8

Na bíblia, em Filipenses 2:8, temos o seguinte versículo:

E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.

Filipenses 2:8

Eu destaquei a parte que me chamou atenção de negrito. É que, nos dias atuais, seria motivo de muita chacota se você ouvisse alguém dizendo "ele humilhou-se a si mesmo". Alguém poderia dizer que tal pessoa cometeu um erro, uma redundância.

Mas eu gostaria de saber se isso realmente é uma redundância de acordo com as regras gramaticais, ou se simplesmente tem algum sentido usar "a si mesmo" depois da palavra "humilhou-se" (estou desconsiderando interpretações teológicas).

A frase correta não seria: humilhou a si mesmo ou simplesmente humilhou-se?

Atualização:

Encontrei outros versículos que contém o mesmo exemplo da aparente redundância, apenas para reforçar que a forma de escrita não foi usada apenas no versículo acima:

Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, mas, sim, aquele a quem o Senhor louva. 2 Coríntios 10:18


Porque não ousamos classificar-nos, ou comparar-nos com alguns, que se louvam a si mesmos; mas estes que se medem a si mesmos, e se comparam consigo mesmos, estão sem entendimento. 2 Coríntios 10:12

Nota: Versículos acima foram retirados da Bíblia Almeida Corrigida e Revisada Fiel

5
  • 1
    Sabes, o pessoal gosta muito de passar sentença. Depois apanha umas manias e repete-as acriticamente, como que todo o pleonasmo é vício. O pleonasmo é figura de estilo; só é vício se empregue à toa. Encontra-se essa construção na melhor literatura em língua portuguesa: desprezar-se a si mesmo (Erico Veríssimo, 1961) >>
    – Jacinto
    Jul 10, 2017 at 18:58
  • 1
    >> via-se a si mesmo (Machado de Assis), examinou-se a si mesmo (José Saramago, 1989); devorava-se a si mesmo (Alexandre Herculano)
    – Jacinto
    Jul 10, 2017 at 19:02
  • 1
    A vulgata (tradução latina da bíblia) usa, nos trechos que citaste, a expressão se ipsum(a) + VERBO (isto é, a si mesmo(a) se + VERBO), que também pode ser considerada como pleonasmo, pois usar apenas o pronome reflexivo se já seria suficiente. Em Coríntios II 10:18 usa-se ainda o pronome composto seipse, formado pela união daqueles. Creio que a escolha de a si mesmo se louva em 10:18 na tradução portuguesa é de caráter semântico (tal como respondido por Artefacto) e remete à escolha de seipsum commendat na tradução vulgata.
    – Seninha
    Jul 11, 2017 at 1:31
  • 1
    PS: ipsum(a) = a si mesmo(a), e commendare = louvar. Mas a minha bíblia traduz "commendare" como "recomendar", que seria a tradução literal e etimologicamente fiel.
    – Seninha
    Jul 11, 2017 at 15:36
  • não seria o "se" partícula apassivadora "ele foi humilhado por si mesmo"? Jul 13, 2017 at 14:42

2 Answers 2

12

Não há nada de extraordinário nessas frases. Pessoalmente, creio que ficam melhor com o reforço a si mesmo dada a infrequência do uso reflexivo dos verbos em questão ou da necessidade de contraste (em 2 Coríntios 10:18)

O análise tradicional é a de que se é pronome reflexo e expressão anafórica cujo valor referencial está ligado ao do sujeito (geralmente) e que si mesmo/próprio é um reforço do reflexo. Aliás, a possibilidade de existir reforço com mesmo/próprio é um teste usado para determinar a reflexividade de se (cf. *ele admira-se a si mesmo com o estado da situação, onde se é inerente ou pseudo-reflexo).

Nalguns casos, o reforço pode ser necessário para fazer a desambiguação entre a leitura reflexa e a leitura recíproca: (eles louvaram-se a si mesmos vs. eles louvaram-se uns aos outros).

1
  • 3
    Também para forçar uma leitura reflexa em vez de inerente: convencer-se a si mesmo, enganar-se a si mesmo, magoar-se a si mesmo.
    – Jacinto
    Jul 10, 2017 at 18:34
1

Existem dois tipos de pleonasmo: o pleonasmo vicioso e o pleonasmo literário.

O Pleonasmo Vicioso, também chamado de redundância, é um vício de linguagem. É um erro sintático não intencional que a pessoa comete por desconhecimento das normas gramaticais.

Exemplos: "Subir para cima": o verbo “subir” já indica ir para cima, elevar-se. "Descer para baixo": o verbo “descer” já denota mover de cima para baixo, declinar. "Entrar para dentro": o verbo “entrar” já indica passar para dentro. "sair para fora": o verbo “sair” é sempre passar de dentro para fora, afastar-se.

Pleonasmo Literário Já o pleonasmo literário (ou intencional) é usado com intenção poética de oferecer maior expressividade ao texto. Assim, nesse caso ele é considerado uma figura de linguagem.

Em outras palavras, o pleonasmo literário é utilizado intencionalmente como recurso estilístico e semântico para reforçar o discurso de seu enunciador. Observe que nesse viés, o escritor tem 'licença poética' para fazer essa ligação.

Exemplos:

“E rir meu riso e derramar meu pranto” (Vinicius de Moraes) “E ali dançaram tanta dança” (Chico Buarque e Vinicius de Moraes) “Me sorri um sorriso pontual e me beija com a boca de hortelã” (Chico Buarque)

Na Bíblia, que é um livro traduzido em excelente e exemplar português altamente erudito, temos inúmeros exemplos de pleonasmo literário, construídos por meio da repetição do pronome oblíquo, gerando um pleonasmos literário de grande efeito comunicativo:

"E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz." (Filipenses 2:8)

"Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão, e beba deste cálice." (1Cor 11:28 - Almeida Revista e Corrigida)

"Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem irá por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim." (Isaías 6:8 Versão Almeida Revista e Atualizada).

Espero ter ajudado.

1

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service and acknowledge you have read our privacy policy.

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.