9

É sabido que os portugueses e os cariocas chiam o s. Isto é, o s em fim de sílaba é pronunciado /ʃ/ ― como o ch de chato ― se for seguido por consonante surda ― /k/, /f/, /p/, etc. ― ou, no fim de palavra, por pausa longa; e é pronunciado /Ʒ/ ― como j de jarro ― se for seguido de consoante sonora ― /b/, /d/, /g/, etc. Ver esta pergunta sobre a pronúncia do s em fim de sílaba e esta sobre consoantes sonoras e surdas.

Mas parece-me que se chia o s também noutras regiões do Brasil. O Forvo.com tem palavras pronunciadas por várias pessoas. O site mostra a localização dos falantes no mapa, eu encontrei exemplos de chiamento do s fora do Rio de Janeiro. Mostro alguns exemplos (indico apenas a pronúncia do s e escrevo o resto da palavra normalmente):

MeƷmo no litoral do estado de São Paulo, mas mezmo em Santa Catarina, e não sei bem como no Pernambuco.

Eʃtar deitado e Eʃtar sentado em Paraíba.

Eʃtudar no Rio Grande do Sul (pela veraluz16) e em Tocatins?

Alguém sabe então onde se chia o s no Brasil, ou há algum estudo sobre o assunto?

2
  • É uma pergunta que eu deveria saber responder, mas não sei. Sei apenas que no Rio de Janeiro o "s" é chiado. Em São Paulo, Minas Gerais e no Espírito Santo não é. Desconheço algum outro local do Brasil onde o "s" seja pronunciado da mesma forma que no Rio de Janeiro. Sempre tive a impressão, mas não tenho a certeza, que os estados do sul (Paraná, Santa Catarina e RS) seguem o modelo paulista. – Centaurus May 15 '16 at 2:25
  • Talvez no Litoral norte junto a divisa de estados – André Lyra May 16 '16 at 17:51
4

O s chiado é uma herança dos portugueses, mas não foi adotado em todas as regiões do Brasil. Uma justificativa pode ser a miscelânea de imigrantes que se estabelece em algumas regiões, formando, através da interação cultural, novas maneiras de falar. Um bom exemplo é o Rio Grande do Sul, colonizado, em grande parte, por portugueses, espanhóis, italianos e alemães.

É comum ouvir o s desta maneira na região Nordeste, no Rio de Janeiro e em Santa Catarina, especialmente na Grande Florianópolis (região da capital de Santa Catarina) e em algumas cidades do Vale do Itajaí (região ao norte da Grande Florianópolis). Isto é algo bastante curioso. Em Brusque e Itajaí (cidades do Vale do Itajaí) é comum chiar o s, enquanto Blumenau e Pomerode (também cidades do Vale, mas com influência alemã), embora próximas, não.

Nos estados seguintes não é comum chiar o s: Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás.

Aproveitando: sou natural do Rio Grande do Sul e não conheço pessoas nascidas lá que falem /eʃtudar/.

3
  • Imagino que grande parte da tua resposta se baseie em conhecimento pessoal direto (por exemplo, os pormenores que dás do estado de Santa Catarina). Ou isto é tudo do conhecimento geral no Brasil, algum estudo a que tiveste acesso? – Jacinto May 17 '16 at 12:21
  • Infelizmente, não possuo estudos sobre o assunto. Se tiver acesso a algum, posto aqui para complementar a resposta, @Jacinto. – eightShirt May 20 '16 at 18:02
  • 1
    Que a pronúncia chiada seja herança dos portugueses, e a não chiada seja influência doutros povos é que me parece menos claro. A pronúncia não chiada parece já ter existido em Portugal, e pode até ter sido a original. Vê esta pergunta. – Jacinto Nov 25 '16 at 21:28
2

O /s/ também chia em Recife, mas como a entoação das palavras e frases tem um "cantado" diferente, as pessoas de outra região prestam mais atenção ao cantado do que ao chiado do /s/ recifense. Se puder ouvir a torcida do Sport Recife gritando é fácil perceber, eles gritam "iXxpóó", "iXxxpóó" em vez de "iSsport". Em João Pessoa também chia, mas apenas os /s/ que estão no meio da palavras, por exemplo, "besteiras" soa como "beXteiraSs".

2

Não tenho uma lista completa, mas o 's' é chiado especialmente em regiões que receberam um influxo de imigrantes portugueses que:

  • era considerável, comparado ao tamanho da população local; e
  • ocorreu num momento posterior ao início da colonização.

A primeira condição aumenta as chances do modo de falar dos imigrantes se tornar dominante. A segunda, por vezes associada a um certo grau de isolamento geográfico, aumenta as chances da forma particular de falar ter se preservado até os dias de hoje frente à pronúncia dominante no país.

O exemplo mais famoso, o Rio de Janeiro, recebeu a corte portuguesa no início do século XIX e, se o número de imigrantes não era tão grande comparado à população local, seu status tornava sua influência desproporcionalmente grande.

Outros dois exemplos importantes são Belém do Pará e Florianópolis. Como explica essa matéria da revista SuperInteressante:

Colonizadas depois do Nordeste e do Sudeste do País, as regiões Norte e Sul receberam, a partir do século 17, imigrantes da Ilha dos Açores e da Ilha da Madeira, onde é comum que o S assuma o som de SH. Em 1929, 15,6 mil portugueses viviam no Pará, a quarta maior população portuguesa do Brasil à época. [...] Outras cidades, entretanto, também receberam levas de açorianos e madeirenses sem que eles impusessem o S chiado – Porto Alegre foi uma delas. Elisa Battisti, do Instituto de Letras da UFRGS, explica que a posição geográfica e o tamanho da população de Florianópolis e Belém foram propícios para perpetuar a forma de falar dosh portuguesesh ilhéush. “Quando os açorianos chegaram a Florianópolis, o número de habitantes era pequeno, e houve um isolamento geográfico importante até o século 20.

