10

Quando era criança passei muitos Verões em casa dos meus avós.

  • Uma avó mais outra são "as avós".
  • Um avô mais outro são "os avôs".
  • Mas um avô mais uma avó são "os avós".
    Esta palavra é um substantivo masculino, mas usa a raiz feminina "avó" em vez da raiz masculina "avô".

Porquê?

Qual a justificação para o uso sem concordância?

  • Não sei se é um caso de falta de concordância, ou se possa mesmo dizer que a raiz é avó. Pode ser simplesmente um plural irregular. O Aulete diz que avô vem do latim aviolus, Suponhamos que em tempos em português foi avolo/aviolo, pronunciado avôlo/aviôlo. Nalguns substantivos com este padrão, o ô do singular passa a ó no plural: miolo, jogo, povo. Por outro lado, temos os avós paternos. – Jacinto Feb 12 '16 at 12:12
  • O pai da mãe e o do pai são os avôs, era o que eu queria dizer. – Jacinto Feb 12 '16 at 14:53
  • @AndréLyra podes escrever uma resposta com essa informação. É mais útil que deixá-la perdida num comentário que pode até acabar por ser apagado. – ANeves Apr 12 '16 at 15:34
  • Ocorre que algumas palavras trocam mesmo que seja somente na pronúncia o ô pelo ó: um ovo, dois 'óvos'. No caso, por semelhança teríamos um avô, dois avós. Mas não é realmente assim que foi feito. Temos avôs e avós de pai e mãe. Então para diferenciar definiram que seria: - um avô, dois avôs - uma avó, duas avós - avós para avôs e avós – André Lyra Apr 12 '16 at 17:14
  • Não me parece que tenha acontecido dessa forma, @AndréLyra ... mas podes sempre escrever uma resposta, para confirmarmos com os votos positivos da comunidade. – ANeves Apr 12 '16 at 17:17
6

Encontrei a explicação no Ciberdúvidas. No português medieval as palavras eram avoo e avoa, e o plural masculino era avoos. Não se usavam acentos nesses tempos, mas presumivelmente a pronúncia era ou evoluiu para avôo e avóa, donde resultaram avô e avó. Ao contrário do singular, o plural masculino terá mantido a pronúncia aberta do o, avóos. Isto é relativamente comum no português. Pensem em miolo, (miôlo, miólos), tijolo (tijôlo, tijólos) ovo (ôvo, óvos), etc. Portanto os plurais eram pronunciados distintamente, avóos e avóas, mas convergiram para avós com o encurtamento das palavras. Segundo o artigo, a palavra avôs apareceu mais tarde para designar apenas homens (o avô paterno e o materno), mantendo-se avós para casais e antepassados em geral.

Segundo o Ciberdúvidas e outras fontes, a origem de avô e avó é o latim avus e avia, por via dos diminutivos, não atestados, mas que se supõe terem existido, aviolo e aviola, donde terá também surgido o espanhol abuelo e abuela (note-se que não havia acentos na escrita medieval):

Aviolo > avolo > avoo > avo > avô,

Aviola > avola > avoa > avo > avó.

Fui em busca das origens, mas só consegui chegar a avoo e avoa. A forma feminina é rara. Consegui encontrar apenas duas ocorrências, no Corpus Informatizado do Português Medieval (registo necessário):

Onde, a que matou padre ou madre ou avoo ou avoa ou irmaão ou irmaã ou ainda tio ou tia, irmaãos de padre ou de madre, se homiçidio foy voluntario, deve fazer dez annos de penitençia, en esta maneira: deve estar huum anno aas horas, ante a porta da eigreja, e deve perseverar en oraçom. O segundo… (Penitencial de Martim Perez, séc. XV.)

Este meny~' en Castela con Rei Don Alffonsso era,
seu avoo, que do reino de Galiza o fezera
vi~ir e que o amava a gran maravil[l]a fera.
E ar era y sa madre, a que muit' ende prazia,
Ben per está aos reis d'amaren Santa Maria
E sa avoa y era, filla del Rei d' Ingraterra,
moller del Rei Don Alffonsso,
(Cantigas de Santa Maria, séc. XIII.)

Curiosamente, nos séculos XIV, XV e XVI, o feminino passa a ser grafado também avoo:

E, dhy a dous ãnos, que estes dous iffantes morrerõ, morreo a rainha dona Maria, avoo del rey. (Pedro Afonso, Crónica Geral de Espanha, 1344.)

Encontrei uma meia dúzia de avoo significando avó e umas dezenas significando avô. No século XV aparece também avo quer para avô quer para avó, e aparece também avos. Imagino que as pronúncias fossem já muito próximas das atuais, e como ainda não se fazia uso sistemático de acentos, os escritores usavam a mesma grafia para ambas as palavras.

  • Jacinto, podes adicionar a página da fonte do «Penitencial de Martim Perez»? Eu estava curioso sobre se «da padre ou de madre» está assim no original ou se é um erro de transcrição (duvido...), mas tive dificuldade em encontrar a citação no documento original. – ANeves Feb 15 '16 at 17:43
  • 1
    @ANeves Na verdade, no documento que eu linkei está «de padre ou de madre». Eu copiei o texto do Corpus. O penitencial começa na página 73. Faz um find de avoa, que encontras logo. – Jacinto Feb 15 '16 at 19:11

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.