6

Numa resposta sobre uma dúvida da grafia de nené/neném/nenê é citado uma obra de autor português de 1902 (Luiz D'Araujo Junior, Por causa d'um algarismo, 1902) onde consta:

Em ella tendo o primeiro néné, baptisado de gratis...

Os professores de língua portuguesa no Brasil não cansam de repetir que esta expressão é incorreta, sendo o correto usar "de graça", "grátis", ou "gratuito". Exemplos declarando que é incorreto não faltam na internet, mas sem muitas explicações dos motivos de ser incorreto.

Se é incorreto, o texto de Luiz D'Araujo Junior está errado, ou modificações aconteceram na língua que tornaram esta expressão incorreta ? Quais ?

Uma das fontes que aponta como expressão incorreta: vestibular uol

  • Eu nem tinha reparado nesse "de grátis"; não me lembro de ter ouvido cá por Portugal. Há no Brasil quem diga? Para haver professores a corrigir... – Jacinto Aug 25 '17 at 20:37
  • @Jacinto. Sim, é uma expressão informal bastante comum. – Seninha Aug 25 '17 at 21:05
  • 3
    Sim há @Jacinto. Alguns o dizem de propósito para soar engraçado, outros o dizem provavelmente por ter aprendido a falar assim. Eu uso às vezes para soar engraçado. – Luciano Aug 25 '17 at 21:53
  • @Luciano Eu também uso pra soar engraçado. Assim como "é de grátis", também tem "é 0800" :-) – Filburt Nov 8 '17 at 15:18
  • No texto é "de gratis" e não "de grátis". Poderia ser Latim? Ou seja, talvez justificando o uso...? – Lambie Dec 2 '17 at 16:07
3

Parece-me difícil justificar o uso de de grátis (nem nunca ouvi sequer tal coisa). Todos os dicionários o dão como adjetivo (=gratuito) e, mais relevante para a pergunta, como advérbio (=gratuitamente).

Já sendo um advérbio, dizer de grátis faz tanto sentido como dizer *de gratuitamente. O complemento de um sintagma preposicional tem de ser um sintagma nominal (ou uma frase). Por exemplo, temos de repente (repente é um nome), mas apenas repentinamente (não *de repentinamente).

| improve this answer | |
0

O uso dessa forma é considerado errado atualmente apesar de ser até comum vê-la sendo utilizada no escopo do português coloquial. Porém como o texto é de 1902, para a época era a forma correta, visto que o coloquial era comum e não haviam ainda formalizações bem estruturadas.

| improve this answer | |
  • 1
    Não creio "de grátis" fosse a forma correta mesmo em 1902. Podes ver que grátis já era classificado como advérbio nos dicionários antigos (tens links a esses dicionários neste post). Quando apresentam exemplos, é sem o "de". – Jacinto Aug 30 '17 at 14:53
  • "na época o coloquial era comum e não haviam ainda formalizações bem estruturadas" - Em que você baseia essas afirmações? Elas parecem completamente falsas. – Luís Henrique Sep 2 '17 at 13:30
  • purl.pt/homepage/141/141_132.jpg – Lambie Dec 2 '17 at 16:28
  • COELHO, Adolfo, 1847-1919 A lingua portugueza : phonologia, etymologia, morphologia e syntaxe / por F. Adolpho Coelho. - Coimbra : Imprensa da Universidade, 1868. - 136 p. ; 21 cm – Lambie Dec 2 '17 at 16:29

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.