10

Eu toda a vida pronunciei e julgo que ouvi os outros pronunciar /tɾɐ̃ʃsɛˈkswaɫ/, /tɾɐ̃ʃsibəˈrjɐnu/ e /tɾɐ̃ʃsubʃtɐ̃sjɐˈsɐ̃w/. Vou focar só as duas primeiras sílabas, que são as que interessam: /tɾɐ̃ʃsɛ/, /tɾɐ̃ʃsi/ e /tɾɐ̃ʃsubʃ/ (/ʃ/ representa o som ch de chato). Ou seja, o primeiro s de cada palavra daria origem ao som /ʃs/ como o sc de consciência. Esta é a pronúncia que eu esperaria do pessoal que chia o s, como cariocas e portugueses. Da maior parte dos outros brasileiros, que não chiam o s, esperaria /tɾɐ̃sɛ/, /tɾɐ̃si/ e /tɾɐ̃subs/, já que para estes mesmo o sc de consciência se reduz a /s/, creio.

Ora estava eu a meditar sobre a curiosidade de um só s dar origem a dois sons, /ʃs/, quando fui consultar dicionários, e eis que aInfopédia diz que é /tɾɐ̃sɛ/, /tɾɐ̃si/ e /tɾɐ̃subʃ/. O dicionário da Academia das Ciências de Lisboa confirma. Fui ver ao Forvo. Estas palavras são pouco comuns, mas há uma brasileira, uma carioca a julgar pelo mapa, que pronuncia transubstanciação com eu.

Ora a pergunta é então: sou só eu que pronuncio assim? Ou a minha pronúncia é generalizada aos s-chiantes, e a Infopédia e dicionário da Academia apresentam uma pronúncia teoricamente correta, mas descritivamente incorreta?

Se /tɾɐ̃ʃsɛ/, /tɾɐ̃ʃsi/ e /tɾɐ̃ʃsubʃ/ é pronúncia mais comum entre os que chiam o s, como as reações até ao momento parecem indicar, qual a razão da presente grafia? Parece-me que a grafia mais adequada, como sugere o ANenes num comentário abaixo, seria trans-siberiano, etc. O Googe Books revela que a grafia com duplo s, com ou sem hífen, também é ou foi usada. A grafia atual foi sempre a oficial?

  • 2
    Sim, parece-me que é com /ʃ/ que a maioria da gente em Portugal pronuncia (maioria em que me incluo). Exemplo: tviplayer.iol.pt/video/55c8f0ab0cf26f3adc011130 – Artefacto May 2 '16 at 22:09
  • @Artefacto Não sei como é que me tinha esquecido de transexual. – Jacinto May 2 '16 at 23:18
  • ... nem sei que dizer. E já agora, porque não ler como em trânsito?? «Tran·zécs·u·al» e «tran·zi·be·ri·a·no»? – ANeves May 3 '16 at 8:59
  • 1
    Sim, exatamente. E da mesma maneira que quero manter o /sɛ/ de «-sexual», quero manter o /ɐ̃ʃ/ de «trans-». Antes de ler esta pergunta, acho que teria escrito trans-siberiano. – ANeves May 3 '16 at 10:46
  • 3
    Eu pronuncio como "trans-si-be-ri-a-no" com "s" na primeira e na segunda sílabas. E creio que essa é a pronuncia mais frequente por aqui. O mesmo vale para "transexual" e "transubstanciação" – Centaurus May 4 '16 at 1:23
2

Primeiramente identifiquemos os componentes deste dígrafo:

  • Coda sibilante: O ⟨s,z,x⟩ na posição de coda (i.e., no final de uma sílaba), que é realizado como os palatais /ʃ,ʒ/ nos dialetos palatalizantes (Portugal e alguns dialetos brasileiros), ou como os alveolares /s,z/ nos dialetos não-palatalizantes (maioria do Brasil).

  • Ataque sibilante: O ⟨s, z, c/ç, x⟩ na posição de ataque, (i.e., no início de uma sílaba) que é realizado como os alveolares /s,z/.

