7

Em português brasileiro (pelo menos), é relativamente comum ouvir frases como

Água de coco é bom

Praia é bonito

etc. Nunca havia me passado pela cabeça que há um aparente desacordo de gênero entre o substantivo e o adjetivo dessas frases. O que é interessante é que elas parecem (para mim) mudar de sentido se há um acordo. Por exemplo, "praia é bonito" para mim soa como um juízo sobre praias em geral, enquanto que "praia é bonita" me parece como algo sobre uma praia específica. Por sinal, essa última variante sequer me soa muito gramatical: eu tenderia a dizer algo como "essa praia é bonita", ou "a praia é bonita", e provavelmente não colocaria o artigo em "a praia é bonito".

É interessante que há um fenômeno paralelo em francês: uma frase como "la plage est belle" (literalmente, "a praia é bela") se refere a uma praia em particular, enquanto que "la plage, c'est beau" (literalmente, "a praia, isso é belo") se refere ao conceito geral de praias. Uma frase como "la plage, c'est belle" é agramatical, pois o adjetivo "belle", feminino, deveria concordar com o "ce", que é masculino.

A minha pergunta é: esse fênomeno é bem compreendido, quer seja nas variantes culta ou coloquial da língua? O que eu disse faz sentido para falantes de outras variantes de português?

  • Geralmente são erros de concordância a menos que você esteja se referindo ao objeto de uma forma que haja uma sutil elipse ai "Praia é ((sempre) algo) bonito" – jean Feb 4 '16 at 17:35
  • 3
    Também se diz em Portugal. «Praia é bonito» não me parece. Mas «praia é ótimo», «feijoada é muito bom». Assim de repente, tenderia a justificar isto como redução de «estar na/fazer praia é ótimo», «comer feijoada é muito bom». – Jacinto Feb 4 '16 at 18:21
5

Pelo menos está bem documentado. Veja-se por exemplo o Ciberdúvidas (citando a gramática de Evanildo Bechara):

12) É necessário paciência – Com as expressões do tipo é necessário, é bom, é preciso, significando ‘é necessário’, o adjetivo pode ficar invariável, qualquer que seja o gênero e o número do termo determinado, quando se deseja fazer uma referência de modo vago ou geral. Poderá também fazer-se normalmente a concordância:

  • É necessário paciência.
  • É necessária muita paciência.
  • “O fato de ter sido precisa a explicação (...)” [AP.1, 424 n.o 25].
  • “Eram precisos outros três homens” [AM.1 apud RBa.1, 33]. É possível ainda, em tais casos, aparecer no singular o próprio verbo da oração:

“É doce ao velho / d’argentina voz” [GD apud SS.1, 254]

Como acentua Barbadinho, a flexão de necessária(s) é mais frequente que a de precisa.

A Infoescola:

g) É bom, é necessário, é proibido

1- Essas expressões não variam se o sujeito não vier precedido de artigo ou outro determinante.

Canja é bom. / A canja é boa.
É necessário sua presença. / É necessária a sua presença.
É proibido entrada de pessoas não autorizadas. / A entrada é proibida.

Veja-se também o So Português.

Quando à explicação, esta geralmente é a de que está implícito um infinitivo como haver/ter (Ciberdúvidas, Não Tropece na Língua: Lições e curiosidades do português brasileiro).

Quanto a Portugal, como disse o Jacinto, «praia é bonito» não é geralmente usado, mas parece-me que é mais uma questão de essa aceção de «bonito» não ser usada em Portugal; poderia contudo dizer-se «praia é ótimo».

Apesar de as várias fontes que mencionei porem no mesmo saco é preciso/necessário/proibido no mesmo saco de é bom/ótimo/gostoso, repare-se que têm um comportamento sintático diferente:

(1) É preciso muita fé, antes de mais.
(2) É precisa muita fé, antes de mais. [menos natural]
(3) ?Muita fé é precisa, antes de mais.
(4) *Muita fé é preciso, antes de mais.

Para se usar o masculino, é preciso que o sujeito surja depois de é preciso. A frase (3) só parece possível num contexto enfático.

(5) Praia é ótimo. [=ir à praia]
(6) ?Praia é ótima.
(7) *É ótimo praia.
(8) *É ótima praia.

Neste caso o sujeito tem de vir primeiro. A frase (6) parece-me duvidosa, acho que é necessrio adicionar um complemento ao adjetivo: ótima para qualquer coisa.

1

Eu diria que "água de coco é bom pra saúde", mas provavelmente não diria que "água de coco é boa pra saúde". Neste caso, entende-se que beber água de coco /é bom/faz bem/ pra saúde. Mas posso dizer que "a boa água de coco deve conter pelo menos seis tipos de sais minerais", sempre preservando a concordância.

Não vejo, contudo, uma situação em que eu dissesse que "praia é bonito". E nem ouço tal uso na região do Brasil em que vivo. Eu poderia dizer "a praia tem um visual bonito" ou "uma praia é algo bonito de se ver". Mas nunca "praia é bonito."

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.