5

No Brasil usa-se "moço" a torto e a direito: "ei, moço, pode me informar onde fica a Praça do Rossio?", "Ei, Maria, tem um moço aqui na porta querendo falar contigo", "Ah, tu és aquele moço que consertou o fogão?" Geralmente o moço é jovem, mas às vezes usamos até para homens de meia idade. Podemos nos dirigir a um homem em Portugal chamando-o de moço sem ofendê-lo? Qual seria essa situação?

4

Não recomendaria de todo esse uso num vocativo. Moço (e moça) tem o seu quê de paternalista e de antiquado. Quando é usado, muitas vezes (mas nem sempre), é-o num tom algo entre o benevolente e o paternalista (e.g. "deixa lá a moça em paz").

Para nos dirigirmos a alguém e não ser potencialmente ofensivo, teria de ser uma pessoa bastante nova (certamente não um adulto). Diria que é até mais perigoso do que usar você em Portugal.

Usá-lo para referir um homem de meia idade ou mais velho seria, aí já não tanto ofensivo, mas simplesmente bizarro.

Ei, Maria, está aqui à porta um moço que quer falar contigo.

Por outro lado, nesta outra frase "moço" é bastante neutro e a frase é adequada desde que se trate de uma pessoa jovem:

A seguinte é mais perigosa, mas por causa do tutear:

Ah, tu és aquele moço que consertou o fogão?

Partindo do princípio que o tutear é adequado (o que é um pouco difícil de imaginar, mas podemos admitir por exemplo o contexto de uma relação patrão-criado tradicional), então "moço" também cairia bem.

A forma mais segura de nos dirigirmos a alguém que não conhecemos, como no contexto de pedir indicações, é omitir qualquer forma de tratamento, ou quando muito usar o(a) senhor(a) ou a menina (se a mulher for jovem):

Desculpe, pode dizer-me onde fica o Rossio?

O Rossio provavelmente toda a gente sabe onde fica, mas se não tivermos a certeza de que o interlocutor sabe a resposta, o melhor será perguntar:

Desculpe, sabe dizer-me onde fica o Rossio?

  • Acho estranho esse uso de "é-o". Nunca vi seu uso tanto na língua escrita quanto falada. – Centaurus Dec 12 '15 at 22:18
  • @Centaurus é um pronome neutro de atributo — chamamo-lo assim na terminologia hispânica, ao menos, mas pode ser diferente na lusófona já que pelo visto na terminologia da gramática lusófona, não se sói usar o término neutro. Fiz uma pergunta relacionado com o tema há um tempo. – guifa Dec 13 '15 at 17:04
  • "Diria que é até mais perigoso do que usar você em Portugal." No Brasil, em situações formais, quando não há intimidade alguma, seria apenas falta de educação. – Centaurus Dec 25 '15 at 23:35
  • 1
    "Diria que é até mais perigoso do que usar você em Portugal." Gostava que me explicassem o quão perigoso é usar "você" em Portugal. – Oak Feb 28 '16 at 0:51
  • @Oak Isso está fora do âmbito desta pergunta. Se estiveres interessado, podes submeter uma nova pergunta. – Artefacto Feb 28 '16 at 13:22

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.