7

Recentemente li uma reportagem em que um ator é acusado de "comprar drogas que mataram sua ex-namorada". Ao ler a reportagem descobre-se que ele adquiriu remédios, medicamentos, que causaram uma overdose letal.

Um dos comentários mais populares na matéria diz:

Chamada sensacionalista, drogas se referem a remedios, aqui no Brasil o conceito de drogas é outro.

Ao que outro leitor responde:

O termo "drogas" sempre esteve ligado a remédios, tanto é que existem drogarias, ou seja, lugar onde se vende remédios, drogas, para curar alguma enfermidade.

Sou obrigado a concordar com os 2 leitores, existem drogarias no Brasil, mas acho o termo estranho, um tanto quanto antiquado, apesar de ainda ser usado. No entanto, ao ouvir drogas, especialmente em uma manchete, imediatamente associo este termo a drogas ilícitas.

TL;DR;

Minha dúvida é, como o termo drogas (ou mais especificamente, seu uso na manchete mencionada acima) seria entendido em Portugal?

  • 1
    O argumento da drogaria, a menos que as drogarias no Brasil sejam diferentes das de Portugal, parece-me fraco. Nas drogarias portuguesas vende-se quase tudo exceto medicamentos. Não sei se no passado já se venderam remédios nas drogarias. Diria que o título for tradução apressada do inglês, não? – Jacinto Oct 4 '16 at 10:07
  • 1
    @Jacinto nas drogarias vendem-se «drogas» para as plantas e animais, como venenos para ratos, caracóis, etc. E ainda adubos, e repelentes de insetos e organismos, como piolhos das couves. – Jorge B. Oct 4 '16 at 13:01
  • 3
    @Jacinto O principal produto de venda das drogarias são os medicamentos. As grandes drogarias do Rio de Janeiro e de São Paulo colocam a venda outros produtos que não são exclusivos de drogarias: xampus, desodorantes, creme dental, preservativos, aparelhos de barbear, etc. Mas esses produtos também são vendidos em super-mercados. Medicamentos, no entanto, só em drogarias e farmácias, que por estas bandas podem ser idênticas, embora as farmácias sejam geralmente menores e tendam a não extrapolar muito no que vendem. Já as drogarias, nos dias de hoje, vendem até chocolates, biscoitos, etc. – Centaurus Oct 5 '16 at 0:01
  • 2
    @Centaurus Então as vossas drogarias são mesmo diferentes das nossas: em Portugal, nem medicamentos nem nada alimentar; higiene pessoal talvez. Por exemplo, o que eu compro nas drogarias é petróleo para limpar a bicicleta e, de vez em quanto, desentupidor de canos. – Jacinto Oct 7 '16 at 7:40
  • 1
    @ANeves Muito interessante. As grandes redes de drogarias em solo norte americano são então híbridas de nossas (brasileiras e portuguesas) drogarias. Na CVS, Walgreens e outras, encontra-se de tudo (chocolates, xampus, ssabonetes, óculos, biscoitos, detergentes, papel higiênico, etc) além de algumas prteleiras para aqueles medicamentos que são vendidos sem prescrição médica (OTC) e mais um outro balcão reservado onde são vendidas "prescription drugs". As drogarias brasileiras vendem principalmente medicamentos. O nome "farmácia" é cada vez menos visto por aqui. – Centaurus Apr 17 at 0:23
5

Segundo o dicionário da priberam,

dro·ga |ó| (francês drogue) substantivo feminino

  1. Nome genérico de todos os ingredientes que têm aplicação em várias indústrias bem como na farmácia.

"droga", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/DLPO/droga [consultado em 04-10-2016].

Tendo em conta o contexto da pergunta eu diria que o título é sensacionalista mesmo, eu ao ler isso acharia que seriam drogas como cocaína ou heroína. Depois de ler o sub-titulo dá a ideia que é MD ou ecstasy.

Por outro lado não é de todo descabido que se use «droga» como medicamento, mas dependeria do contexto, por exemplo:

  • Eu tomo 26 comprimidos por dia para as doenças que tenho.
  • Tu tomas muitas drogas!

