4

"Suicidar" significa "se matar", "tirar a própria vida".

Logo, falar "fulano se suicidou" seria redundante? Me parece (estou certo?) ser o mesmo que falar "fulano se se matou".

Porém falar "fulano suicidou" também fica estranho, está correta? Se não, qual seria a forma correta?

  • Sim, é redundante, mas há redundâncias que fazem parte da língua. – Rui Fonseca Nov 1 '18 at 23:59
  • Todo mundo fala assim. Fazer o que? O uso popular consagra. – Centaurus Mar 14 at 22:39
7

Suicidar-se ou se suicidar está correto e não é redundante. A questão é que em português o verbo suicidar não existe (não o encontras nos melhores dicionários, como o Houaiss ou o Aulete); o que existe é suicidar-se (Aulete) , e o se aqui não tem função reflexa—é antes um pronome inerente; faz parte do verbo, à semelhança de rir-se ou queixar-se. Cito a Gramática do Português Contemporâneo de Celso Cunha e Lindley Cintra (Lisboa, 2014, p. 510-12; negrito meu):

Muitos verbos são conjugados com pronomes átonos, à semelhança dos reflexivos, sem que tenham exatamente o seu sentido. São os chamados VERBOS PRONOMINAIS, de que podemos distinguir dois tipos:

a) os que só se usam na forma pronominal, como:

apiedar-se, queixar-se, condoer-se, suicidar-se

[...]

O PRONOME PESSOAL ÁTONO pode, assim, ser um marcador de reflexividade [...] ou integrar o verbo (nesta obra, designado “verbo pronominal”) com que se combina (valor inerente):

[...]

Como exemplos de verbos com pronome se inerente, poderiam apresentar-se os seguinte: admirar-se, apaixonar-se, arrepender-se, atrever-se, casar-se, enganar-se, esforçar-se, esquecer-se, indignar-se, lembrar-se, orgulhar-se, queixar-se, rir-se, suicidar-se, zangar-se.

Na prática podemos distinguir o se reflexo do inerente, porque podemos reforçar o reflexo com a mim mesmo, a ti mesmo, etc., enquanto o inerente não pode ser assim reforçado: conhece-te a ti mesmo, mas não riu-se a si mesmo ou suicidou-se a si mesmo (embora eu diga suicidou-se a si mesmo por brincadeira).

Já ha algumas perguntas que abordam esta questão do se inerente versus reflexo: arrepender-se é um verbo reflexivo? e the real meaning of ‘esquecer’.


É verdade que de acordo com o dicionário Houaiss (Lisboa, 2002) suicidar-se vem de suicida, formado por sui + cida, por analogia com homicida, e sui é o genitivo latino do pronome reflexivo se e -cida é o pospositivo latino que significa ‘que mata, que corta, que deita abaixo’. Logo poderíamos ser tentados a dizer que suicidar já significa ‘matar-se a si mesmo’. Mas isto seria incorrer numa falácia etimológica (ver na wikipédia em espanhol), isto é, pensar erradamente que o significado de uma palavra é determinado pela sua origem. Por essa ordem de ideias, comigo também seria redundante, já que vem em última análise de com + o latim mecum (Aulete), e mecum já significava ‘com mim’.

  • Como já dizia o Asterix, aqueles romanos deviam ser loucos. Falavam ao contrário: onde já se viu mim com (mecum)!? – Jacinto Aug 29 '18 at 7:52
3

Sim, a princípio é redundante, mas de uso consagrado: a forma com o "se" é a correta.

Convém notar, no entanto, que, conforme esclarece muito bem a resposta de Jacinto, por ser parte intrínseca do verbo, sem conter qualquer sentido reflexivo, o "se" é uma redundância apenas aparente.

  • Compreendo e concordo com o espírito (+1), mas não concordo totalmente. Vê a minha resposta (quando estiver pronta). – Jacinto Aug 29 '18 at 6:26
  • Na verdade, @Jacinto, tua resposta é muito melhor (inclusive atualizei a minha). Espero que o OP também reconheça isto e a aceite. – stafusa Aug 29 '18 at 7:39
  • 1
    Eh pá, obrigado; uma pessoa fica emocionada :) -- incluí uma nota acerca da falácia etimológica. – Jacinto Aug 29 '18 at 7:45

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.