14

No Brasil (ao menos no Estado de São Paulo) é muito comum o uso da expressão "de ponta cabeça" com o sentido de "de cabeça para baixo", ou "de pés para o ar" — equivalente ao "upside down" do inglês.

Encontrei no Dicio.com uma definição com hífen:

de ponta-cabeça, que significa "de cabeça para baixo".

Encontramos a mesma definição no Priberam, conforme mencionado pelo @JorgeB.

O VOLP reconhece a expressão, e ainda no plural:

ponta-cabeça s.f.; pl. pontas-cabeça e pontas-cabeças


Me parece que a expressão só é entendida por quem já a conhece, pois carece de sentido óbvio.

Qual é sua origem? Há alguma razão lógica que justifique tal construção?

5
  • 1
    No Rio de Janeiro eu nunca ouvi a expressão.
    – Centaurus
    Commented Aug 20, 2016 at 2:00
  • Também vem no Aulete e no Houaiss. Aqui em Portugal nunca ouvi.
    – Jacinto
    Commented Aug 20, 2016 at 14:46
  • Acho ótimo “de ponta cabeça” em lugar de “de cabeça para baixio” em todos os possíveis usos: é uma expressão mais concisa, mais sonora, mais expressiva e até mais poética. Não foi por acaso que Monteiro Lobato a usou no caso da Alice Commented Oct 29, 2020 at 13:14
  • Considerando brincadeiras de criança antes da era da informática, as crianças brincavam muito com um brinquedo de girar chamado peão, que ao ficar invertido, ficava com a ponta (que deveria ficar para baixo) para cima no lugar da cabeça (parte maior do peão). É apenas minha opinião. Commented Apr 27, 2022 at 19:13
  • Sempre escutei esta expressão quando criança é minha vó sempre dizia "Não fica de ponta cabeça " quando brincávamos de plantar bananeira, não sei a origem mas minha avó era nordestina não sei se tem alguma origem de lá, só me dei conta disso agora depois de muito tempo e me perguntei, porque "de ponta cabeça" mesmo assim eu entendo a expressão que sempre ouvi em São Paulo Commented Nov 27, 2022 at 3:38

1 Answer 1

12

Originalmente a expressão usava-se apenas a propósito de quedas ou mergulhos: cair de ponta-cabeça ou precipitar-se de ponta-cabeça. Isto parece ser uma variante de cair de ponta e cabeça, que também se usa no Brasil, o que por sua vez é um reforço de cair de cabeça, que se usa em todo lado.

Atualmente de ponta-cabeça significa geralmente ‘de pernas para o ar, de cabeça para baixo’. Mas o uso da expressão fora do contexto de quedas é recente: no Google Books aparece apenas a partir de 1979. E dois dicionários dos anos setenta restringem o uso da expressão a quedas:

De ponta-cabeça, head first. [literalmente, ‘cabeça primeiro’; Oswaldo Serpa, Dicionário de Expressões Idiomáticas Português-Inglês, Inglês-Português, 1972.]

de ponta-cabeça que significa “de cabeça para baixo” (falando de queda). [Pequeno dicionário enciclopédico Koogan Larousse*, 1979.]

Nos exemplos mais antigos que encontrei o contexto é sempre queda. O primeiro é de 1923 em Monteiro Lobato (1892-1948), “Era no Paraíso…” em O Macaco que se fez homem (conto completo na Folha de São Paulo, 2008; negrito meu em todas as citações):

Mas Eolo suspirou no seu antro e um forte pé-de-vento deu, que vascolejou com frenesi a árvore e fez o chimpanzé macho, perdido o equilíbrio, precipitar-se de ponta-cabeça ao chão.

Monteiro Lobato emprega ainda a expressão, sempre com o verbo cair — «caíam de ponta cabeça», «caiu duma vez ao chão de ponta cabeça» e «caiu de novo de ponta cabeça» — na sua tradução de Alice no País do Espelho. Não descobri a data, mas o senhor morreu em 1948. E o Boletim Trimestral da Comissão Catarinense de Folclore de 1950 também documenta a expressão e dá como exemplo «ele caiu de ponta-cabeça».

De ponta e cabeça aparece no Google Books com menos frequência, mas usada exatamente do mesmo modo. Os exemplos mais antigos que encontrei foram na obra do escritor brasileiro Paulo Dantas (1922-2007):

Não é aquêle entrar louco, de ponta e cabeça, nos abismos gostosos. [Paulo Dantas, Viadutos, 1968.]

Mergulho de ponta e cabeça nessas favelas [Paulo Dantas, O Lobo do Planalto, 1970.]

Estas expressões aparecem na linguagem oral, e só muito mais tarde aparecem na escrita. Por isso não dou grande relevância a de ponta e cabeça surgir no Google Books só depois de de ponta-cabeça. Portanto vemos que quer de ponta-cabeça quer de ponta e cabeça aparecem primeiro usados simplesmente no sentido de de cabeça. Esta última vem já documentada no Dicionário de Moraes da Silva de 1789 (verbete cabeça; grafia original):

§ De cabeça; i. é, com a cabeça para baixo: v. g. “lançar alguem no rio de cabeça.

Investiguei uma outra hipótese, mas tive de a abandonar por falta completa de indícios. Os primeiros registos da ponta-cabeça no Google Books ocorrem em zona de imigração italiana: Monteiro Lobato cresceu em Taubaté, São Paulo; e Santa Catarina também recebeu italianos. Como a expressão é desconhecida em Portugal, haveria a possibilidade de ter vindo de Itália. Procurei punta capo no Google, mas não encontrei nada de relevante. Vi em capo neste dicionário muito completo e também em punta, e mais uma vez não encontrei nada. Parece-me portanto que nos resta a hipótese plausível da evolução a partir de (cair, atirar-se) de cabeça.

2
  • +1 Muito bem elaborada. Só não dei o accept de imediato para não inibir novas postagens.
    – Largato
    Commented Aug 20, 2016 at 21:56
  • 1
    @Bacco Não tens de dar explicações. Eu também espero sempre uns dias antes de aceitar. Correu bem, esta pergunta: encontrei material em que apoiar a resposta. Nalgumas questões de etimologia quase não se encontra nada.
    – Jacinto
    Commented Aug 21, 2016 at 17:24

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.