3

Poderíeis dizer-me qual é o modo correcto de se dizer, bater com bastão? Seria bastar?

Outra dúvida que tenho é relacionada à etimologia: Parece-me que antigamente se escrevia bastão, em lugar da palavra usada actualmente, bastam. Existe relação entre estas duas palavras, bastão e bastam, em etimologia?

  • 1
    Pelo menos em português brasileiro não existe um verbo que signifique "bater com o bastão". "Bastar" significa "ser suficiente". – Enrico Brasil May 11 '16 at 0:31
  • antigamente, dizia-se: "Bastão", em lugar, da palavra usada actualmente: "Bastam" <--- que palavra é esta? Um substantivo, ou um verbo? – ANeves thinks SE is evil May 12 '16 at 10:56
7

É bem possível que bastar e bastão tenham origem na mesma palavra latina, mas bastar não significa “bater com bastão”. A palavra que já foi usada com esse significado é bastonar. Vejamos isto ponto por ponto.

Bastar tem dois significados relacionados (vê Aulete), ]: “ser suficiente”, e, conjugado pronominalmente, “ser autossuficiente” (bastar-se a si mesmo). As primeiras ocorrências do verbo que encontrei, neste Corpus do Português, são do século XV, e já então era com o significado “suficiente” que era usado.

Eu desconhecia qualquer verbo com o significado de “bater com bastão”. Diria dar uma bastonada ou dar umas bastonadas. Pondo-me a inventar, pensei em bastonar. Esta palavra não aparece em nenhum dicionário atual, mas procurando na net vemos que já foi e continua a ser usado, incluindo por autores de renome, como Eça de Queiroz e Luís da Câmara Cascudo (ênfase minha em todas as citações; grafia original):

Se ele não paga, é bastonado. De tal sorte que o felá, na convicção de que acaba sempre por ser bastonado, nunca cede ao primeiro pedido…
Eça de Queiroz, O Egypto, Notas de Viagem, Relato da Inauguração do Canal do Suez.

[…] Sebastião procurou encontrar-se com o imperador e exprobou-lhe a crueldade brutal. Diocleciano fê-lo perecer bastonado, no dia 20 de janeiro de 288 em Roma.
Luís da Câmara Cascudo, Dicionário do Folclore Brasileiro, 1962 (verbete São Sebastião)

[…] onde a autoridade manda bastonar o cidadão pela primeira falta que elle commette?
Annaes do Parlamento Brazileiro, 1879.

Quanto à origem, segundo o dicionário Houaiss, bastar vem do latim vulgar bastare, “levar, suportar, bastar, ser suficiente”, que por sua vez vem do grego bastázo, “levantar um fardo e levá-lo”; bastão vem do latim vulgar basto, -onis (“bastão”), que por sua vez vem latim tardio bastum, “o que suporta”. Ora a palavra francesa bâton tem a mesma origem que bastão, e de acordo com o CNRTL - Centre Nationale de Ressources Textuelles e Lexicales bastum é provavelmente um substantivo verbal de bastare, que segundo eles significava apenas porter, “levar, transportar”.

A ser assim, bastão e bastar teriam a mesma origem. De levar, suportar (bastare), viria bastum, “o que suporta”; e daí, basto, -onis já com o significado de bastão no sentido de cajado, uma vara de madeira em que um caminhante se apoia (vê Aulete). Entretanto, na transição do latim bastare para o português bastar, o significado de “levar, suportar” perdeu-se, e a ligação semântica entre bastão e bastar perdeu-se igualmente.

Nota no entanto que o CNRTL diz que bastum deriva provavelmente de bastare. Logo não há certeza e, cito o dicionário Houaiss (verbete ³bast-), «a cognação [de bastum] com *bastare (ver ¹bast-), de acordo com Carominas, é duvidosa».

Mesmo que no latim estas palavras estivessem relacionadas, no português nunca estiveram. É verdade que já foi comum escrever bastão em vez de bastam, tal como sirvão em vez de sirvam (verbo servir) e vejão em vez de vejam (verbo ver); e também o contrário: já foi comum escrever relaçam em vez de relação e coraçam em vez de coração. Isto aconteceu porque durante séculos não houve uma norma ortográfica rígida, e cada autor escrevia como lhe parecia melhor. Nos exemplos seguintes, hoje escreveríamos, coração, prendam, procedam, foram e vejam (ênfase minha):

[...] mostrou logo a grandeza e esforço de seu coraçam.
Garcia de Resende, Vida e Feitos D'El-Rey Dom João II, 1533.

E achando, que não são tiradas, as tirem, e prendão, e procedão contra os culpados, e contra os Juizes, que as não tirarão, como for justiça. E se ja forão tiradas, vejão se procederão os ditos juizes contra os culpados em ellas, pela dita maneira.
Duarte Nunes Lião, Leis Extravagante, 1569

| improve this answer | |
  • Obrigado por ajudar, Jacinto! – renanlinux May 11 '16 at 3:42
  • Disseste que o dicionário Houaiss, apresenta bastão, como bastum; o que suporta. Pode-se dizer que, o que suporta, é o quanto basta, e que após isso; pode ser insuportável, além do bastante. Isto, me parece de grande relacionamento, entre bastão e bastar. Tens alguma opinião a respeito disto? – renanlinux May 11 '16 at 3:51
  • No latim bastare significava suportar (e outras coisas) e o bastão suporta o caminhante. É só isto. Se o bastão for muito fino, o peso do caminhante pode ser insuportável para o bastão; não é o bastão que pode ser insuportável. – Jacinto May 11 '16 at 7:30
  • @renanlinux Nota que esta relação poderá ter existido no latim; no português, bastar não significa suportar. Também não sei como é que no latim o significado de bastare do original levar, suportar (vem de uma palavra grega com esse significado) para ser suficiente. – Jacinto May 11 '16 at 7:34
  • Obrigado pelo ajuda! Se o bastão não pode suportar o peso, não significa que ele é insuportável, insuportador; pois que, não presta suporte? Realmente, não sei até onde as palavras "bastão" e "bastar" estão ligadas, etimologicamente, mas, parece-me que na língua portuguesa, houve alterações, ao ponto de elas perderem parte de seus poderes. – renanlinux May 11 '16 at 7:53

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.