1

Noto que, em pt-BR, o pretérito imperfeito do indicativo é usado para indicar passado, presente, e até mesmo o futuro. Como explicar esses usos? Estão corretos quando usados na norma culta? Vejamos os exemplos:

  • Eu gostava muito de nadar quando eu era jovem. (passado)
  • Eu tinha vontade de tomar um café agora. (presente)
  • Se ela me convidasse, eu ia. (futuro)
3
  • É o mesmo no português de Portugal entre outras línguas ibéricas (usá-lo como se fosse condicional). Em castelhano ainda não forma parte do registro culto, mas em Portugal sim, já vi muitos cartazes no campus da universidade de Coimbra que o empregava assim. O uso não é nada novo, com séculos de uso. – user0721090601 Nov 27 '17 at 19:15
  • Na terceira frase não se trata de futuro mas sim condicional. A segunda parece-me agramatical, eu interpretaria como imperfeito: tinha vontade mas já não tenho. Já agora, a primeira é pretérito imperfeito (diferente de pretérito perfeito). – Rui Fonseca Dec 1 '17 at 19:12
  • @RuiFonseca Trata-se do futuro do pretérito, ou condicional. – Centaurus Dec 11 '17 at 0:12
1

Tudo frases completamente legítimas. Embora o Pretérito Imperfeito seja um tempo gramatical do passado, nem sempre apresenta características temporais.

Esta primeira frase

(1) Eu gostava muito de nadar quando era jovem.

é de facto um exemplo do uso do Imperfeito com valor de passado. Mas o Pretérito Imperfeito tem muitas vezes uma forte dimensão aspetual e modal, e pode haver uma projeção para o futuro.

O teu exemplo denota um estado (gostar de nadar), pelo que a componente aspetual do Imperfeito não é muito saliente (o efeito é precisamente o de dar duração e remover o carácter télico (tender para um fim) do predicado, resultando em processos atélicos ou mesmo em estados, possivelmente habituais).

Em todo o caso, suponho que a tua dúvida seja mais sobre as duas frases seguintes.

(2) Tinha vontade de tomar um café (agora).

Neste caso, o Imperfeito refere-se a um futuro imimente, ideia que pode ser reforçada com agora. Este é um exemplo do valor modal do Imperfeito, que pode transmitir desejo, sugestão, ou pedido. Repara que vontade pode ser eliminado, e ficamos com uma frase semelhante, na qual se exprime um desejo ou uma sugestão:

(3) Agora tomava um cafezinho.

Esta frase também pode ser articulada com um oração condicional, mantendo-se o valor modal do Imperfeito:

(4) Se não tivesse de trabalhar, até ia beber um cafezinho.

Na tua última frase,

(5) Se ela me convidasse, eu ia.

o valor modal desirativo não é muito óbvio (embora possamos ainda ler na frase um desejo). Mas o Imperfeito pode ser (pelo menos no português europeu) usado em lugar do Condicional na oração consequente de uma construção condicional, com valor simplesmente epistémico. Na Gramática do Português (cap. 15, pág. 520), temos os exemplos:

  • Se a Maria tivesse lido o jornal já sabia / saberia as notícias.
  • A Maria tomava / tomaria esse remédio se o médico lho recomendasse.

Na Gramática da Língua Portuguesa (Maria Mateus e outras, 6.a ed. pág. 174), temos até a seguinte nota de rodapé:

A substituição do Condicional pelo Imperfeito não é recente na língua portuguesa, pois Barbosa (1822/71) já o atesta. Tal acontece também em outras línguas românicas, como é o caso do italiano.

Como a mesma Gramática diz, o Imperfeito nem sempre é substituível pelo Condicional em casos em que está articulado com uma condição:

  • Se tiver tempo, amanhã ia à biblioteca. (leitura volitiva)
  • Se tivesse tempo, amanhã ia/iria à biblioteca. (condicional contrafactual)
  • *Se tiver tempo, amanhã iria à biblioteca.
2
  • Muito explicativa a resposta. – Centaurus Nov 28 '17 at 15:32
  • 3, 4 e 5 são usos do imperfeito com valor de condicional. – Rui Fonseca Dec 1 '17 at 19:15
-1

"Eu gostava muito de nadar quando eu era jovem" está correto. Pretério imperfeito pode ser usado para expressar um hábito comum no passado, mas que não é mais no presente.

"Eu tinha vontade de tomar um café agora." está errado, deveria ser conjugado no presente. Mas posso falar "Eu tinha vontade de tomar um café até agora", que significa que você teve a vontade de tomar café, mas agora acabou, neste caso, o Pretérito Imperfeito indica a interrupção de uma ação.

Na frase "Se ela me convidasse, eu ia." está errado. A primeira parte "Se ela me convidasse" é o que chamamos de pretérito imperfeito do modo Subjuntivo, indicando uma condição no passado, mas que não foi realizado, e é seguido geralmente por um verbo no futuro do pretérito, que demonstra o "futuro alternativo" caso a condicional se tornasse realidade. Neste caso, "Se ela me convidasse, eu iria". Entretanto, é muito comum as pessoas contrair o "iria" como "ia", assim como contrair o "está" como "tá". Então, digamos que de forma informal, ainda é possível dar um ok nesta frase.

2
  • E muito comum ouvir-se "ah, eu tinha muita vontade de saber o que eles estão cochichando", com o significado de tenho vontade mas acho que não é possível. – Centaurus Nov 27 '17 at 22:05
  • -1. As frases declaradas "erradas" estão descritas em gramáticas e abundam na literatura. – Artefacto Nov 30 '17 at 12:29

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.