7

O que realmente é concordância verbal na língua portuguesa?

Existe diferença no significado de concordância verbal no Português(PT) para o Português(BR)?

5

Concordância com um constituinte significa que todos os constituintes da frase devem concordar, i.e. ter o mesmo, em número, género e grau (se aplicável). Caso isto não aconteça, a frase esta incorreta.

Um exemplo: Os casa sou grandes. está frase não está correta pois o determinante não concorda em género nem número com o sujeito e porque o verbo não concorda em número com o sujeito.

5

Compare as seguintes frases:

O casa estão muita sujo.

A casa está muito suja.

O que falta na primeira frase? Concordância.

Como foi possível ver nesse exemplo, concordância verbal é, como o nome diz, o acordo na "forma" das palavras de uma frase, ou seja, como no exemplo da casa, se um sujeito é feminino os adjetivos que a ele se referem também devem estar na forma feminina, e assim por diante.

Agora, explicando as discordâncias da frase de exemplo, depois do "o", masculino, em desacordo com "casa", que é feminino, tem o "estão", que está em discordância com "a casa", que está na terceira pessoa do singular. Depois dele tem o "muita", que além de estar no feminino, ainda por cima não faz sentido por ser um pronome indefinido significando "em grande quantidade", ao invés de "muito" que é advérbio de intensidade significando "demasiadamente". E por último, "sujo" que também está em discordância com "casa" que é feminino.

Aqui para maiores informações (clique em "Próxima" embaixo para continuar).

3

Concordância verbal é o mesmo no Brasil e em Portugal, e significa a conjugação do verbo de acordo com o sujeito da frase. Exemplos:

Concordância: eu digo. Falta de concordância: eu dizemos, eu diz.

Concordância: eles falaram. Falta de concordância: eles falou, eles falei.

Um erro de concordância algo frequente em Portugal é na segunda pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo (ufa, fiquei sem fôlego): ouve-se, por exemplo, por vezes dizer tu falastes. Está errado: é tu falaste ou vós falastes. Este erro é talvez facilitado por pouca gente usar o vós. Talvez no norte, onde ainda há quem use, seja menos frequente.

Agora, quando o sujeito da frase é uma das pessoas gramaticais, eu, tu, ele, nós, vós, eles, a concordância é muito simples. As coisas tornam-se mais interessantes quando temos sujeitos como a gente, um de nós, a maioria deles, nem eu nem ela, os Estados Unidos, etc. etc. Alguns destes casos já foram debatidos aqui na comunidade, e eu indico abaixo os links dos que conheço. Então, a concordância verbal determina:

Um terço das mulheres está grávido ou estão grávidas?

Fui eu que fiz ou fui eu que fez? Fui eu quem fiz ou fui eu quem fez?

A maioria de nós foi, a maioria de nós fomos, ou a maioria de nós foram?

E noutros casos complicados de concordância verbal podem sempre consultar o manual de redação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.