7

Como estrangeiro, sempre foi uma surpresa no Brasil encontrar expressões do tipo "leite em pó desnatado", dado (para mim) a ambiguidade do substantivo qualificado pelo adjetivo "desnatado".

Insistia que era melhor "leite desnatado em pó", mas muitos amigos Brasileiros também insistiam o contrário.

Existe uma regra geral?


As a foreigner, I was always surprised by phrases like "leite em pó desnatado", given (for me, anyway) the ambiguity of which noun gets qualified by "desnatado".

I always used to insist that "leite desnatado em pó" was a better option, but my Brazilian friends always seemed to insist that I was wrong.

Is there a general rule?


Tentei adicionar o tag "phrase-order", mas meu(?) karma ainda é inadequado.

5

Eu não tenho conhecimento da existência de regra sobre esse assunto, e a posição que vou assumir baseia-se apenas na minha intuição enquanto falante nativo: leite em pó desnatado ou leite desnatado em pó são igualmente corretos. a escolha entre um e outro depende da maneira como o falante, quase de certeza sem se dar conta, classifica mentalmente as coisas. Entretanto, um membro empreendedor da nossa comunidade colocou a questão ao Ciberdúvidas, que confirma a correção das duas expressões.

Uma possibilidade é classificar o leite primeiro de acordo com a forma, líquida ou em pó; considerar cada forma como um produto diferente, e só depois classificar cada um destes produtos quanto ao teor de gordura. Esta lógica da forma impõe-se facilmente como natural, por as duas formas serem tão diferentes, e conduz naturalmente a leite em pó desnatado. O argumentoa presentado pelo Jorge B noutra resposta assume implicitamente que a lógica da forma é a única válida.

Mas também é possível pensar que primeiro o leite é ou não desnatado, e os dois produtos, leite integral e leite desnatado, só depois são ou não reduzidos a pó. É assim de facto que o leite em pó desnatado é fabricado. Mas bastaria o falante acreditar que era assim, mesmo que não fosse, para poder adotar esta lógica da fabricação, o que conduz naturalmente a pensar em leite desnatado em pó. É esta a lógica que o OP acha mais natural.

A meu ver ambas as lógicas são perfeitamente defensáveis, e leite em pó desnatado e leite desnatado em pó são expressões igualmente corretas e sinónimas. Uma pesquisa no Google mostra que ambas as classificações mentais são usadas, ainda que a lógica da forma seja muito mais comum que a lógica da fabricação: leite em pó desnatado ocorre seis vezes mais que leite desnatado em pó, 190 contra 33 milhares. Em várias páginas ocorrem ambas as expressões, o que indica que muitos falantes, ou escreventes neste caso, mudam facilmente de uma para a outra.

Há agora uma coisa curiosa. Em Portugal os temos são leite gordo e leite magro. Ora enquanto leite desnatado em pó e leite em pó desnatado me soam igualmente bem, leite magro em pó soa-me mais natural que leite em pó magro, apesar de todas os quatro nomes designarem exatamente o mesmo produto. Talvez a confirmar que não sou o único, na pesquisa do Google, leite em pó magro ocorre apenas o dobro das vezes de leite magro em pó, (cerca de seis contra três milhares, enquanto no caso dos equivalentes desnatados a diferença é de seis para um).

Agora, o OP levanta o potencial problema da ambiguidade em leite em pó desnatado, de se saber se desnatado qualifica o pó ou o leite. Este problema não se coloca ao falante nativo. O falante nativo não separa leite em pó desnatado em leite + pó desnatado; separa em leite em pó + desnatado.

Nem sempre a ordem dos adjetivos é arbitrária. Por exemplo, consideremos os atributos líquido/em pó e barato/caro. Creio que ninguém diria leite barato em pó. Ser líquido ou em pó é uma caraterística intrínseca do leite, enquanto ser caro ou barato é uma caraterística externa, mais acidental. Portanto é natural classificar primeiro o leite quanto à forma e só depois quanto ao preço, resultando naturalmente em leite em pó barato. No caso anterior, líquido/barato e desnatado/integral são ambos atributos intrínsecos do leite, pelo que a lógica da forma e da fabricação são ambas naturais. Se alguém me falasse em leite barato em pó eu possivelmente interpretaria barato como de má qualidade, adotando uma lógica de fabricação, em que leite líquido de má qualidade fora desidratado.

| improve this answer | |
  • Excelente exemplo esse do leite barato em pó. – Jorge B. Sep 18 '15 at 16:28
  • Realmente leite magro em pó soa melhor, está corretíssimo. Mas no caso de um produto à venda acho que tem muita mais lógica ser leite em pó magro. Se em vez de ser em pó fosse achocolatado? Leite magro achocolatado e Leite achocolatado magro qual te soa melhor? – Jorge B. Sep 18 '15 at 16:32
  • É, mas repara que há uma diferença. Ser barato não é uma propriedade intrínseca do leite. Já ser magro e ser pó são ambas propriedades intrínsecas. Eu posso imaginar o leite a ser desnatado e depois reduzido a pó, o que sugere leite desnatado em pó. Mas não faz sentido pensar no leite ser barato primeiro e depois reduzido a pó. isso poderia até ser verdade, mas não significa que o leite fosse barato para o consumidor final. É por isso, que se o preço pago pelo consumidor é baixo, tem que ser leite em pó barato. – Jacinto Sep 18 '15 at 16:34
  • Jacinto vê o exemplo que dei a seguir. – Jorge B. Sep 18 '15 at 16:39
  • 2
    @Jacinto Não tenho a menor idéia, mas não iria fazer diferença, devido ao meu forte sotaque de nordestino. (Inglaterra fica ao nordeste do Brasil.) – Brent.Longborough Sep 18 '15 at 16:51
5

Neste caso o correto é leite em pó desnatado, e porquê? Porque leite em pó é o substantivo e desnatado o adjetivo que o caracteriza.

