5

Ao enfatizar as pessoas que estarão no encontro, sendo uma delas o próprio interlocutor, qual forma é a correta ?

Pretende-se enfatizar a presença dos envolvidos inclusive do interlocutor:

  • Até o nosso encontro no dia tal com a fulana, vocês, e eu.
  • Até o nosso encontro no dia tal, comigo, a fulana, e vocês.
  • e outras combinações...

Quais formas são corretas ?

2
  • 2
    O teu título podia ser mais claro. Eu li e pensei, " 'encontro comigo', claro; 'encontro com eu' é um disparate. Mas depois, nenhuma das tuas frases me choca. Mas não sei elas serão aceitáveis; se não quisesse correr riscos, duplicaria a preposição: "encontro com vocês, a fulana e comigo" ou "encontro comigo, com a fulana e vocês". Ou reformulava: "encontro, em que estavam/participaram vocês, a fulana e eu".
    – Jacinto
    Jul 17, 2017 at 19:40
  • 1
    @Jacinto Editei. Acha que está melhor ?
    – Luciano
    Jul 17, 2017 at 19:52

1 Answer 1

3

O pronome "eu" deve aparecer após preposições em sua forma preposicional "mim". Ou seja, usa-se "para mim/de mim/sem mim" em vez de "para eu/de eu/sem eu" (exceto antes de orações subordinadas).

O mais certo seria usar "mim" quando a primeira pessoa aparece em posições não-inicial, ou usar a contração comigo quando a primeira pessoa aparece na posição inicial:

  • "[...] com a fulana, vocês, e mim."
  • "[...] com a fulana, mim, e vocês."
  • "[...] comigo, a fulana, e você."

Outra alternativa é simplesmente repetir a preposição em cada item da coordenação, obrigando o uso da contração e evitando ambiguidades:

  • "[...] comigo, com a fulana, e com você."
5
  • 1
    Não discuto se está certo ou errado, mas tanto "com a fulana, vocês, e mim" quanto "com a fulana, mim e vocês" soa muito estranho aos meus ouvidos. Mesmo porque, "vocês" não é um pronome oblíquo.
    – Centaurus
    Jul 22, 2017 at 21:00
  • 1
    @Centaurus. "Você" é um pronome não declinante e pode ser usado sem problemas após uma preposição; mas se desejar substituí-lo por um pronome oblíquo, há também "com a fulana, vós e mim". Mas ainda prefiro a construção em que se repete as preposições: "com a fulana, comigo e convosco/com vocês".
    – Seninha
    Jul 22, 2017 at 21:50
  • Entendo. Eu me referi ao português falado. Muitas vezes não uso determinada construção porque soa estranha, pedante ou até mesmo errada, embora seja a forma correta. Se eu estiver no meio da rua e for roubado por alguém, eu poderia gritar "pega ele, pega ele" mas jamais gritaria "peguem-no, peguem-no".
    – Centaurus
    Jul 23, 2017 at 0:13
  • Em português europeu esses "mim" também são dissonantes. Nisso eu concordo com o @Centaurus. E o mesmo para os outros: mim, ti, nos, vos. Nunca diria "Até o nosso encontro (...) com a fulana, vocês, e mim/ti/nos/vos.", diria ou «com a fulana, vocês, e eu/tu/nós/vós/vocês» ou «com a fulana e [vocês ou convosco] e comigo/contigo/connosco/convosco».
    – ANeves
    Feb 18, 2023 at 16:43
  • Acho que o cerne do meu desconforto é que se por um lado sim, o "com" tem de levar pronome preposicional (que se funde): comigo, contigo, com ele, connosco, convosco, com vocês, com eles. Mas por outro a frase não tem um "com" (diretamente) antes do eu/mim, então não soa nada bem com mim. Acho até que me é menos dissonante «vais-te encontrar com eu e fulana» do que «vais-te encontrar com fulana e mim». Será que isto é simplesmente um caso de divergência entre o "uso comum" e a norma gramatical?
    – ANeves
    Feb 18, 2023 at 16:52

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service and acknowledge you have read our privacy policy.

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.