5

Given these two possible word orders for using the reflexive pronoun:

  1. Eu me chamo.
  2. Eu chamo-me.

Are both those versions correct as written?

Under what circumstances would one version be preferred over the other and why, or is there no difference and the two of them are used completely interchangeably by all speakers and writers?

  • See here for a chapter on clitic positioning in the European variety. – Artefacto Mar 14 '18 at 1:47
  • That site is blocked by Malwarebytes.....we say reflexive pronoun in English, by the way..... – Lambie Mar 16 '18 at 18:21
5

Depende da variante da língua:

Portugal

Eu chamo-me.

Brasil

Eu me chamo.

Considerando que em português, tal como em espanhol, o pronome pessoal enquanto sujeito pode ser omitido, a palavra eu, neste caso, pode também ser omitida da frase.

| improve this answer | |
  • 1
    Considerando que em Português, tal como em Espanhol, o pronome pessoal enquanto sujeito pode ser omitido, a palavra "eu", neste caso, pode também ser omitida da frase. Isso é verdade, mas para brasileiros, especialmente na língua falada, isso soa estranho. – Renan Mar 15 '18 at 21:38
  • 1
    @Renan será assim tão estranho um brasileiro referir oralmente me chamo João ? Em Portugal é perfeitamente banal dizer chamo-me João. – João Pimentel Ferreira Mar 16 '18 at 19:30
  • Sim, na maior parte do Brasil. Existem alguns lugares onde se fala assim, mas são minoria. – Renan Mar 16 '18 at 19:43
1

Both expressions are correct Standard Portuguese, both in Brazil and in Portugal. But "Eu chamo-me" is preferred in Portugal, and very unusual in Brazil. In colloquial Portuguese, only "Eu me chamo" is used in Brazil.

In Standard Portuguese, the expression "Me chamo", without the pronoun, is deemed incorrect (if there are no other words in the sentence before "me"). But it is very usual in colloquial Brazilian Portuguese¹. I suppose that "Chamo-me", with no pronoun (which is correct Standard Portuguese) is also very usual in colloquial European Portuguese.

If there are other words, especially adverbs, before "me", then a proclitic construction might be preferable, and even mandatory, in Standard Portuguese (and on both sides of the ocean):

Eu não me chamo João.

*Eu não chamo-me João.

Ninguém sabe que me chamo João.

*Ninguém sabe que chamo-me João.

But:

Felizmente me chamo João.

Felizmente chamo-me João.


Footnotes

  1. This is true of all verbs, but especially of those forms where the last pre-vocalic consonant is the same as the initial consonant of the clitic, as is the case in "chamo-me" (or "chamaste-te") – the repetition of the sound is awkward for Brazilian sensibilities. "Chamava-me" or "chamas-te" would be marginally better received.
| improve this answer | |
1

No Brasil, a variante Eu me chamo é utilizada. Esse caso é um exemplo da colocação pronominal em próclise, onde o pronome vem antes do verbo.

A estrutura também é válida quando conjugada em outras pessoas e tempos verbais: ela se chama / meu avô se chamavamelhorei a formatação.

| improve this answer | |

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.