lugar, como atado por um nó."2

  • "Renato Teixeira fala da luta cansativa do viver camponês, uma carga da pesada e deveras amarga, como o fruto do jiloeiro.2"

  • "Passando para a segunda estrofe, o sujeito conta sua história pregressa. Seu "pai foi peão", portanto, além de figura ausente na família, também um que cumpriu a vida a Sol."1

  • "A "mãe, solidão". A poesia desse verso, em que nem o verbo "ser" está presente (o "foi" encontra-se elipsado) traz toda a fragilidade e tristeza em que viveu essa mãe. Enquanto o pai é caracterizado por sua atividade profissional, a mãe é um sentimento. Sozinha pela ausência do marido, criando os filhos, certamente também cumprindo a vida a Sol."1

    1. https://bollog.wordpress.com/2013/03/15/elis-regina/
    2. https://www.revistas.usp.br/significacao/article/download/65649/68264
  • Sim, creio que quanto ao jiló e ao "a sol" (no blog sobre a Elis está "a só"! lol) estamos decididos. Eu ainda gostava de ver essa "gibeira". Li também o artigo da USP, mas a autora dá o significado literal de "gibeira", como de tudo o resto, como sabido. No outro site dizem que é um bolso, mas bolsos tenho eu quatro só nas minhas calças! Deve ser uma bolsa ou sacola exterior que os dicionários dizem que "algibeira" pode ser. – Jacinto Oct 15 at 18:20

Your Answer

 

By clicking "Post Your Answer", you acknowledge that you have read our updated terms of service, privacy policy and cookie policy, and that your continued use of the website is subject to these policies.

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.