2

"Nós temos tempo o suficiente." means "We have enough time."

What is the purpose of the determiner "o" in that sentence? "o suficiente" appears to be used just like a plain "suficiente" (or "bastante") would be, as an adjective.

I could imagine a structural change like "Nós temos o tempo [que é] suficiente" but putting the "o" in front of.. what seems like an adjective, is peculiar enough to warrant asking the question.

note: bounty now awarded for Jacinto's answer

5
  • 2
    Isso diz-se assim no Brasil? Essa frase parece-me no mínimo marginal em português de Portugal. Se a visse pensaria que era uma confusão com o construções como "não gosto o suficiente (para qualquer coisa)", "é bom o suficiente", onde "o suficiente" significa "suficientemente".
    – Artefacto
    Jan 20 '16 at 15:50
  • Para sua comparação ficar mais clara: "Nós temos tempo suficiente pra sermos felizes o suficiente?" Jan 20 '16 at 15:58
  • Roberto, I've added an English version.
    – Jacinto
    Jan 20 '16 at 23:16
  • Jacinto your very first edit was already good enough that I wanted to reward your answer. in 14 hours it will let me add a bounty and then give you rep for it. thank you again. Jan 22 '16 at 0:33
  • I'm certainy glad you liked my answer. Awarding a 50 point reward was unnecessary though. An upvote is good enough.
    – Jacinto
    Jan 26 '16 at 17:40
2
+50

Português (in English below)

Embora a expressão tempo o suficiente me soe estranha, a verdade é que a encontramos em muitos livros, todos recentes, e parece-me que publicados no Brasil. Também encontrei dinheiro o suficiente, espaço o suficiente, etc.. O o não faz nada: em todos os exemplos que vi tempo o suficiente poderia ser substituído por tempo suficiente sem alteração de significado.

Parece-me que se trata de uma última extensão do uso de o suficiente. Um dos significados de suficiente no Aulete digital é:

[substantivo masculino] 4. Aquilo que satisfaz, que basta ou é bastante: tem o suficiente para viver bem por longos anos.

Andei a ver este Corpus do Português e parece que o suficiente começou por ser usado como objeto direto do verbo, como no exemplo do Aulete, ter o suficiente. Depois passou a ser também usado com locução adverbial: aproximar-se o suficiente. Mais tarde ainda, passou a modificar adjetivos: grande o suficiente. E parece que por fim qualifica também substantivos: tempo o suficiente. De maneira que o suficiente tem atualmente quatro usos diferentes. Mostro alguns exemplos, incluindo os mais antigos que encontrei de cada tipo.

Encontrei o suficiente usado como objeto direto de verbos desde meados do século XIX:

(a) Visto que estais tão desprendidos de interesse, que não hesitais em fazer-lhe sacrifício dos vossos bens, podeis ceder-lhe o suficiente para o compensar da perda. (Júlio Diniz, A Morgadinha dos Canaviais, 1868.)

(b) O que preciso saber é se estás disposta a ir ter comigo (…) Não por enquanto, está claro. Quando eu ganhar o suficiente para vivermos, embora como pobres; mas tendo a nossa casa. (José Régio, O Príncipe com Orelhas de Burro, 1942.)

No último exemplo, lemos o suficiente como objeto direto de ganhar. Mas não escandalizaria se substituíssemos o suficiente por suficientemente. E mais recentemente encontra-se o suficiente com este significado, usado inequivocamente como locução adverbial:

(c) Alfreda sorriu. Aproximou-se dele o suficiente para beijar-lhe o rosto. (Gastão de Holanda, O Burro de Ouro, 1960.)

(d) Raimundo Silva senta-se num banco de pedra, (…) ao castelo conhece-o o suficiente para não ter de voltar hoje, mesmo sendo dia de inventário. (José Saramago, História do Cerco de Lisboa, 1989.)

Como modificador de adjetivos, o uso de o suficiente parece ser ainda mais recente:

(e) O parque, grande o suficiente para conter um estádio de futebol, é ricamente arborizado e possui uma vegetação rasteira que chega à altura da canela. (Luiz Alfredo Garcia Rosa, O silêncio da Chuva, 1996.)

E por fim passou também a qualificar substantivos, como no poema O Suficiente de Li Barbosa (2007):

(f) Quero apenas o suficiente… Quero paz o suficiente para viver em serenidade; Quero alegria o suficiente para sentir felicidade (…)

E para que não se pense que é só na poesia, aqui temos um dos muitos exemplos de o suficiente usado na prosa, Leonardo Saraiva, A Fúria, (2010):

(g) Queria mentir, dizer que tinha tempo o suficiente para conseguir uma ambulância e salvar a sua vida se isso ainda fosse possível,

E embora seja raro, já se encontram coisas destas também em Portugal. Até já encontrei a suficiente:

O responsável acredita que a novidade do evento não criou motivação a suficiente para que tal acontecesse. (Notícias de Setúbal, Missão de Fé, 6-5-2013)

Isto é perto de casa. Devia lá ir e ver se não é gralha.

ENGLISH

The expression tempo o suficiente sounds weird to me, but the truth is that we find it in plenty of books, all of them recent and, it seems, published in Brazil. I have also found dinheiro o suficiente, espaço o suficiente, etc. The o doesn’t do anything: in every example I’ve checked we could substitute tempo suficiente for tempo o suficiente, and it would still mean the same.