O dígrafo formado por uma coda sibilante, no fim duma sílaba, seguido imediatamente por um ataque sibilante, na sílaba seguinte, é realizado de diferentes maneiras dependendo do dialeto.

Nos dialetos não-palatalizantes, onde tais codas são iguais aos ataques, nada acontece. Os fonemas se fundem num só: /Vs.sV > VsV/ (onde /V/ é uma vogal qualquer). Por exemplo, no Brasil, "consciência" é realizado como /kõ.si'ẽ.si̯a̯/.

Nos dialetos palatalizantes, onde as codas sibilantes são diferentes dos ataques, há duas possibilidades:

  • Pronunciar apenas o ataque sibilante (Vʃ.sV > VsV/). Isso ocorre no português brasileiro.
  • Pronunciar cada sibilante individualmente (/Vʃ.sV > VʃsV/). Isso ocorre no português europeu.

Tratemos do caso do português europeu. Quando, no dígrafo em questão, a coda sibilante da sílaba anterior é ⟨s, x⟩ e o ataque sibilante da sílaba seguinte é o ⟨c/ç⟩, tal como nas palavras ⟨consciência⟩, ⟨excelência⟩ ou ⟨transcedência⟩, a ortografia consegue transcrevê-los inequivocamente.

O problema ocorre quando o ataque sibilante é ⟨s-⟩. A ortografia falha em representar tais casos:

CASO.  CODA + ATAQUE > ORTOGRAFIAS POSSÍVEIS  EXEMPLO
  01. ⟨-ns⟩ + ⟨s-⟩   > "nss", "ns", "ns-s"    "transiberiano"
  02.  ⟨-s⟩ + ⟨s-⟩   > "ss", "s-s"            "pós-socialismo"

Palavras como ⟨transexual⟩ e ⟨transiberiano⟩ são escritas sobre uma falha ortográfica, incapaz escrever este dígrafo quando o ataque sibilante não é ⟨c⟩. Pois quando o ataque sibilante é ⟨c⟩, como em "transcedental", a ortografia representa o dígrafo inambiguamente.

Caso tua pronuncia de ⟨transexual⟩ com o dígrafo /ʃs/ fosse a errada, também deveria ser ⟨transcíclico⟩. Pois ambas as palavras são composta pelos mesmos processos que descrevi: uma coda palatal seguida dum ataque alveolar. A pronúncia de ⟨transexual⟩ como /tɾã(j)ʃ.se.ksu.al/ é também comum no Brasil em dialetos palatalizantes, como o carioca, principalmente pelo costume de pronunciar a forma reduzida desse nome (/tɾã(j)ʃ/) terminando em /ʃ/, daí a forma composta acaba tomando o fonema /ʃ/ também.

Creio que o prefixo ⟨trans⟩ deveria ser escrito com um hífen (e.g., "trans-siberiano") tal como já faz-se com o prefixo ⟨pós⟩ (e.g., "pós-socialismo", realizado como /ʃs/ no português europeu), o que evitaria esta ambiguidade.

O livro The Phonology of Portuguese descreve a variação da coda sibilante e o artigo da Wikipedia anglófona resume-a.

  • Já encontrei escrito com hífen. Em vários dicionários antigos vem com dois ss sem hífen: Morais Silva 1858, Domingos Vieira 1874. No Cândido de Figueiredo de 1913 vem tansubstanciação mas transsecular; no de 1939 já não vem nenhuma palavra com transs-. Transubstanciação tem de existir no latim; como se escreveria? – Jacinto Jul 24 '17 at 10:19
  • 1
    Em latino dobra-se a consoante: "transsexualis", tal como no inglês "transsexual". – Seninha Jul 24 '17 at 16:24
  • 1
    A palavra latina "transsubstantiatio" (transubstanciação, com ⟨s⟩ dobrado) é atestada num documento do papa Pio XI e neste livro de Erasmus, de 1509, basta dar CTRL-F e pesquisar pela palavra. – Seninha Jul 24 '17 at 16:32
0

No Brasil estas palavras se pronunciam como se possuíssem dois esses (ss).

