9

Encontrei a palavra sertã (Priberam) em português por tentar descobrir a origem da palavra espanhola sartén que conhecia pelo menos em português brasileiro como frigideira.

Nunca tinha ouvido sertã e fiquei curiosa em saber se a palavra é usada em português de Portugal ou em outras regiões (sejam elas de qualquer parte do mundo onde se tem a língua portuguesa como oficial).

A variação sartã, sabem qual a origem desta variação? O priberam indica como regionalismo, mas de onde?

1
  • 2
    Em PT-BR nunca ouvi o termo!
    – gmauch
    May 15 '16 at 10:44
8

enter image description here

Eu cresci e vivi na região de Lisboa, entre Torres Vedras e Setúbal, e aqui foi sempre frigideira que ouvi. Que no Porto se diz sertã é fácil ver na net. Veja-se este artigo no jornal Público (2012) sobre uma Susana que se mudou de Cascais, ao pé de Lisboa, para o Porto (grafia original, ênfase minha):

O sotaque lisboeta ainda se percebe em Susana e as expressões que usa no dia-a-dia (excepção para o fino) são sempre as lisboetas [...] diz cadeado (aloquete), saltos (tacões), atacadores (cordões), frigideira (sertã), refogado (estrugido), sopra as velas (bufa) e chama gulosos (lambareiros) aos filhos.

Este Breve dicionário tripeiro-alfacinha (portuense-lisboeta) “traduz” também sertã para frigideira, e sertã aparece também como termo nortenho neste artigo da Wikipédia sobre regionalismos.

Existe também a vila da Sertã, perto do centro geográfico de Portugal, e que indiquei no mapa, e uma lenda, também mencionada no dicionário Houaiss, segundo a qual uma mulher defendeu o castelo da vila atirando aos atacantes uma sertã com azeite a ferver. Este antigo brazão da vila parece celebrar esta lenda. Isto mostra que palavra também já foi usada por ali.

Há vários exemplos destas divisões lexicais entre norte e sul, mas a fronteira varia de caso para caso. Lindley Cintra apresenta no artigo Áreas Lexicais no Território Português oito casos ilustrados em mapas. Por exemplo (mapa 5), diz-se anho no noroeste, cordeiro numa faixa do nordeste ao litoral centro, e borrego mais a sul.

Sartã é uma mera variação de sertã. Neste Corpus do Português encontramos as duas formas dos séculos XV ao XVII, mas sertã é a mais frequente (13 contra 4 ocorrências). No Corpus do Português, a partir do século XIX (não há ocorrências no século XVIII) só encontramos sertã, mas no Google Books ainda encontramos algumas sartãs recentes. Também encontramos as duas formas para o nome da vila.

Esta variabilidade de formas era natural no passado, em que havia pouca comunicação entre regiões. Na aldeia onde cresci, ainda ouvi pessoas mais velhas dizerem Taresa e Sabastião. E encontramos Sabastião no Corpus do Português até ao século XVII, em menor frequência que Sebastião. Taresa não encontramos, mas Tareja, sim, tal como Arnesto. Frequentemente, quando existem duas variantes, uma adquire mais prestígio, e a outra acaba por desaparecer. O que é interessante é que sartã tenha sobrevivido até aos dias de hoje.

6
  • Saberia dizer também de onde vem a variação sartã?
    – sumitani
    May 16 '16 at 0:21
  • @sumitani Na minha opinião resulta apenas de variação dos sotaques. Normalmente, variação de sotaques não se refletem na grafia. Por exemplo, peixe pode ser pronunciado pêxe, pâixe e pêixe, mas escreve-se sempre peixe. No caso de sertã persistiram duas grafias. No passado até mesmo o nome da vila aparece grafado Sertã e Sartã; Vê aqui.
    – Jacinto
    May 16 '16 at 0:39
  • @sumitani Nota também que sartã é muito menos comum (no Google books, por exemplo), e os dicionários que têm sartã simplesmente remetem para sertã. Eu sou do sul mas já conhecia sertã; sartã nunca tinha ouvido.
    – Jacinto
    May 16 '16 at 0:51
  • Nos anos 50 e 60 morei na Beira Alta, mais especificamente na Guarda, onde ouvia dizer quer a palavra "frigideira" quer "sertã", com larga predominância de "sertã", especialmente nas aldeias, onde era quase exclusivamente. Ainda hoje as pessoas de lá usam este último termo mais frequentemente. May 16 '16 at 10:11
  • @AméricoTavares Bate certo com o comentário do Jorge (resposta dele)
    – Jacinto
    May 16 '16 at 11:16
4

Sim, usa-se. Normalmente em meios mais rurais no interior. Em Lisboa em alguns restaurantes também se usa o termo, mas mais numa de dar um tema campestre ou rústico. Segundo uma vizinha minha do interior-centro, ao contrario de uma frigideira uma sertã tem o fundo completamente plano.

5
  • Quais meios rurais? No meio rural onde cresci (podem ver aqui) ninguém diz sertã.
    – Jacinto
    May 15 '16 at 11:42
  • Ok. Troca rurais por interior. Na zona da guarda ja ouvi varias vezes a expressão. Normalmente por malta mais velha e atenção que para ser uma sertã, segundo uma vizinha minha da zona, o fundo da frigideira tem de ser completamente liso de uma ponta a outra imagina uma panela mesmo muito muito baixa e com uma pega em vez de alças. May 15 '16 at 11:47
  • 2
    Acho que a distribuição é mais norte/sul. Na faculdade, lembro-me de uma pessoa do Porto que dizia sertã. Vários outros exemplos: espalhafactos.com/2016/02/06/lisboa-vs-porto-termos , facebook.com/media/set/… , books.google.nl/…
    – Artefacto
    May 15 '16 at 14:39
  • Pois isso já não sei. Em Lisboa não costumo ouvir, no porto tambem não me recordo de ounvir. May 15 '16 at 19:08
  • No Porto não estou habituado a ouvir «frigideira». É muito comprido e complicado de dizer, não faz sentido usar essa palavra queque ;) quando «sertã» serve perfeitamente.
    – ANeves
    Jun 6 '16 at 3:23

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.