Mas diria que, na generalidade, a palavra «droga» é usada para casos em que nos referimos a MD, ecstasy, cocaína, heroína, etc.

| improve this answer | |
  • Eu diria que o título, dado que no Brasil droga é usado como cá, foi uma tradução apressada do inglês. – Jacinto Oct 4 '16 at 10:01
  • @Jacinto também poderá ser. Mas também não me admirava que fosse sensacionalista. – Jorge B. Oct 4 '16 at 12:59
  • 1
    Acredito que a referência à droga seja por ser remédio de uso controlado, alguns possuem efeitos semelhantes a drogas ilícitas ou são fabricados com 'derivados' como lidocaína, codeína, morfina... – André Lyra Oct 5 '16 at 19:27
  • 1
    @Jacinto e Jorge B, noto que os falantes de pt-PT evitam o uso do futuro do pretérito bem mais do que os falantes de pt-BR. Notem: "não me admirava que fosse sensacionalista", "Também poderá ser". Também ouvi esses tempos verbais com alguma frequência durante minhas andanças pelas Terras de José Régio. Eu usaria "admiraria" e "poderia" embora eu encontre por aqui algumas pessoas que preferem o imperfeito. – Centaurus Oct 6 '16 at 23:31
  • 2
    @Centaurus O uso do imperfeito no lugar do condicional/futuro do pretérito é padrão em Portugal, exceto em linguagem formal. Creio que há até um pergunta aqui sobre isso. O meu «poderá» é diferente. Eu ali poderia ter usado o presente: o autor escreveu aquilo no passado, mas o escrito existe ainda hoje. Usei o futuro no lugar do presente para exprimir incerteza, embora o «pode» já o fizesse também. E acho que também já há um pergunta sobre isto :) – Jacinto Oct 7 '16 at 7:47
7

Em pt-BR a palavra "droga", como sinônimo de medicamento, não é de uso popular mas é muito comum no meio científico. A indústria farmacêutica, os médicos, pesquisadores, biólogos, etc, usam-na frequentemente. e.g. "Uma nova droga foi descoberta para o tratamento do Mal de Alzheimer", "Tal droga não faz parte do meu armamentarium terapêutico devido a seus efeitos colaterais".

A própria definição de "droga" inclui perfeitamente aquilo que popularmente chamamos de remédio ou medicamento: "Droga é toda e qualquer substância, natural ou sintética que, introduzida no organismo modifica suas funções." Contudo, nem toda droga é um medicamento (cianeto, arsênico e álcool metílico não o são) e nem todo remédio é uma droga (agentes físicos como calor, frio, ultrassom e radioatividade são exemplos) E como foi bem citado pelo OP, "drogarias" são locais onde podemos adquirir as drogas lícitas. Contudo, admito que a palavra "droga" fora de contexto, ou dependendo do contexto, suscita de imediato no brasileiro leigo a idéia de uma substância proibida, uma "droga ilícita" do tipo cocaína, maconha, heroína, etc. Um bom exemplo é a manchete citada na pergunta.

Não é a resposta a como "droga" é entendida em pt-PT, mas achei importante acrescentar algum conhecimento a cerca de como a mesma palavra é entendida no Brasil.

| improve this answer | |
  • 2
    É exatamente o mesmo em Portugal. Também se usa muito no meio cientifico e em medicina, mas numa manchete como essa a interpretação mais saliente seria a de que a droga era ilícita. – Artefacto Oct 4 '16 at 10:33
  • 1
    Centaurus, na tua douta opinião uma espada pode tecnicamente contar como uma «substância sintética que, introduzida no organismo, modifica as suas funções»? haha :) – ANeves thinks SE is evil Oct 4 '16 at 18:28
  • 1
    @ANeves (risos) Bem, aqui vai a resposta. A princípio pode parecer que uma espada se enquadra na definição de droga. No entanto, não é uma substancia e nem o material do qual ela é feita não interage com o organismo. O efeito é puramente mecânico, traumático. – Centaurus Oct 4 '16 at 23:44

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.