7

Se alguma pessoa ou coisa não tem importância ou qualidade, dizemos que é de meia-tigela. A expressão parece estar em uso em todo o mundo lusófono: temos “políticos de meia tigela” em Angola (se fosse só lá!); um autodenominado Poeta de Meia-Tigela no Brasil; um “escrevinhador de meia-tigela" em Cabo Verde; “jornalistas de meia-tigela” em Moçambique; “feministas de meia-tigela” em Portugal (isto começa a ficar deprimente); oh não! e mais um “político de meia-tigela” em São Tomé e Príncipe.

Agora, o que eu quero saber é donde é que isto vem. Encontram-se milhentos sites com explicações; uso documentado ou fontes é que não. Em quase todo o lado se diz que isto vem da fidalguia ou casa real portuguesas. O Brasil Escola tem uma explicação muito elaborada, segundo a qual se chamaria no Portugal medieval fidalgos de meia-tigela aos filhos segundos que não herdavam terras nem participavam num banquete ritual onde se quebrava a loiça. No Globo.com diz-se que se chamava meia-tigela a funcionares menores da corte, que, de acordo com o “Livro da Cozinha del Rei”, recebiam uma ração inferior. No Significados encontra-se uma explicação diferente, que meia-tigela tinha a ver com os escravos que recebia menos comida se trabalhassem menos. O problema é que ninguém explica como é que sabe isto.

Então o que eu procuro é uma explicação da origem, completa ou não, mas devidamente documentada. Nomeadamente, gostaria de saber quais são, e de quando são, os exemplos mais antigos desta expressão. Aí ficaremos a saber se é fidalgo, criado ou escravo de meia-tijela. E gostaria também de saber quando é que se começa a ver a expressão usada fora do contexto original, isto é aplicada a outras personagens, como jornalistas ou políticos.

5
  • É uma expressao que se mapeia bem no ingles "half assed" – Bruno Costa Dec 15 '16 at 11:46
  • Jacinto, eu diria que a expressão já foi muito usada no Brasil mas que, nos dias de hoje, seu uso anda em queda. Não tenho ouvido adolescentes e adultos jovens usando-a, o que pode torná-la obsoleta dentro de algumas décadas. – Centaurus Dec 15 '16 at 15:56
  • @Centaurus Parece nao ser muito usada de fato google.com/trends/explore?date=all&q=meia%20tigela. Mas ainda dá 489,000 resultados no google – Bruno Costa Dec 15 '16 at 16:00
  • banquete ritual onde se quebrava a loiça ... será que é daqui que vem a expressão «partir a louça toda»?? – ANeves thinks SE is evil Dec 15 '16 at 17:33
  • @ANeves Era preciso saber se esses banquetes realmente existiram. – Jacinto Dec 15 '16 at 18:19
3

Fui procurar as primeiras ocorrências na literatura, no google books.

Data de 1813, no mensário Correio Braziliense ou Armazém Literário, publicado por Hipólito José da Costa Pereira Furtado de Mendonça é o primeiro a usar a expressao "de meia tigela". A expressão ocorre duas vezes, a primeira das quais na página 168

...e finalmente opprimio a soberba dos fidalgos de meia tigela desta ilha, a cujos empenhos nao attendia

Já na outra ocorrencia, na página 335, a expressao "de meia tigela" também está associada a fidalgos

... que o Insulano (talves por espinha,) chama Fidalgos de meia tigela...

Segundo ainda os restantes livros da mesma pesquisa pode concluir-se que a expressão "de meia tigela", anda sempre associada a um ou mais indivíduos, ou a grupos sociais (tipicamente nobreza, daí o uso de fidalguia).

