2

O metrô do Rio de Janeiro tem no sistema de som as seguintes frases: "atenção, portas se abrindo" e "atenção, portas se fechando". Já o elevador de um prédio por onde circulo com frequência, tem os seguintes avisos: portas abrindo, elevador subindo/descendo" e "portas fechando, elevador subindo/descendo". Estão as duas formas corretas? Caso estejam, há preferência de uma sobre a outra?

3

Fechar pertence à classe dos verbos de alternância causativa-incoativa . Estes verbos têm uma variedade transitiva causativa e uma variedade incoativa, que é intransitiva e inacusativa.

Esta classe não tem um comportamento homogéneo em relação ao uso do clítico anticausativo se. Alguns verbos requerem-no, para outros é opcional, e com outros o clítico não pode nunca ser usado. Pablo Ribeiro dá na sua tese de mestrado A Alternância Causativa no Português do Brasil: a Distribuição do Clítico se estes três exemplos (pág. 67):

(1a) A menina fechou a janela.
(1b) A janela fechou. / A janela se fechou.
(2a) A frente fria diminuiu a temperatura.
(2b) A temperatura diminui. / *A temperatura se diminuiu.
(3a) Os gritos apavoraram a molecada.
(3b) *A molecada apavorou. / A molecada apavorou-se.

Segundo o mesmo autor, no português brasileiro hodierno, o clítico se é obrigatório apenas em casos em que o uso é necessário para evitar ambiguidade, como verbos em que ambos os argumentos da forma causativa podem ser animados.

Em Portugal, o uso de se é muito mais comum, o que não quer dizer que não se ouçam por aí frases como a porta fechou sozinha.

Num texto cuidado, eu recomendaria o uso de se. Obras de referência, como o Dicionário de Verbos e Regimes de Franscisco Fernandes, apenas registam a acepção encerrar-se para a forma pronominal. Para a forma intransitiva encontramos somente cicatrizar, tornar-se denso/escuro e dar por findo o serviço/encerrar o expediente.

3
  • Então as frases marcadas com asteriscos são consideradas corretas devido à ambiguidade? – stafusa Jan 15 '18 at 20:11
  • @stafusa Não, o asterisco marca as frases agramaticais. A ambiguidade a que o autor da tese se refere é a de verbos como ferir ou preocupar, que, quando usados transitivamente podem ter os dois argumentos ocupados por entidades animadas, por exemplo o João feriu a Maria. Nesse casos, se tende a ser obrigatório na versão incoativa: o João feriu-se. – Artefacto Jan 16 '18 at 0:49
  • OK, assim fica claro porque você também prefere com "se". – stafusa Jan 16 '18 at 1:12
1

Ambos são corretos [1], mas para uso numa frase mais completa e em linguagem formal, eu diria que fechar, com esse significado, soa melhor com o pronome. Comparada à do metrô, a mensagem no elevador pode ter um sentido ainda mais 'mecânico', de notificação de status: "portas: fechando".

[1] Para o significado mais amplo (3: Pôr(-se) sobre outro de modo que ajuste e fique unido) o Michaelis confirma a necessidade do pronome na ausência de objeto, mas permite também o uso não pronominal numa accepção bem mais delimitada (25: Entrar na esquadria).

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.