5

Por exemplo, na frase

Uma caixa não necessariamente precisa ser quadrada.

usar "necessariamente precisa" está gramaticalmente correto? Seria pleonasmo?

4

Não me parece ser um pleonasmo. Dependendo do contexto, "não...necessariamente" dá mais clareza ao que se deseja transmitir.

eg.

  • "Vou por tudo numa caixa. Veja se tem uma caixa quadrada no depósito."
  • "Não encontrei. Ela precisa ser quadrada?"
  • "Não, não necessariamente."

compare com:

  • "Vou por tudo numa caixa. Veja se tem uma caixa quadrada no depósito."
  • "Não encontrei. Ela precisa ser quadrada?"
  • "Não"
  • "Então porque você pediu quadrada?"

"não necessariamente" significa que a preferência é pela quadrada mas, na sua falta, outra pode servir. Já o simples "não" fica um pouco ambíguo. "não necessariamente" evita que você use uma explicação longa como "a quadrada é mais apropriada mas, não havendo uma, usaremos uma caixa de outro formato."

| improve this answer | |
  • Não sei, mas não me convenceu completamente. Eu vejo a frase "Então porque você pediu quadrada?" bem nas duas formas que enunciaste. – Jorge B. Sep 30 '15 at 14:43
  • @JorgeB. Na primeira fica implícito que a quadrada seria melhor. Pelo menos é assim que eu entenderia naquele contexto. Depende também um pouco da intonação que se dá a "necessariamente" – Centaurus Sep 30 '15 at 15:00
4

Eu diria que é de facto um pleonasmo que dá um foco maior à ideia de necessidade do que um simples "precisa". Mas "precisar" já transmite a ideia de necessitar. O Aulete define "precisar" como:

  1. Ter necessidade (de) ou ser (algo) necessário.

Geralmente, quando se diz que A precisa de B está a dizer-se que B é necessário, não que B é suficiente (tal como outras alternativas seriam) ou que simplesmente dava jeito; não se "precisa opcionalmente":

A: Preciso de uma caixa quadradada.
B: Tenho aqui uma redonda.
A: És surdo ou quê?

Mas por vezes é razoável não interpretar alguém literalmente:

A: Preciso de uma coisa do Pingo Doce [supermercado].
B: Eu vou agora passar pelo Lidl [outro supermercado], o que queres que te traga?
A: Não, preciso mesmo/necessariamente que seja do Pingo Doce.

Possível, mas esquisita. Mesmo fica muito melhor. Aqui B está a inferir que A 1) não precisa de facto de ir ao supermercado (apenas precisa de um produto de lá) e que 2) esse mesmo produto existe em outro supermarcado ao qual ele já vai de qualquer forma. Em reposta, A concede implicitamente 1), mas não 2).

Onde "precisar necessariamente" é mais usado é na negativa. Todos os 8 exemplos de [lema="precisar"] "necessariamente" no CETEMPúblico são na negativa:

Quem vem aos nossos concertos gosta de música, não precisa necessariamente de conhecer as canções.

A ideia transmitida é diferente de um simples não precisa. O que a frase implica é que é expectável, ou talvez até recomendável, que se conheçam as canções, mas não é literalmente necessário.

Parece-me que a razão por que há esta maior latitude na negativa é o facto de que "não ser necessário" deixa muito espaço aberto: pode ser algo preferencial (a interpretação com necessariamente), pouco ou nada relevante (não é preciso de todo) ou não ter qualquer julgamento (não é preciso).

| improve this answer | |
3

Precisar necessariamente só em contextos muito particulares será pleonasmo. A razão é que necessariamente tem um significado de necessidade absoluta que normalmente não está presente em precisar. O Dicionário da Academia das Ciências de Lisboa (DACL) define necessariamente:

(1) Por ser absolutamente preciso ou necessário; por necessidade. = obrigatoriamente.
(2) Como consequência lógica, natural ou inevitável em qualquer caso. = fatalmente, forçosamente, inevitavelmente.