Podes ter o leite em pó (com natas) e o leite em pó (sem natas, ou seja, desnatado) mas o que é importante é que é leite em pó.

Tens vários exemplos de leite em pó:

  • leite em pó magro
  • leite em pó meio-gordo
  • leite em pó gordo
  • leite em pó integral

Poderia também ser leite desnatado em pó, mas isso indicaria que tens uma gama de produtos de leite desnatado, que não faz muito sentido. E não estaria em concordância com o facto de ser leite em pó.

No fundo é uma questão de concordância com o produto que esta a ser vendido. Se estamos a vender leite em pó e queremos vender leite em pó sem natas então teremos de vender leite em pó desnatado.

| improve this answer | |
  • Não sei se fui claro o suficiente. – Jorge B. Sep 18 '15 at 12:48
  • Claríssimo, e é um argumento interessante e meritório. Mas --- não me convence. – Jacinto Sep 18 '15 at 15:43
  • @Jacinto porquê? O facto de ser em pó é uma caraterística do produto como "Ajax limpa vidros" e não um adjetivo que caraterize um produto. – Jorge B. Sep 18 '15 at 15:54
  • 2
    Desculpe, mas esse é o argumento que sempre me foi apresentado. Mas para mim, "em pó" e "magro", por exemplo, parecem dois qualificadores do leite, que está ao mesmo tempo magro e em pó. Sinto que "magro" é "mais perto" de "leite" que "em pó" (canela em pó, sabão em pó, ouro em pó...), me parece mais interessante qualificar primeiro pelo adjetivpo mais afin. Também, considero que o leite foi magro antes de ser "em pó". Não sei se minha 'lógica' é válida, entretanto, mas me irrita por nunc ter visto pó magro. – Brent.Longborough Sep 18 '15 at 15:58
  • 1
    Entendo, mas não poderia ser que "tenho leite desnatado" a venda, tanto em forma líquida como em pó? Me parece que há dois eixos onde podemos cortar o bolo. – Brent.Longborough Sep 18 '15 at 17:41
3

Independente de regras gramaticais, certas expressões consagradas pelo uso popular tornam-se expressões fixas, i.e., seqüências de palavras memorizadas em bloco, e não há como mudá-las. Nesses casos, já não importa mais se o adjetivo deveria vir antes ou depois, ou se fere alguma regra gramatical.

São exemplos de expressões fixas: por o preto no branco, preto e branco, falsa modéstia, prós e contras, de viva voz, olhar de alto a baixo, etc. Não adianta discutir se deveria ser "modéstia falsa" ou "falsa modéstia". Ou se deveríamos dizer "olhar de baixo a alto". Quando o uso está consagrado, os prescrivistas nada podem fazer.

Quanto ao leite em pó desnatado, concordo com Jorge B quando diz que "leite em pó" é o substantivo e "desnatado" o adjetivo que o qualifica. Soaria estranho, aos nossos ouvidos brasileiros, ouvir alguém dizer que comprou "leite desnatado em pó". Mas, independente de ser uma expressão gramaticalmente certa ou errada, a voz do povo fala mais alto.

| improve this answer | |
  • +1 gostei do teu ponto de vista. – Jorge B. Sep 19 '15 at 13:43
  • Concordo. Só acrescento que se alguém disser "leite desnatado em pó" todo mundo vai entender - e perceber que quem disse é gringo. – bfavaretto Sep 20 '15 at 1:42
  • @bfavaretto Conforme alguém já disse antes, dá a impressão de que pegaram o leite desnatado e então transformaram-no em pó. – Centaurus Sep 20 '15 at 1:57
  • 1
    E não é assim que se fabrica o leite em pó desnatado? Duvido que retirem a nata depois de transformá-lo em pó. Como você disse, não é uma questão de lógica, e sim de consagração pelo uso. Outra coisa: eu posso estar enganado, mas acho que no Brasil o leite em pó apareceu antes do desnatado. Se isso for verdade, pode explicar a força de "leite em pó" como uma unidade, com qualquer qualificador vindo sempre no final, aplicando-se à unidade inteira, e não só a "leite". – bfavaretto Sep 20 '15 at 2:08
  • 1
    @Brent.Longborough "Letting" popular usage"..... Letting? That's not the point. When 99,99% of a people use their language in a certain way, there's nothing you can do about it. That's what I mean by "consagração pelo uso popular". Suppose you find "It's I" wrong and want to reject it. Do you have a choice? – Centaurus Sep 20 '15 at 12:43

Your Answer

By clicking “Post Your Answer”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged or ask your own question.