14

Traffic in many European languages is directly translated to a similar word (French: trafic, Spanish: tráfico, Italian: traffico, German: traffic, Romanian: trafic). However in Portuguese this word seems to depend on the context it is used:

  • if I'm referring to the passage and flow of vehicles, I should use the word tráfego.
  • if I'm referring to an illegal traffic (commercial or other illegal kind), I should use the word tráfico.

This question has been asked by Portuguese people many times (e.g. ciberdúvidas, duvidas.dicio, origemdapalavra), but I found none that explained why in Portuguese this difference came to be...

I wanted to understand particularly when tráfego started being used, since the word traffic was first used for the flow of vehicles in 1825... Was it around the same time?

20

Português (English below)

Tráfego and tráfico têm a sua origem na palavra italiana traffico, a qual originalmente, no século XIV, significava comércio. A palavra entrou rapidamente na língua portuguesa como trafego, e uns séculos mais tarde novamente como trafico (os acentos foram acrescentados no século XX). A tabela abaixo mostra a frequência das duas palavras neste Corpus do Português.

Século     XV   XVI  XVII  XVIII  XIX    XX
Tráfego    5     22    9     6     21   351
Tráfico    -     -     -     1     99   432

No século XV, tráfego significava comércio, tal como em Chancelarias Portuguesas, Dom Duarte I-II, 1433-35 (a letra u representa nalguns casos a atual v):

E que nosa senhoria podia saber que os antijgos edificarem hi sua pouoaçom soomente por viuerem pollo trafego das mercadorias e as ajuntarem em ella por quanto de lixboa ataa galiza nom acharom outro porto de mar mais seguro que esse.

Nos princípios do século XVII tráfego tinha adquirido o significado de trabalho , negócios, interação social, azáfana, movimento de pessoas:

Lisboa é terra grande e a muita confusão da gente e tráfego dela a faz embaraçada. (Francisco Rodrigues Lobo, Corte na Aldeia e Noites de Inverno, 1607.)

[E] assim não havia quem se ouvisse em caza com o trafego e revolta, porque continuamente de noite e de dia não cessavão, huns a jugar, outros a comer e beber, outros a comprar e vender, outros a enfardelar. (Luiz Frois (1560-80) Historia do Japam 2.)

[É] tão continuada sua romagem de todos os Gentios do Oriente, (…) vendo aquele tráfego de romeiros, franqueou aquela romagem a todos liberalmente. (Diogo do Couto, Quinta década (livros 8-10), vol. 1, Décadas, 1584.)

Estes significados de tráfego ainda aparecem no dicionários (ver Aulete ou Infopédia), e ainda eram usados nos finais do século XIX:

O comércio de importação e exportação de gêneros, mesmo em larga escala, o próprio tráfego de africanos, lhe pareciam especulações degradantes e impróprias de sua alta posição e esmerada educação. (Bernardo Guimarães, A Escrava Isaura, 1875.)

Ele amava doidamente a padeirinha. Há dias que a tinha visto pela primeira vez, quando ela, como agora, regressava do seu trafego habitual. (Abel Botelho, Mulheres da Beira, 1898.)

Tráfego com o significado de fluxo de mercadorias ou veículos aparece no Corpus apenas nos finais do século XIX. No século XX esse é praticamente o seu único significado (vi apenas uma amostra das 351 ocorrências no Corpus).

E de quantos cachorros precisa o senhor para o tráfego dos trens diários do Cosme Velho ao Corcovado? (França Júnior, Caiu o Ministério, 1883.)

Entretanto, a remoção parcial dos paus, que em trechos salteados atravancam o rio, seria facílima, facultando desde logo, em qualquer tempo, um tráfego de viagens seguidas, mesmo para as lanchas de três pés de calado. (Euclydes da Cunha, Canudos e Outros Temas, 1897?)

Na sua primeira ocorrência no Corpus, 1756, tráfico significa comércio. No século XIX todas as ocorrências exceto duas tem que ver com o tráfico de escravos, e têm conotação negativa. Cerca de dois terços de todas as entradas vêm da obra do abolicionista brasileiro José do Patrocínio (1854-1905). No século XX tráfico é usado sobretudo no contexto de tráfico de droga.

A palavra italiana traffico deve ter sido importada oralmente. Não vejo como é que o c teria passado a g se a palavra tivesse sido importado por escrito. Lisboa era no final da Idade Média um porto internacional importante, e muitos mercadores italianos estabeleceram-se lá. Portanto teriam havido muitas oportunidades para os portugueses se familiarizarem com a palavra. Imagino que marinheiros e comerciantes mudassem o som, e que os escritores da altura simplesmente escrevessem a palavra tal como a ouviam. Os sons /k/ and /g/ são muito parecidos. Tráfico aparece com conotação negativa praticamente desde o início. Portanto deve ter sido cunhada de novo, possivelmente sob influência francesa. A palavra italiana traffico entrou para o francês como trafic, e adquiriu muito cedo a conotação de comércio imoral e clandestino quetráfego nunca teve.