Mas essa explicação não parece cobrir todos o casos. No nordeste brasileiro, por exemplo, em estados como Ceará, Alagoas e Pernambuco, versões do 's' chiado também são encontradas [1] e mesmo o Pará não era tão pouco populado quando da nova onda de imigração portuguesa no início do século XX (como apontou Jacinto nos comentários).

[1] Dissertação de mestrado "A VARIAÇÃO FONÉTICA DO EM TEMPO REAL EM DUAS LOCALIDADES SERGIPANAS - PROPRIÁ E ESTÂNCIA", Cláudia Santos de Jesus, UFBA, pg. 85 em diante (e-print).

5
  • Obrigado por isto. Já tinha visto essa hipótese de o s chiado ter sido levado pela imigração portuguesa, mas mantenho uma certa reserva. Afinal a língua portuguesa foi levada pela imigração portuguesa, possivelmente o s não chiado também foi. Não vi ainda ninguém mostrar que o s chiado surgiu em Portugal só depois da colonização inicial do Brasil, ou que tenha havido um tempo em que o português do Brasil não tivesse o s chiado e Portugal tivesse. Esses 15.600 portugueses no Pará em 1929, se estivessem todos em Belém, não chegariam a 10% da população da cidade. – Jacinto May 23 '20 at 8:51
  • @Jacinto Sobre Belém, não consegui achar, numa busca rápida, o porquê da influência possivelmente desproporcional desses portugueses sobre a pronúncia local, pode ter sido um acidente histórico. Sobre o pt-PT sem chiado, a dissertação que agora cito menciona (pg. 85): "Jerônimo Soares Barbosa (1822, p. 52), no capítulo intitulado “Dos vícios da pronunciação”, observa que os brasileiros “pronuncião com Z o S liquido, [...] dizendo: Mizterio, Fazto, Livros novoz, em vez de Mistério, Fasto, Livros novos”, indicando uma diferença em relação a Portugal". – stafusa May 23 '20 at 12:35
  • Pois, é possível que tenhas de pôr muito acidente histórico nisso. Esse Barbosa fez um levantamento do pronúncia no Brasil todo? Era uma país muito grande já nessa altura. É claro que isto está à margem da pergunta. Será mais fácil determinar uma mapa da pronúncia atual, que saber quando e como se formou. O s/ss (mas não o c(i/e)/ç) em princípio de sílaba soava originalmente intermédio entre ç e ch >> – Jacinto May 25 '20 at 7:26
  • >> A minha conjetura é que no fim de sílaba também (não vejo por que é que deveria ser diferente), e que a certa altura esse som pendeu para ch nuns falantes e para ç noutros, dando origem aos ss chiado e não chiado. Se isto foi posterior à colonização inicial. o s chiado poderia aparecer no Brasil tal como em Portugal; se foi anterior, na vaga inicial de colonos iriam em princípio as duas pronúncias, e poderia em certas regiões prevalecer o s chiado desde o início. – Jacinto May 25 '20 at 7:37
  • 1
    @Jacinto Concordo contigo. Sobre o Barbosa e se ele "fez um levantamento do pronúncia no Brasil todo?", o texto da própria tese que o cita lamenta que ele não especifique a que região se referia. – stafusa May 25 '20 at 9:09
1

Basicamente as regiões litorâneas a partir do Rio de Janeiro para cima. Esse chiado é devido ao grande fluxo de portugueses nessas áreas. Com o povoamento do interior das regiões Nordeste e Norte, o S chiado foi sendo carregado e é encontrado nessas regiões mais interioranas também.

Já as regiões do centro e indo ao sul (de Goiás para baixo), houve um levante de povos de todos os lados (japoneses, italianos, alemães, ingleses, etc.). Por essa razão, o S não sofreu predominantemente a influência portuguesa litorânea.

5
  • 2
    Discordo completamente. Em todo o litoral do estado do Espírito Santo o "s" não é chiado. Também nos estados do sul, notadamente Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o fluxo considerável de imigrantes portugueses foi grande e não pronunciam o "s" chiado como os cariocas. – Centaurus May 16 '16 at 23:11
  • 1
    E acrescento ainda que o "s chiado" é típico dos cariocas (aqueles que nasceram e habitam a cidade do Rio de Janeiro) mas não de todos os fluminenses (aqueles que nasceram e habitam todo o estado do Rio de Janeiro) – Centaurus May 16 '16 at 23:13
  • A adoção da pronúncia da corte pelos habitantes da cidade do Rio de Janeiro deveu-se provavelmente (opinião pessoal) ao fato de que aqui chegaram, em 1808, cerca de 15.000 nobres portugueses quando a população da cidade não passava de 50.000 indivíduos. Desses, a maioria pertencia às camadas menos favorecidas. A elite local provavelmente tratou logo de adotar o "sotaque de Lisboa" e a camada mais baixa, por imitação, também o fez. – Centaurus May 16 '16 at 23:19
  • Note o "basicamente" no início da postagem. Não falei hora nenhuma que era TODO O LITORAL. – Enrico Brasil May 17 '16 at 1:37
  • 2
    Em apoio a essa resposta, posso relatar que é costumeiro "chiar" o s em Santos, cidade portuária de São Paulo, estado onde, via de regra, não se "chia" o s. – Marcelo Ventura May 21 '16 at 16:10

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.