4

Eu estava estudando a gramática de algumas línguas românicas e notei uma peculiaridade de como a gramática do português é formalizada, em especial o português brasileiro.

As línguas derivadas do latim têm sistemas de flexão verbal similares, apresentando algumas flexões em comum, como na palavra "cantaría/cantaria", comum ao português, espanhol, galego, etc. Em todas as gramáticas e tabelas de conjugação de todas as línguas românicas que li, tal conjugação chama-se condicional (ou tempo condicional). E.g., no castelhano, no italiano, no romeno, no francês e no português europeu.

Porém, nas gramáticas feitas para o português brasileiro, tal conjugação chama-se futuro do pretérito (enquanto que o tempo futuro passa a se chamar futuro do presente).

  • Por que tal diferença existe na gramática do português brasileiro?
  • Qual é a lógica por trás dos nomes "futuro do presente" e "futuro do pretérito"? (I.e., por que faz sentido atribuí-los às respectivas conjugações?)

Na minha opinião, é muito mais óbvio e intuitivo dizer que "cantarei" e "cantaria" estão no futuro e no condicional, respectivamente, do que em diferentes flexões do tempo futuro.

  • "Futuro do pretérito" é um nome que nunca fez sentido pra mim... – user1798 Jul 6 '17 at 15:14
  • 1
    Em castelhano, denomina-se também «pospretérito» (é dizer, futuro do pretérito). No asturiano, pode ser quer condicional quer presente do modo potencial. – user0721090601 Jul 7 '17 at 6:53
  • 2
    @hugo Maria diz hoje «amanhã farei X», em dois dias, eu poderia dizer «há dois dias, Maria disse-me que faria X ontem». O tempo da narração fica dois dias no passado, mas a ação (de fazer X) ocorre um dia depois, que obviamente está no futuro com respeito ao tempo de narração. – user0721090601 Jul 7 '17 at 7:00
  • Ups, disse que era o presente do potencial no asturiano, que é errado, quis dizer o pretérito do potencial (o presente do potencial é o mesmo do futuro haha) – user0721090601 Jul 7 '17 at 16:55
3

Pelo que pude verificar, esta conjugação também era chamada de condicional no Brasil. Porém, a sua denominação foi alterada em 28 de janeiro de 1959, pela Portaria nº 36 do Ministério da Educação e Cultura.

A Portaria baseou-se no trabalho feito por uma comissão de estudiosos (citados no link acima), que sugeriu várias mudanças, entre elas a alteração da denominação de condicional para futuro do pretérito - na página 4 do link acima, na seção VI - Verbo, item c:

c) de tempo: presente; pretérito: imperfeito (simples e composto); perfeito (simples e composto); mais que perfeito (simples e composto); futuro do presente (simples e composto) e do pretérito (simples e composto).
Nota: A denominação futuro do pretérito (simples e composto) substitui a de condicional (simples e composto);

este artigo afirma que Portugal não participou da mudança, embora não mostre evidências do mesmo. Este mesmo artigo ainda sugere uma hipótese para as motivações de tal alteração:

... uma das hipóteses de sua ocorrência pode ter sido o fato de que a condição, nesse caso, não reside no tempo verbal sob análise, mas na estrutura sintática da outra oração como um todo, como é fácil verificar no seguinte exemplo: "Eu compraria uma casa, se tivesse dinheiro".

| improve this answer | |
1

Em complemento à resposta de user1798, a lógica em que os nomes se baseiam consiste em diferenciar as ações que ocorrerão futuramente em relação a seus referenciais.

Futuro do presente

O que acontecerá após agora; acontecerá depois, utilizando como referencial o presente.

"Ele fará o dever de casa.". Neste exemplo, 'ele' fará depois, depois de agora, isto é, o presente.

"Amanhã eu irei à praia.". Amanhã é posterior ao presente e ao passado, porém o presente tem prioridade, pois algo que ocorre posterior ao passado referenciado mas antes do presente seria futuro do pretérito.

Futuro do Pretérito

O que acontecerá após o passado e antes do presente, algo que ocorreria em um tempo futuro àquele que estamos narrando ou referenciando; ou algo que iria se desenrolar se uma condição presente/passada fosse/tivesse sido diferente.

"O garoto deparou-se com uma grande entrada, na qual ele entraria após perceber que ela o levaria a seu destino.". Após deparar-se com a entrada, o garoto entrou; tudo isso ocorreu no passado, porém a entrada do garoto foi depois da deparação.

"Eu jogaria com ele se não estivesse chovendo.". Se água não estivesse caindo do céu agora, o jogo aconteceria.

"Eu teria jogado com ele se não estivesse chovendo.". A oportunidade de jogar e a chuva naquele momento já passaram. Se água não estivesse caindo do céu no passado, o jogo teria acontecido nesse mesmo passado.

| improve this answer | |

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.