English

Tráfego and tráfico both ultimately have their origins in the Italian word traffico, which in its fourteenth century origin meant trade. The word was quick to enter the Portuguese language as trafego, and centuries later as trafico (accents were added in the twentieth century). The table below shows the occurrences of the two words in this Corpus do Português.

Century  15th  16th  17th  18th  19th  20th
Tráfego    5    22     9     6    21    351
Tráfico    -     -     -     1    99    432

In the 15th century, tráfego meant trade, as in Chancelarias Portuguesas, Dom Duarte I-II, 1433-35 (some u are v today):

E que nosa senhoria podia saber que os antijgos edificarem hi sua pouoaçom soomente por viuerem pollo trafego das mercadorias e as ajuntarem em ella por quanto de lixboa ataa galiza nom acharom outro porto de mar mais seguro que esse.

By the beginning of the 17th century tráfego had also come to mean work, affairs, social interaction, great activity, movement of people:

Lisboa é terra grande e a muita confusão da gente e tráfego dela a faz embaraçada. (Francisco Rodrigues Lobo, Corte na Aldeia e Noites de Inverno, 1607.)

[E] assim não havia quem se ouvisse em caza com o trafego e revolta, porque continuamente de noite e de dia não cessavão, huns a jugar, outros a comer e beber, outros a comprar e vender, outros a enfardelar. (Luiz Frois (1560-80) Historia do Japam 2.)

[É] tão continuada sua romagem de todos os Gentios do Oriente, (…) vendo aquele tráfego de romeiros, franqueou aquela romagem a todos liberalmente. (Diogo do Couto, Quinta década (livros 8-10), vol. 1, Décadas, 1584.)

These meanings of tráfego appear still in the dictionaries (see Aulete and Infopédia), and were still current in the 19th century:

O comércio de importação e exportação de gêneros, mesmo em larga escala, o próprio tráfego de africanos, lhe pareciam especulações degradantes e impróprias de sua alta posição e esmerada educação. (Bernardo Guimarães, A Escrava Isaura, 1875.)

Ele amava doidamente a padeirinha. Há dias que a tinha visto pela primeira vez, quando ela, como agora, regressava do seu trafego habitual. (Abel Botelho, Mulheres da Beira, 1898.)

Tráfego meaning flow of goods and vehicles appears in the corpus only late in the 19th century. In the 20th century that is basically its only meaning (I’ve merely sampled its 351 occurrences).

E de quantos cachorros precisa o senhor para o tráfego dos trens diários do Cosme Velho ao Corcovado? (França Júnior, Caiu o Ministério, 1883.)

Entretanto, a remoção parcial dos paus, que em trechos salteados atravancam o rio, seria facílima, facultando desde logo, em qualquer tempo, um tráfego de viagens seguidas, mesmo para as lanchas de três pés de calado. (Euclydes da Cunha, Canudos e Outros Temas, 1897?)

In its first 1756 appearance tráfico means trade. In the nineteenth century all but two occurrences relate to the slave trade and carry a negative connotation. About two thirds of all entries come from the work of José do Patrocínio (1854-1905), a Brazilian abolitionist. In the twentieth century tráfico is used mostly for drug traffic.

The Italian traffico must have been imported orally. I cannot see how the c would have changed into g if it had been imported in writing. Lisbon was a busy international port in the late medieval period, and many Italian merchants actually settled there. So there would been plenty of opportunity for the Portuguese to get acquainted with the word. So I guess sailors and tradespeople changed the sound of it, and writers of the time simply wrote it as they heard it. The sounds /k/ and /g/ are of course very similar. Tráfico appears with a negative meaning basically from the start. So it may have been coined anew, possibly under French influence. The Italian traffico passed into French as trafic, and acquired early on a sense of immoral and clandestine trade that tráfego never did.

| improve this answer | |
  • 7
    Indeed, it's not uncommon for a word to be imported twice, the earlier import will more likely have undergone phonetic changes and semantic shifts this creating two different words with different meanings or connotations. Cf. lugar / local – user0721090601 Oct 22 '15 at 22:14
  • 1
    Uau, meus votos de milhares de votos positivos para esta resposta. This question has been asked [...] many times e finalmente tem uma resposta canônica aqui no Portuguese Language :) – brasofilo Oct 28 '15 at 1:47

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.