2

Gostaria de saber se é correto utilizar a palavra se no contexto da frase abaixo:

Foi iniciada uma luta para se descobrir de quem seria o prêmio.

0
2

A frase com o se está perfeita; sem o se é gramatical mas o sentido é um pouco estranho. Vamos por partes.

Com se

Vai ser iniciada uma luta para se descobrir de quem é o prémio

Este se é o chamado pronome indefinido e representa um sujeito indeterminado:* refere-se a pessoas não especificadas que vão descobrir de quem é o prémio. É como dizer “vai ser iniciada uma luta para as pessoas descobrirem…” Encontramos o mesmo se nas frases seguintes:

Come-se muito bem neste restaurante

Ainda se morre de fome neste mundo

Também aqui o se se refere a pessoas não especificadas: as pessoas comem muito bem no tal restaurante; algumas pessoas ainda morrem de fome.

Sem se

Vai ser iniciada uma luta para descobrir de quem é o prémio

Aqui dizemos que a luta é que vai descobrir de quem é o prémio. Isto fica claro se compararmos com outras frases exatamente com a mesma estrutura:

Vai ser contratado um detetive para descobrir quem fez isso. [O detetive vai descobrir.]

Vai ser contratada uma ama para cuidar das crianças. [A ama vai cuidar.]

Vai ser construída uma estrada para ligar a Vila Nova à Vila Velha. [A estrada vai ligar.]

A diferença é que é normalíssimo um detetive descobrir, uma ama cuidar ou uma estrada ligar; mas nós não dizemos habitualmente que uma luta descobre isto ou aquilo.


Nota:
* Existe uma análise alternativa da frase com se, em que o “se descobrir” é voz passiva sintética. A frase continua igual e igualmente correta. Só muda a classificação gramatical dos vários elementos, e o sentido muda ligeirissimamente: é como dizer “para isso se descobrir” em que “isso” = “de quem é o prémio”, que é mais ou menos o mesmo que dizer “para ser descoberto de quem é o prémio”. Alguns—só alguns—gramáticos insistiriam até que esta é a única análise correta, pois não admitem a possibilidade do se-sujeito indeterminado com verbos transitivos diretos como descobrir. Esses mesmo gramáticos rejeitam pela mesma razão a frase “vende-se casas”. Sobre este assunto ver esta pergunta e mais esta, em que se demonstra que eles não têm razão. Portanto as duas análises são possíveis. Eu prefiro a interpretação com se-sujeito indeterminado em vez da passiva sintética porque me parece que quem ouve a frase pensa muito mais naturalmente “para pessoas não especificadas descobrirem de quem…” do que “para ser descoberto de quem…”

2
  • A interpretação dada ao sujeito de "descobrir" na frase sem "se" não é certamente "a luta". Sem mais, a frase parece-me de interpretação idêntica àquela com "se". Isto mudaria se a frase estivesse na voz activa: Ele vai iniciar uma luta para descobrir de quem é o prémio. Aqui, contrariamente à frase com "se", o sujeito de "descobrir" é "ele". – Artefacto Sep 5 '18 at 10:33
  • @Artefacto, a frase sem "se" não me soa bem. Como é que vês o "descobrir"? Como denotando a ação independentemente de quem a pratica? Tipo "é preciso coragem para viver"? Com a oração principal na voz ativa é muito claro, mas muitas dessas frases não me soam bem quando se passa a oração principal para voz passiva: "ele encheu a banheira para tomar banho" está perfeito, mas "a banheira foi enchida para tomar banho" não me entra na cabeça. – Jacinto Sep 8 '18 at 6:35

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.