3

Vi a frase a seguir na rede social Linkedin.

enter image description here

Quando fui fazer um comentário e fiquei com dúvida na regência do verbo lembrar.

Exemplo:

I) Tem razão, é bom lembrar-se dessa liberdade :). Para nos fazer esquecê-la existem muitas pessoas.

II) Tem razão, é bom lembrar dessa liberdade :). Para nos fazer esquecê-la existem muitas pessoas.

III) Tem razão, é bom nos lembrar dessa liberdade :). Para nos fazer esquecê-la existem muitas pessoas.

IV) Tem razão, é bom lembrar essa liberdade :). Para nos fazer esquecê-la existem muitas pessoas.

Qual seria a melhor opção? Por quê?

4

Lembrar tem muitas regências possíveis. As regências ideais dependem do que queres dizer exatamente. Apresento aqui as que me parecem relevantes para a tua pergunta.

1. ‘manter na memória, pensar em’―lembrar algo:

(IV) é bom lembrar essa liberdade
é bom lembrarmos essa liberdade

Portanto aqui estarias dizer, por exemplo, que as pessoas que mantêm na sua mente a liberdade tiram daí prazer, ou que é bom para a sociedade que nós mantenhamos a liberdade nas nossas mentes, ou até que é um dever nosso manter a liberdade nas nossa mentes.

Encontramos esta regência para este sentido em vários dicionários:

lembrar bons momentos/a infância (Aulete 1)
Lembrou o tempo em que vivia no Rio (Michaelis 2)
lembravam a figura do João com saudade (Houaiss, Lisboa, 2003)

2. Parecido com o anterior, mas com mais ênfase em ‘não esquecer’ ou em ‘trazer à ideia, à atenção consciente’―lembrar-se de algo:

é bom nos lembrarmos dessa liberdade / é bom lembrarmo-nos dessa liberdade

É também possível é bom lembrar-se dessa liberdade para dar um conselho a alguém:

(I) é bom [você/o senhor] lembrar-se dessa liberdade

Exemplos com esta regência e sentido:

já não se lembrava de onde tinha posto a chave (Aulete 1)
Como vai a senhora, dona Alice? Lembra-se de mim? (Michaelis 2)

Eu encontro com este sentido no Google Books lembrar de algo (II, “é bom lembrar dessa liberdade”). A mim soa-me estranho, porque é uma regência que não se ouve em Portugal. Também não a encontro nos dicionários. Poderá ser uma regência que seja aceite apenas coloquialmente no Brasil.

3. ‘chamar a atenção a alguém para’―lembrar a alguém algo ou lembrar alguém de algo:

é bom [você] nos lembrar essa liberdade
(III) é bom [você] nos lembrar dessa liberdade

Lembrar alguém e lembrar a alguém ficam iguais quando o alguém somos “nós”. Aqui estarias a dizer que foi bom que a pessoa que postou a mensagem nos tivesse lembrado a/da liberdade. A minha primeira impressão foi que não era este o sentido que pretendias, pois a frase não me soava muito bem sem explicitar o sujeito que lembra. Mas vendo melhor o contexto, provavelmente até é mesmo isto que queres.

Já temos uma pergunta sobre a regência nesta aceção: lembrei ao João o seu dever / lembrei o João do seu dever. Exemplos das duas regências neste sentido:

lembrar a alguém algo
O rapaz lembrou ao pai o trato que haviam feito (Michaelis 1)
lembrou ao marido que a conta de luz tinha que ser paga (Aulete 4)

lembrar alguém de algo
Lembrou o empregado de suas obrigações (Aulete 3)
Lembrei-o do documento que tinha que assinar (Aulete 4)


Eu foquei aqui apenas as aceções que me parecem relevantes para os teus exemplos e contexto. Lembrar pode ser usado com várias outras conotações. Nesta pergunta sobre lembrar vs recordar encontras uma discussão mais abrangente, mas naturalmente não dirigida à tua pergunta em particular.

  • "Lembrar a alguém algo" (em que "algo" é o sujeito) também pode significar "não se esquecer": "não me lembram os pormenores". – Artefacto Mar 30 '17 at 23:11
  • @Artefacto É verdade, mas não lembraria ao diabo essa aceção no contexto desta pergunta, creio. Mas juntei uma nota a limitar o âmbito da resposta. – Jacinto Mar 31 '17 at 0:02
1

Embora todas as quatro formas sejam encontradas "no campo", a regência correta de lembrar é: quem lembra, lembra alguém de alguma coisa. Então o correto, de acordo com a norma culta, é:

Tem razão, é bom [você] nos lembrar dessa liberdade.

Ou

Tem razão, é bom [nós] nos lembrarmos dessa liberdade.

No segundo caso, é claro, a lembrança se torna mais genérica: é bom que as pessoas se lembrem, em vez de ser bom o interlocutor lembrar as pessoas (da liberdade).

  • Ou lembra a alguém alguma coisa – Jacinto Mar 30 '17 at 21:31
0

Acredito que todas são gramaticalmente aceitas como corretas. Porém, se eu fosse comentar, utilizaria nessa ordem considerando Pt-BR.

  • II
  • III
  • I
  • IV

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.