I think it is the latest extension of the use of o suficiente. One of the meanings in suficiente no Aulete digital is:

[substantivo masculino] 4. Aquilo que satisfaz, que basta ou é bastante: tem o suficiente para viver bem por longos anos. ([masculine noun] 4 that that satisfies, that suffices or is enough.)

I looked around in this Corpus do Português and it looks as though o suficiente was first used as the direct objet of a verb, as in the example in Aulete: ter o suficiente (have (that that is) enough, have as much as is enough). Later it was also used as an adverbial phrase: aproximar-se o suficiente ([he/she] got close enough, got as close as was enough). Still later it was used to modify adjectives: grande o suficiente (big enough, as big as is enough) And it looks as though now it is modifying nouns as well: tempo o suficiente (enough time). So now o suficiente has four different types of use. I now show some examples, including the earliest I could find of each type.

I found o suficiente used as direct object of verbs from the mid 1800s onwards:

Visto que estais tão desprendidos de interesse, que não hesitais em fazer-lhe sacrifício dos vossos bens, podeis ceder-lhe o suficiente para o compensar da perda. (Júlio Diniz, A Morgadinha dos Canaviais, 1868.)

O que preciso saber é se estás disposta a ir ter comigo (…) Não por enquanto, está claro. Quando eu ganhar o suficiente para vivermos, embora como pobres; mas tendo a nossa casa. (José Régio, O Príncipe com Orelhas de Burro, 1942.)

In the last example, we read o suficiente as the direct objet of ganhar (earn what is enough). But it would not shock anyone if we substituted suficientemente for o suficiente. And more recently o suficiente took this meaning too, and has been unambiguously used as an adverbial phrase:

Alfreda sorriu. Aproximou-se dele o suficiente para beijar-lhe o rosto. (Gastão de Holanda, O Burro de Ouro, 1960.)

Raimundo Silva senta-se num banco de pedra, (…) ao castelo conhece-o o suficiente para não ter de voltar hoje, mesmo sendo dia de inventário. (José Saramago, História do Cerco de Lisboa,

The usage of o suficiente as a modifier of adjectives is even more recent:

O parque, grande o suficiente para conter um estádio de futebol, é ricamente arborizado e possui uma vegetação rasteira que chega à altura da canela. (Luiz Alfredo Garcia Rosa, O silêncio da Chuva, 1996.)

And lately it has been used to modify nouns as well, as in the poem O Suficiente de Li Barbosa (2007):

Quero apenas o suficiente… Quero paz o suficiente para viver em serenidade; Quero alegria o suficiente para sentir felicidade (…)

Lest you think this usage is just poetic license, here is one of many similar examples found in prose, this one from Leonardo Saraiva, A Fúria, (2010):

Queria mentir, dizer que tinha tempo o suficiente para conseguir uma ambulância e salvar a sua vida se isso ainda fosse possível,

And though rare, we can find such usage in Portugal too. I’ve even found a suficiente:

O responsável acredita que a novidade do evento não criou motivação a suficiente para que tal acontecesse. (Notícias de Setúbal, Missão de Fé, 6-5-2013)

This is so close to home, I should go and check it’s not a typo.

12
  • doesn't your citation Como modificador de adjetivos, o uso de o suficiente parece ser ainda mais recente: O parque, grande o suficiente para conter um estádio de futebol, é ricamente arborizado e possui uma vegetação rasteira que chega à altura da canela. (Luiz Alfredo Garcia Rosa, O silêncio da Chuva, 1996.) and the substantive form after it seem like the right form to you? I think you should trim out the earlier stuff.. the first two citations clearly seem wrong, as do those leading up to the above. I deeply appreciate your answer, and will find a way to award you rep for it. Obrigado! Jan 20 '16 at 21:21
  • @robertotomás You mean ceder-lhe o suficiente and ganhar o suficiente sound wrong to you? They're perfectly standard, and far more commom than grande o suficiente. I answered in Portuguese. Is that alright to you? Most of the answer are quotes anyway.
    – Jacinto
    Jan 20 '16 at 21:26
  • Os teus exemplos não são homogéneos. O primeiro caso, em que "o suficiente" se segue a um verbo, parece-me um caso de simples elisão, como em «Dinheiro? Não temos o [dinheiro] suficiente para isso.» Um caso mais interessante é quando aparece associado a um adjetivo: «não é grande o suficiente». Aparecem-me exatamente zero casos no séc XIX no corpus portugues para ajetivo + o suficiente e adjetivo + o bastante, parece ser um fenómeno recente e (pessoalmente) soa-me informal. Os casos em que se segue a um nome parecem relativamente estranhos e não sei bem como os interpretar, mas (continua)
    – Artefacto
    Jan 20 '16 at 22:26
  • @Artefacto queres dizer sec. XIX? Precisamente. Eu incluí na resposta os exemplos mais antigos de cada tipo.
    – Jacinto
    Jan 20 '16 at 22:26
  • no primeiro caso parece-me apenas uma liberdade poética (iguala a estrutura à da primeira frase). O segundo, sem mais, parece-me simplesmente um desvio por analogia a outras ocorrências de "o suficiente". O CETEMPúblico tem zero ocorrências relevantes para [pos="N.*"] "o" "suficiente". O último é claramente uma gralha.
    – Artefacto
    Jan 20 '16 at 22:30

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.