8

Perguntei aqui qual a razão da expressão doido de pedra. Do mesmo modo, por que dizemos que uma pessoa é doida varrida?

Qual o sentido disso? Por que dizemos que ela está varrida? De onde vem a vassoura?

Tentei imagina o porquê, e não me veio nada que encaixe. Alguém que era doido e gostava de varrer?

Sinceramente não sei o porquê dessa expressão;

  • Fleurquer, com respostas e edições, as duas perguntas vão provavelmente acabar longe uma da outra. Incluí links nas duas, para uma pessoa que veja uma poder encontrar a outra. Sobre porque, por que, porquê e por quê, vê esta pergunta – Jacinto Jul 22 '16 at 11:42
  • @Jacinto obrigado, ainda não sei muito bem usar as coisas aqui. – Fleuquer Lima Jul 22 '16 at 11:45
  • Se clicares em "edited não sei quantos mins ago", abaixo da tua pergunta, podes ver como é que eu fiz o link. A maneira mais prática é copiares o endereço (com Ctrl+C), e na edição da pergunta clicas no terceiro símbolo a contar da esquerda acima da caixa de edição (ou fazendo Ctrl+L) e colas o endereço na caixa que aparece. – Jacinto Jul 22 '16 at 11:53
  • Doido varrido pode ter a ver com os mendigos sendo varridos das portas das casas – André Lyra Jul 25 '16 at 14:04
9

Varrido neste contexto parece vir de varrido de juízo: como se o juízo se tivesse varrido da cabeça, tal como se diz que se nos varreu algo da memória. Este é o entendimento do dicionarista Raphael Bluteau já há quase trezentos anos (Vocabulário Portuguez e Latino, 1721):

VARRIDO. Limpo com vassoura […]
Doudo varrido. Totalmente doudo, como se disseramos , que se lhe varreo todo o entendimento de sorte , que não tem horas boas, nem lucidos intervallos.

Varrido do juízo é precisamente a expressão mais antiga em que eu consegui encontrar varrido associado a loucura. Aparece em 1593-95, em Primeira visitação do Santo Officio ás partes do Brasil, pelo licenciado Heitor Furtado de Mendoça: Denunciações de Pernambuco, 1593-95; o OCR do Google não é infalível — creio que a frase é «varrido do juízo falando desvarios» (ênfase minha em todas as citações): enter image description here

Se a ocorrência mais antiga de varrido do juízo vem da Inquisição, a segunda mais antiga é da Maçonaria, no Manifesto do IR. Lycurgo, Gr. Insp. Ger. da Ordem dos Franc-Maçons em Portugal, 1849:

Comtudo um homem , levantado do pó a empregado subalterno de justiça, apparecia agora, varrido do juízo, a querer zombar de quantos tinham assento na Gr. L.

Parece-me portanto que a expressão doido varrido surgiu por simples justaposição: varrido do juízo, significando ‘sem juízo’, foi justaposto a doido para reforço da ideia, perdendo-se depois o do juízo. Ou então perdeu-se primeiro do juízo e justapôs-se varrido a doido, pois também se encontra simplesmente varrido com o significado de louco. A ocorrência mais antiga que encontrei é de 1755 em Francisco de Pina e de Mello, A Buccolica:

Onde estás louco onde estás?
que depois que andas varrido
trazes o gado perdido?

Deixaste fato, e cabana
o montado, e a companhia,
isto por huma serrana,
que já to naõ merecia

[…]

Se tu vaqueiro naõ cuidas
Que tudo nella he fingido,
digo entaõ que andas varrido.

Outros exemplos:

O homem vai varrido! Ora queira Deus! Queira Deus que ele não vá para aí fazer alguma! Nossa Senhora nos livre de tentações do Demónio e dos maus inimigos da alma. [Júlio Dinis, Uma Família Inglesa, 1870]

É que a pequena, depois de pedir muito à avó que se compadecesse dela e obtivesse do pai liberdade para se casar com o cabra, abriu a chorar e a lamentar-se como uma varrida! [Aluísio Azevedo, O Mulato, 1909]

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.