3

No português brasileiro, para além de este porquê ser grafado por quê, e este porque, por que, existe outras diferenças neste tipo de frases, as quais são tratadas nesta pergunta. No português europeu, neste tipo de frase, usa-se porquê em frases afirmativas, mas porque em frases negativas. Por exemplo:

João: — Vamos lá para fora?

Ana, que não vê razão para ir lá para fora: — Porquê?

Ana, que acha boa ideia ir lá para fora: — Porque não?

De igual modo, em interrogações infinitivas:

Porquê jantar fora hoje?

Porque não jantar fora hoje?

Porquê esta diferença entre frases negativas e afirmativas? Note-se que esta diferença nem vem sancionada no dicionário da Academia ou no Houaiss (edição portuguesa), que simplesmente indicam porquê para frases interrotivas infinitivas sem excluir frases negativas (mas também sem incluir exemplos delas). Mas eu tenho praticamente a certeza que que em Portugal toda a gente fala como nos meus exemplos.

Os porquês, porquês, etc. já deram pano para mangas. Para além da pergunta mencionada acima, vejam esta pergunta sobre porque, por que, porquê e por quê e mais esta sobre porque em frases interrogativas no português europeu.

2

Parece ser mais uma questão prosódica. Repara:

a) Por quê não levar este?
b) Por que não levar este?

(Em Portugal, escreve-se geralmente junto: Porquê não…?, Porque não…?)

A primeira frase lês com uma pausa após quê, a segunda sem essa pausa. O significado também difere um pouco. Com quê, a interpretação favorecida é pedir-se uma justificação para não levar qualquer coisa, enquanto com que tenderá a ser lido mais como uma sugestão.

Curiosamente, como aponta Carlos Rocha no Ciberdúvidas, mas sem apontar explicação, o comportamento de que / o que é distinto:

(1) Queres fazer o quê?
(2) Que/O que/*O quê queres fazer?

Infelizmente, também não consegui encontrar nada de muito substancial sobre o assunto. Por exemplo, na gramática de Maria Mateus (6.ª ed., 2003), parece apenas uma nota de rodapé no capítulo sobre elipse da autoria de Gabriela Mateus (p. 905):

Em Truncamento [sluicing] o constituinte elíptico é introduzido por um sintagma interrogativo:

(66) (...) (e) A: Trouxe um presente para a Maria.
B: Pode saber-se o quê [SFLEX -]
[SFLEX -] = trouxeste para a Maria

[nota de rodapé: Repare-se que a forma tónica o quê só surge quando o constituinte frásico está omitido, como no exemplo dado, ou quando este consituinte interrogado se encontra na posição básica, sem ter sido movido, como em (i):
      (i) Trouxeste o quê para a Maria.]

A Gramática do Português da Gulbenkian tem uma nota ainda mais breve também a propósito do sluicing (aqui denominado de elipse parcial da oração interrogativa, p. 2374) e escrito pela mesma autora, Gabriela Mateus:

43 Repare-se que não há uma coincidência formal entre a forma tónica do constituinte interrogativo o quê que ocorre na oração hospedeira do exemplo [Pode saber-se o̲ ̲q̲u̲ê̲ trouxeste para a Maria?] e a forma átona que ocorre na oração correspondente sem elipse [...]. Esta alternância deve-se a fatores fonológicos.

Portanto, “fatores fonológicos”; mas não encontro nada mais detalhado.

Vendo estas frases, parece também fazer alguma diferença o infinitivo ter desinências:

  1. A questão que resta é: por quê/*que irmos nós e não eles?
  2. A questão que resta é: por quê/?que escolher este e não aquele?
  3. Não temos/há com quê/que lavarmos as mãos.
  4. Não temos/há com quê/que lavar as mãos.

As 3. e 4., não sei bem que dizer delas, à parte de que a opção que prefiro é Não temos/há com que lavar as mãos.

  • No fundo isto é o mesmo tipo de explicação avançado na resposta à pergunta paralela sobre o português brasileiro (só que aí eu não tenho tanta sensibilidade). – Jacinto Jul 25 '16 at 18:34
  • Então rebelaste-te de vez contra o porque e porquê interrogativos? Talvez devesses escrever uma resposta à tua pergunta. – Jacinto Jul 26 '16 at 10:55
  • Eu não consigo ler em voz alta essa frase " Por quê não levar este?", parece não fazer sentido nenhum. – Jorge B. Jul 26 '16 at 11:18
  • @JorgeB. E que tal: Eu percebo todas as outras restrições. Mas porquê não poder levar este? – Artefacto Jul 26 '16 at 11:25
  • 1
    @Jacinto Acho que aqui causaria mais confusão. Não creio que para esta pergunta faça diferença estarmos a tratar por que / por quê ou com que / com quê ou para que / para quê. Em todo o caso, deixei uma nota. – Artefacto Jul 26 '16 at 11:31

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.