Só quando o contexto der a precisar o significado de precisar com necessidade absoluta é que precisar necessariamente será pleonasmo. Por exemplo:

Este esquentador precisa de pilha para funcionar.

A frase tal como está já indica que precisa significa precisar com necessidade absoluta. Logo acrescentar necessariamente seria pleonástico. Mas ser pleonástico não significa ser incorreto. A literatura está cheia de pleonasmos.

Agora precisar não é normalmente usado com este caráter de necessidade absoluta. Por exemplo:

Não precisamos necessariamente de meter gasolina para chegar ao Porto. Só se fores a acelerar é que precisamos; se não fores a mais de cem à hora, não precisamos.

Não precisamos necessariamente de levantar mais dinheiro; se formos jantar ao Ritz, precisamos; se formos à Tasca do Manel, o dinheiro que temos chega e sobra.

Nos casos anteriores precisar é sim ou sopas: ou é absolutamente necessário ou não é. Mas, possivelmente, na maioria dos usos, precisar de alguma coisa é usado com o significado de ser desejável, bom, vantajoso, conveniente ter essa alguma coisa. E isto é um uso perfeitamente legítimo. Diz o DACL em precisar (significados mais relevante; como de costume, as definições remetem para outras palavras que remetem para outras palavra, mas os exemplos esclarecem):

(6) Ter, alguém ou alguma coisa, falta de algo necessário, seja concreto ou abstrato; ter carência de. = carecer de, necessitar de. Precisava de dinheiro. Precisava de casa. Precisava de ajuda. A casa precisava de obras. O escritório precisava de arrumação. As árvores precisam de água.
(7) Ter, alguém, necessidade, precisão de alguma coisa. = Necessitar de. Precisava de madrugar. Precisava de melhorar a sua imagem. Precisava que a loja abrisse mais cedo.

Destes exemplos, só no caso das árvores é que há implicitamente uma necessidade absoluta: sem água as árvores morrem. Nos outros casos a necessidade não é absoluta, logo admite gradações: pode ser maior ou menor. Ou seja pode-se precisar muito ou pouco. E aqui pode-se dizer preciso necessariamente com o significado de preciso muito. Não é um pleonasmo. Na maioria das frases afirmativas será é uma hipérbole, ou exagero. Por exemplo, quando se diz

Preciso necessariamente de começar a fazer exercício físico,

o que se quer dizer, é que é muito importante para nós começarmos a fazer exercício físico; não que exista uma necessidade absoluta. Mas se, como observa o Artefacto, precisar necessariamente aparece sobretudo na negativa, então nem sequer hipérbole é.

Agora há outra coisa que podemos querer considerar. Necessitar pode ser usado com o significado de precisar. Portanto se não é pleonasmo dizer precisar necessariamente, também não o é dizer necessitar necessariamente (necessitar não tem que ter o significado de necessidade absoluta). Mas ninguém, a não ser para efeito cómico, diria isto. Ora o que pode acontecer é que ao dizermos ou ouvirmos precisar necessariamente esteja presente na nossa mente a possibilidade de substituir precisar por necessitar, e que isso suscite na nossa mente um pouco da aversão que sentimos perante necessitar necessariamente. Portanto uma pessoa pode querer evitar precisar necessariamente simplesmente por uma questão de estilo. Afinal existem muitas alternativas:

Não precisamos verdadeiramente de uma caixa quadrada. Não temos necessariamente que meter gasolina. Não é absolutamente necessário/preciso levantar mais dinheiro. Não é imperioso chegar ao Porto antes das oito horas. Preciso mesmo/muito/urgentemente de começar a fazer exercício físico. Ó meus xenhores, não havia nexexidade de uma resposta tão longa, etc. etc.

| improve this answer | |
  • 2
    A última frase é espetacular de tantas formas que precisa necessariamente de um voto positivo ;) – Jorge B. Oct 1 '15 at 10:23
  • 2
    @JorgeB. Que fique claro que as pessoas, opiniões e acontecimentos retratados nas frases ilustrativas são fictícios, e qualquer semelhança com a realidade será mera coincidência. – Jacinto Oct 1 '15 at 15:35

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.