O primeiro livro a apresentar o uso da palavra associado a outras coisas data de 1886, intitulado de Almanach de lembrancas Luso-Brazileiro, aparece a dita expressão na seguinte frase:

Era um d'aqueles bailes de meia tigela que tanto se usão em Paris

5
  • "Cabe aos outros usuários [...]". E cabe-te a ti dizer o que cabe aos outros, o isto é só uma maneira de dizeres que não tás para te chatear mais? :) Nas duas passagens, é fidalgos de meia tigela, mas uma limitação disto é que só com um exemplo não dá para ver se a expressão se aplicou primeiro a fidalgos ou a outra coisa qualquer. E como tu às vezes és um bocado apressado, será que isto é mesmo a primeira ocorrência do Google Books? – Jacinto Dec 15 '16 at 18:29
  • @Jacinto Foi uma forma genuina de dizer que a resposta nao está completa. Afinal de contas nao respondi á parte "saber quando é que se começa a ver a expressão usada fora do contexto original, isto é aplicada a outras personagens, como jornalistas ou políticos". Segundo a perquisa que fiz, e acabei de confirmar, os restantes livros sao datados depois deste. Poderás eventualmente ter outros resultados com uma pesquisa diferente, ou noutros motores de busca... sei lá... O problema é que para este tipo de perguntas qualquer fonte que uses vai acabar por ser sempre uma aproximacao. – Bruno Costa Dec 15 '16 at 23:09
  • @Jacinto Ainda assim, creio que vou dar algúm crédito creio que há uma forma simples de melhorar a resposta. – Bruno Costa Dec 15 '16 at 23:25
  • Acho importante ver várias das ocorrências mais antigas, para ver se a expressão é sempre aplicada a fidalgo ou a outras coisas também. Há o dicionário do Bluteau, 1712-28 que talvez valha a pena consultar. E há por vezes nos resultados do Google uma Enciclopédia de 195? (aparece mesmo "195?") que por vezes traz citações de autores antigos, por vezes mais antigos que o mais antigo dos livros. – Jacinto Dec 15 '16 at 23:33
  • tijela nos dicionários antigos, especialmente no Bluteau. Tenho no meta um post com links aos dicionários (links mais práticos que o que incluí no comentário acima). Por vezes os dicionários trazem a palavra ou expressão antes de qualquer livro no Google; e podem trazer alguma coisa que elucide o significado, uso, etc. – Jacinto Feb 1 '17 at 18:12
1

Pequena contribuição. Fidalgo de meia-tigela já vem em 1721 no Vocabulario Portuguez e Latino de Raphael Bluteau (volume da letra Q, pág. 163):

Tigêla. Vaso concavo, em q de ordinario se põem sopas, doces, & outros mãjares. [traduções em latim com explicações].
Fidalgo de meya tigela; aquelle que he meyo Fidalgo. Fidalgo de quarto de tigela. Aquelle que ainda he menos Fidalgo, que o primeyro. São modos de fallar familiarmente.

A data impressa do volume é 1721. Se não me falha a memória, o p. Bluteau informa em passagem de cuja localização não me lembro que começou a compilar os materiais e verbetes em cadernos (ou já tinha compilado) em 1698.

3
  • Fernando! Seja bem vindo. Tu não está respondendo a pergunta, mas adicionando informações a resposta. Nesse caso, deve adicionar um comentário. – Peixoto Dec 14 '18 at 16:40
  • Fernando, obrigado pela "pequena contribuição". Vê o que eu fiz à tua resposta. Podes sempre alterar (é a tua resposta) clicando em "edit", canto inferior esquerdo. Basicamente Linkei ao Bluteau no Google Books, e pus a citação em bloco, mais uns ajustamentos menores. – Jacinto Dec 14 '18 at 19:57
  • Fernando, o porquê de "meia-tigela" continua obscuro, mas parece então que o termo se aplicou mesmo primeiro a fidalgos. Será que o "meio fidalgo" do Bluteau era mesmo uma designação com um significado definido, ou só uma maneira de Bluteau referir fidalgos de estatuto inferior? – Jacinto Dec 14 '18 at 20:21

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.