Isso provavelmente se deve ao fato de que a palavra sexual, siberiano e substanciação se pronunciam desta forma e a palavra trans é apenas um prefixo.

  • Isso significa que pronuncias como se fosse tranciberiano? – Jacinto Jan 18 '17 at 23:37
  • geralmente não. talvez se alguém pronunciar muito rápido, especialmente na região sul por conta do sotaque. geralmente o trans se pronuncia primeiro, quase como se fosse uma palavra separada e logo depois o sufixo. é como se houvesse um hífen trans-sexual. – Elender Góis Gallas Jan 19 '17 at 0:00
  • por exemplo, existe uma rodovia no norte do país chamada transamazônica. nesse caso o s se pronuncia como se fosse um z da mesma forma que em trânsito. então creio que a regra é analisar o sufixo da palavra para conecer sua pronunciação. – Elender Góis Gallas Jan 19 '17 at 0:04
  • Ah, ok, e como é que pronuncias o primeiro s? Porque há duas pronúncias no Brasil. Pronuncias como se fosse trach-siberiano? – Jacinto Jan 19 '17 at 0:05
  • aí depende,. no rio de janeiro e em regiões do pará o s é "chiado" então serian transch-siberiano. agora em outras partes como o nordeste seria algo como transciberiano (não é a pronuncia correta porém é a mais próxima que eu conseguiria descrever) – Elender Góis Gallas Jan 19 '17 at 0:55
0

A pronúncia predominante no Brasil, mesmo nos lugares onde o "s" pós-vocálico se pronuncia /ʃ/, é /tɾɐ̃s/, com talvez alguma variação para /tɾɐ̃is/. (E, no caso de "transexual", é /tɾɐ̃se/, com /e/ fechado, não /tɾɐ̃sɛ/, de novo com exceções regionais.)

Da mesma forma, "transatlântico" se pronucia /tɾɐ̃z/, e não /tɾɐ̃ʒz/.

/ʃs/ e /ʒz/ são muito difíceis de pronunciar para a maioria dos brasileiros.

0

A maioria dos portugueses pronuncia como "transsexual" (trans-sexual), mas a forma correta "transexual" deverá ser pronunciada como "trã-sexual".

Fazendo a divisão silabica da palavra, temos então:

Na primeira silaba: tr é um cluster de consoantes inicial, pelo que constitui o ataque. Depois temos o a que fará parte do nucleo, por fim temos o n que fará parte da coda. O "s", sendo seguido de uma vogal, já fará parte da segunda silaba.

Portanto, na segunda silaba: s e e constituem respetivamente o ataque e o nucleo.

Terceira silaba: novamente temos uma consoante seguida de vogal: x e u que também constituem respeetivamente o ataque o nucleo.

Por fim, na quarta silaba, temos uma vogal, que fará parte do nucleo, e uma consoante final, que fará parte da coda.

Portanto concluimos que a divisão silabica é: tran-se-xual.

Agora a pronuncia: na primeira silaba temos um a seguido de um n na coda seguido, pelo que será um a nasal e o n é mudo.

Seguidamente, temos um s no ataque da segunda silaba, pelo que se lê /s/ ou /z/, que neste caso é /s/ visto a palavra derivar de uma palavra iniciada por s que recebeu o sufixo trans.

Conclusão, a palavra transexual, grafada desta forma, lê-se /tɾɐ̃.sɛ.ksu.ˈaɫ/.

  • Qual é o teu critério para "forma correta" e "deverá"? – Jacinto Aug 10 '17 at 17:36
  • @Jacinto "forma correta" → "forma registada no dicionario"; "deverá" → "pelas regras ortograficas" (editei a resposta para clarificar este ultimo ponto). – Rui Fonseca Aug 10 '17 at 17:46

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.